bookmark_borderO que é soja

soja | s. f.
so·ja |ó| so·ja |ó|
nome feminino

[Botânica]   [Botânica]   Planta papilionácea originária das regiões quentes da Ásia e que dá um grão muito rico em matéria azotada e em matéria gorda.


substantivo feminino Planta da família das leguminosas, originária da China e do Japão, com folhas alternas, flores brancas ou violáceas, cujas vagens possuem duas sementes oleaginosas usadas na culinária para fabricação de óleo ou de outros produtos alimentícios; também usada como forragem.
[Botânica] Semente dessa planta: refeição feita com soja.
Etimologia (origem da palavra soja). Do japonês shoju.


A soja (Glycine max), também conhecida como feijão-soja e feijão-chinês, é uma planta pertence à família Fabaceae, família esta que compreende também plantas como o feijão, a lentilha e a ervilha. É empregada na alimentação humana (sob a forma de óleo de soja, tofu, molho de soja, leite de soja, proteína de soja, soja em grão etc.) e animal (no preparo de rações). A palavra “soja” vem do japonês shoyu. A planta é originária da China e do Japão. É um grão rico em proteínas. Dentre os sais minerais, os mais presentes são: potássio, cálcio, magnésio, fósforo, cobre e zinco. É fonte de algumas vitaminas do complexo B, como a riboflavina e a niacina, e também em vitamina C (ácido ascórbico). Porém é pobre em vitamina A e não contém vitamina D e B12.Além destes nutrientes, a soja contém a isoflavona, também chamada de fitoestrógeno, que atua na prevenção de doenças crônico-degenerativas como o câncer de mama, de cólon de útero e de próstata. Sua estrutura química é semelhante ao estrógeno (hormônio feminino) e, por isso, é uma substância capaz de aliviar os efeitos da menopausa e da tensão pré-menstrual.As propriedades estrógenas também ajudam a reduzir um outro problema causado pela deficiência hormonal: a osteoporose. Na maioria dos alimentos à base de soja, o teor de isoflavonas varia de 100 a 300 miligramas. As fibras dietéticas solúveis e insolúveis presentes na soja contribuem para a manutenção do nível glicêmico e para a melhora da sensibilidade à insulina, e por apresentar baixo índice glicêmico é relevante na prevenção e tratamento de diabetes e obesidade. O grão ainda possui ácido fítico, também chamado de Fitato.
Os fitatos são considerados fatores antinutricionais, pois reduzem a biodisponibilidade no organismo de alguns minerais como cálcio, ferro, magnésio, manganês, cobre e zinco, principalmente. Porém, na última década, estudos demonstraram que os fitatos também atuam como potentes agentes antioxidantes (prevenindo a oxidação ou envelhecimento das células), cumprindo assim uma função importante na redução dos riscos de inúmeras doenças crônicas e degenerativas, como alguns tipos de câncer e artrites. O teor de fitatos na soja varia de 1,5% da composição do grão, no feijão de 2,5% e nos farelos como o de trigo e o arroz esta entre 4,5%.
Entretanto, ele é neutralizado por aquecimento, tanto cozinhando em casa, como por meio dos processos industriais (processo UHT), resultando em preparações adequadas para o consumo humano. Portanto, bebidas à base de soja, não possuem fatores antinutricionais, podendo ser consumidos com segurança. O óleo de soja é o mais utilizado pela população mundial no preparo de alimentos. Outros produtos derivados da soja incluem bebidas a base de soja, óleos, farinha, molho de soja, sabão, cosméticos, resinas, tintas, solventes e biodiesel.


bookmark_borderO que é grão-de-bico

grão-de-bico | s. m.
grão·-de·-bi·co
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta (Cicer arietinum) da família das leguminosas, cujas vagens pubescentes contêm uma semente comestível.

2. Semente dessa planta.

Sinónimo Sinônimo Geral: ERVANÇO, GRAVANÇOPlural: grãos-de-bico. Plural: grãos-de-bico.



grão-de-bico, no Brasil também chamado de gravanço, ervanço, ervilha-de-galinha ou ervilha-de-bengala ou grão-de-pato, é uma leguminosa da família das fabáceas, muito distribuída na Índia e no Mediterrâneo.
Tal como o chícharo e o feijão, o seu cultivo é muito difundido para consumo humano, consumindo-se geralmente cozido, ou após moagem fina, em preparados a partir da sua farinha.