bookmark_borderO que é prática

prática | s. f. fem. sing. de prático Será que queria dizer pratica?
prá·ti·ca
(grego praktiké )
substantivo feminino

1. Aplicação das regras e dos princípios de uma arte ou de uma ciência.

2. Acto ou efeito de praticar.

3. Maneira habitual de proceder. = COSTUME, USO

4. Conversação, palestra, discurso, fala. = PRÉDICA

5. Exortação ou pequeno discurso feito por um eclesiástico aos fiéis (antes ou num intervalo da missa).

6. Sermão nos templos protestantes.

7. [Marinha]   [Marinha]   Licença de comunicar com a terra.

pôr em prática • Realizar.
prá·ti·co prá·ti·co
(latim practicus, -a, -um, activo , que age )
adjectivo adjetivo

1. Que não se limita à teoria. ≠ ABSTRACTO , TEÓRICO

2. Que tem motivações relacionadas com a acção ou com a eficácia. = PRAGMÁTICO

3. Que tem prática. = CONHECEDOR, EXPERIENTE, VERSADO ≠ PRINCIPIANTE

4. Relativo à prática.

5. Que não se deixa influir pelas aparências nem por teorias.

6. Que encara as coisas pelo lado positivo.

7. Que em tudo procede com prudência ou só movido pelo interesse.substantivo masculino

8. Piloto de embarcações. = PATRÃO


substantivo feminino O que se opõe ao teórico; real: quero ver esse projeto na prática!
Tudo o que se consegue realizar, executar, fazer; exercício.
Realização do que se planejou; aplicação: prática de crime.
Realização costumeira, cotidiana de algo: prática de exercícios.
Habilidade adquirida com a experiência; treinamento: prática em cozinhar.
Modo particular e comum de se comportar ou de realizar alguma coisa; hábito: a mentira é uma prática dos enganadores.
Em que há uso contínuo, hábitos enraizados ou costumes; convenção.
Tempo usado para se preparar em; estágio: preciso pegar prática nisso!
[Marinha] Autorização dada aos navegantes para que eles estabeleçam comunicação com o porto ou com uma localidade.
Etimologia (origem da palavra prática). Do grego praktiké.


Prática é a realização de uma teoria concreta.
Uma teoria só é considerada como tal se for provada pela prática, ou seja, não existe teoria sem prática. Einsten, quando formulou a teoria da relatividade, já tinha provado matematicamente esta teoria.
Não se pode confundir teoria com hipótese. Esta é uma suposição antes do teste prático e formulação final da teoria. Teoria também não é antítese, ou seja, a afirmação da tese pela sua negação. Por exemplo: “o céu é azul” (tese) e “o céu não é vermelho, ou verde, ou roxo” (antítese).
Diz-se que, ao realizar um feito temos que aplicar a teoria na prática. Por serem duas dimensões de um mesmo fenômeno e que frequentemente geram controvérsia entre o que é dito e o que é feito, é comumente dito que “na prática a teoria é outra”.


bookmark_borderO que é sarcasmo

sarcasmo | s. m.
sar·cas·mo
(grego sarkasmós, -ou )
nome masculino

1. Ironia que deixa entender uma crítica dura e mordaz, por vezes considerada insultuosa.

2. Atitude ou dito em relação a algo ou alguém que serve para fazer rir ou é assim entendido. = ESCÁRNIO, MOFA, TROÇA, ZOMBARIA


substantivo masculino Zombaria que busca ofender; ironia insultuosa.
Ação de dizer o oposto do que se quer de maneira mordaz e amarga.
Ironia insultuosa, penosa, mordaz ou cáustica: o sarcasmo estava presente em toda a sua obra literária.
Etimologia (origem da palavra sarcasmo). Do grego sarkasmós.ou.


Sarcasmo (do grego antigo σαρκασμός, “sarkasmos” ou “Sarkázein”; Sarx=”carne”, Asmo= queimarː “queimar a carne”) designa um escárnio ou uma zombaria, intimamente ligado à ironia (muitas vezes essa ligação é feita graças a tragédia vivida da pessoa sarcástica em si em comparação a vida de outras pessoas de melhor sorte), com um intuito mordaz quase cruel, muitas vezes ferindo a sensibilidade da pessoa que o recebe. A origem da palavra está ligada ao fato de muitas vezes mordermos os lábios quando alguém se dirige a nós com um sarcasmo mordaz.
O sarcasmo é uma figura de estilo muito utilizada nas artes orais e escritas, designadamente na literatura e na oratória.


bookmark_borderO que é senso comum

substantivo masculino Conjunto de ideias e opiniões que é aceito pela maioria das pessoas de um grupo ou sociedade, geralmente imposto e desprovido de valor crítico; consenso, senso habitual: comentários de senso comum.
Etimologia (origem de senso comum). Senso “juízo” + comum.


Senso comum ou conhecimento vulgar é a compreensão do mundo resultante da herança fecunda baseada nas experiências acumuladas por um grupo social. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como “normais”, sem depender de uma investigação detalhada para se alcançar verdades mais profundas, como as científicas.O senso comum é a forma de conhecimento mais presente no dia a dia das pessoas que não se preocupam prioritariamente com questões científicas. É uma forma de pensamento superficial, ou seja, não está preocupado com causas e fundamentos primeiro de algo, apenas faz afirmações, irrefletidas, imediatas. Isso não quer dizer que não haja conhecimento científico entre essas pessoas ou que não haja senso comum no âmbito científico.
Bastante atrelado à cultura, o senso comum é cultivado de geração em geração.


bookmark_borderO que é disposição

disposição | s. f.
dis·po·si·ção
(latim dispositio, -onis )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de dispor ou de se dispor.

2. Maneira como as coisas ou pessoas estão distribuídas, colocadas ou situadas. = ARRANJO, COLOCAÇÃO, ORDEM

3. Estado de saúde ou de ânimo (ex.: boa disposição, má disposição; não tenho disposição mental para fazer isto hoje).

4. Predisposição, tendência ou habilidade para algo (ex.: disposição para as artes). = QUEDA

5. Intenção (ex.: estava na disposição de ceder a sua posição).

6. Desembaraço.

7. Ordem, regra.

8. Determinação ou preceito legal (ex.: disposições legais).

9. Emprego, uso (ex.: previu a disposição dos bens depois da morte).

10. Senhorio, domínio.

11. Presença, aspecto , ar.

12. [Retórica]   [Retórica]   Parte da retórica relativa à organização do discurso.

à disposição • Em situação ou estado para ser usado ou ser útil (ex.: bens colocados à disposição do adquirente; estamos à sua disposição). = AO DISPOR


substantivo feminino Modo como algo está distribuído ou organizado; arranjo.
Condição física ou espiritual: tinha boa disposição para o trabalho.
Tendência natural que leva alguém a fazer alguma coisa; inclinação vocacional: não tinha disposição para a matemática.
Boa condição mental ou física: disposição para praticar esportes.
[Jurídico] Expressão dos desejos de outrem; prescrição regulamentar; preceito, ordem: disposição legal.
[Jurídico] Obrigação legal para; determinação: disposições legais.
[Jurídico] Cada um dos preceitos ou cláusulas de um acordo ou contrato.
Ação ou efeito de dispor, de arranjar, organizar.
expressão À disposição. Estar pronto para auxiliar, ajudar: estou à disposição.
Ter à sua disposição. Ter ao seu alcance, poder dispor de: tenho muitos livros à minha disposição.
Etimologia (origem da palavra disposição). Do latim dispositio.onis.


Em psicologia, disposição designa a tendência, relativamente estável no tempo, que uma pessoa apresenta de se comportar de determinada maneira em determinadas situações. Uma disposição se diferencia, no entanto, do simples comportamento: este se modifica constantemente e é imediatamente observável, enquanto aquela é uma característica ou traço de personalidade que se infere a partir da observação da regularidade de determinado comportamento de uma pessoa. O conceito de disposição é, assim, central para a psicologia da personalidade.
Asendorpf (2004) amplia esse conceito de “disposição comportamental” e apresenta, baseado na heterogênea literatura da psicologia da personalidade, uma classificação das disposições:
Disposições de comportamento (em sentido amplo) (ex. temperamento);
Disposições ligadas à ação – referem-se a comportamentos que são realizados de maneira voluntária, deliberada ou intencional;
Disposições de valoração ou juízo – referem-se à tendência de a pessoa julgar determinadas ações, objetos, objetivos, pensamentos de determinada maneira em determinadas situações;
Disposições voltadas à própria pessoa (a si-mesmo) – refere-se à tendência de a pessoa ver e julgar a si mesma em determinadas situações.Esses diferentes tipos de disposições são tratadas com maior detalhe no artigo personalidade.


bookmark_borderO que é verossimilhança

verosimilhança verossimilhança | s. f.
ve·ro·si·mi·lhan·ça ve·ros·si·mi·lhan·ça
(verosímil + h + -ança, por analogia com semelhança )
substantivo feminino

Qualidade de verosimilhante .• Grafia no Brasil: verossimilhança. • Grafia no Brasil: verossimilhança. • Grafia em Portugal:verosimilhança. • Grafia em Portugal:verosimilhança.


substantivo feminino Característica do que é verossímil, que que aparenta ser ou é tido como verdadeiro; verossimilhante.
Qualidade do que parece verdadeiro, do que não contraria a verdade: havia verossimilhança na alegação do réu.
[Literatura] Numa obra literária, a coerência, a ligação harmônica entre os elementos fantasiosos ou imaginários que são essenciais para o entendimento do texto.
Etimologia (origem da palavra verossimilhança). Verossímil/h/ + ança.


Chama-se verossimilhança (português brasileiro) ou verosimilhança (português europeu), em linguagem coerente ao atributo daquilo que parece intuitivamente verdadeiro, isto é, o que é atribuído a uma realidade portadora de uma aparência ou de uma probabilidade de verdade, na relação ambígua que se estabelece entre imagem e ideia.


bookmark_borderO que é identidade

identidade | s. f.
i·den·ti·da·de
(latim identitas, -atis )
substantivo feminino

1. Qualidade de idêntico.

2. Paridade absoluta.

3. Circunstância de um indivíduo ser aquele que diz ser ou aquele que outrem presume que ele seja.

4. Circunstância de um cadáver ser o de determinada pessoa.

5. [Álgebra]   [Álgebra]   Equação cujos dois membros são identicamente os mesmos.

identidade de género • Sentimento íntimo que alguém tem sobre o género a que pertence; o género com o qual alguém se identifica.


substantivo feminino Documento de identificação; comprovante de que alguém é a pessoa que se diz ser: carteira de identidade.
Conjunto das qualidades e das características particulares de uma pessoa que torna possível sua identificação ou reconhecimento: não se sabe a identidade do criminoso.
Semelhança; em que há ou expressa similaridade, relação de conformidade: identidade de conceitos, de pontos de vista.
Igualdade; qualidade ou particularidade do que é idêntico, rigorosamente igual em relação a outro(s): identidade de opiniões.
[Linguística] Saussure. Igualdade de um elemento em relação a ele próprio, ainda que estejam em situações distintas.
[Lógica] Filosofia. Qualidade através da qual um ou mais objetos de pensamento possuem propriedades iguais, ainda que designados distintamente.
Etimologia (origem da palavra identidade). Do latim identitas.atis.


Identidade é o conjunto de características próprias e exclusivas com os quais se podem diferenciar pessoas, animais, plantas e objetos inanimados uns dos outros, quer diante do conjunto das diversidades, quer ante seus semelhantes.Sua conceituação interessa a vários ramos do conhecimento, tais como História, Sociologia, Antropologia, Direito, entre outros, e que tem portanto diversas definições, conforme o enfoque que se lhe dê, podendo ainda haver uma identidade individual ou coletiva, falsa ou verdadeira, presumida ou ideal, perdida ou resgatada.


bookmark_borderO que é interesse

interesse | s. m. 1ª pess. sing. pres. conj. de interessar 3ª pess. sing. imp. de interessar 3ª pess. sing. pres. conj. de interessar
in·te·res·se |ê| in·te·res·se |ê|
substantivo masculino

1. Proveito, utilidade, conveniência, vantagem.

2. Lucro.

3. Juros.

4. Parte dos lucros que toca a cada sócio.

5. Atenção.

6. Importância, valor.

7. Desejo de ganhos.

8. Cobiça.

9. Empenho.

10. Desejo veemente.
in·te·res·sar in·te·res·sar – Conjugar
(interesse + -ar )
verbo transitivo

1. Dar interesse.

2. Associar.

3. Fazer despertar o interesse ou a curiosidade.

4. Despertar a simpatia de; não ser indiferente a.

5. Lucrar.verbo intransitivo

6. Auferir interesses, lucros ou proveito.

7. Ser interessante. = IMPORTARverbo pronominal

8. Ver interesse em (ex.: interessou-se pelo assunto).

9. Tomar interesse; empenhar-se.

10. Associar-se.


substantivo masculino O que se considera relevante, vantajoso, útil: projeto de interesse nacional.
Tendência para o que traz benefícios: só vai à sua casa por interesse.
Qualidade do que se destaca, chama atenção: espetáculo de grande interesse.
Relevância atribuída a algo; importância: uma opinião de interesse geral.
Modo de agir que expressa benevolência: tinha interesse pelos pacientes.
Num estabelecimento, a parte dos lucros atribuída ao empregado.
Lucros provenientes de juros sobre um determinado valor ou capital.
Etimologia (origem da palavra interesse). Do latim interesse.


Interesse designa em psicologia uma disposição de juízo dirigida a uma ação ou atividade: assim as pessoas se diferenciam com relação a quais atividades são consideradas atrativas e quais não o são. Interesse se diferencia de motivo, uma vez que este se refere ao juízo das consequências da ação: as pessoas se diferenciam, por exemplo, com relação a quanto o sucesso ou o reconhecimento é importante para elas.
Quando várias pessoas cooperaram pelo mesmo objetivo, há uma harmonia de interesses.
Apesar da relevância do conceito de interesse tanto para a psicologia do trabalho (escolha de pessoal), para psicologia pedagógica (aconselhamento vocacional) e para a psicologia do lazer (interesse por determinados Hobbys, esportes, lugares de férias), a pesquisa científica nessa área se encontra muito pouco desenvolvida.
Será Ovide Decroly que no início do século XX que pela primeira vez postulou o interesse como pressuposto básico para a aprendizagem na Educação. Para ele, esse estado desperto da criança estaria na base de toda actividade, incitando-a a observar, associar, expressar. Acreditava que aprendizagens ocorreriam de maneira espontânea pelo contacto com o meio, de onde proviriam estímulos que para onde as crianças direccionariam suas questões.


bookmark_borderO que é sabedoria

sabedoria | s. f.
sa·be·do·ri·a
substantivo feminino

1. Grande fundo de conhecimentos.

2. Saber.

3. Qualidade de sabedor.

4. Prudência.

5. Ciência.

6. Razão.


substantivo feminino Qualidade da pessoa sábia, com muitos conhecimentos: a sabedoria das suas ações aos demais comovia.
Excesso de conhecimento; erudição: o físico foi premiado por sua sabedoria.
Conhecimento adquirido pela experiência: não frequentou a escola, mas tinha a sabedoria do trabalho.
Em que há ou demonstra sensatez, reflexão: o líder era a expressão da sabedoria.
Excesso de conhecimento que se acumula; ciência.
[Popular] Habilidade excessiva; artimanha ou esperteza.
[Religião] Capacidade de compreender as revelações divinas: a sabedoria do bispo.
Etimologia (origem da palavra sabedoria). Sabedor + ia.


Sabedoria, sapiência ou sagacidade (do latim sapere — que tem sabor.) é a condição de quem tem conhecimento, erudição O equivalente em grego “sofia” (Σοφία) é o termo que equivale ao saber (presente na formação de palavras como teosofia, significando ainda habilidade manual, ciência e sabedoria);O termo encontra definições distintas conforme a ótica filosófica, teológica ou psicológica. No sentido comum, a sabedoria é a qualidade que dá sensatez, prudência, moderação à pessoa, ao passo em que para a religião é o “conhecimento inspirado nas coisas divinas e humanas”.A sabedoria está associada a atributos como juízo sem viés, compaixão, autoconhecimento experiencial, autotranscendência e não apego, e a virtudes como ética e benevolência.


bookmark_borderO que é incorporal

incorporal | adj. 2 g.
in·cor·po·ral
(latim incorporalis, -e )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

Incorpóreo.


adjetivo Que não possui corpo; sem matéria; desprovido de forma física; incorpóreo.
Que não se constitui pela matéria; imaterial.
[Por Extensão] Que não se consegue perceber através dos sentidos; impalpável.
Etimologia (origem da palavra incorporal). Do latim incorporalis.


Na doutrina estoica os incorporais são o tempo, o vazio, o lugar e o significado. Todo o resto para os estoicos é corpóreo.


bookmark_borderO que é solipsismo

solipsismo | s. m.
so·lip·sis·mo
(solipso + -ismo )
nome masculino

Vida ou hábitos de solipso ou de indivíduo solitário.


substantivo masculino [Filosofia] Doutrina filosófica cujos preceitos se pautam numa única realidade representada somente pelo eu empírico.
[Filosofia] Teoria filosófica segundo a qual nada existe fora do pensamento individual, sendo a percepção (das coisas e/ou das pessoas) uma impressão sem existência real.
[Por Extensão] Modo de vida ou hábitos de quem vive na solidão.
Etimologia (origem da palavra solipsismo). Do latim sol(i) + do latim ipse.a.um + ismo.


Solipsismo (do latim “solu-, «só» +ipse, «mesmo» +-ismo”.) é a concepção filosófica de que, além de nós, só existem as nossas experiências. O solipsismo é a consequência extrema de se acreditar que o conhecimento deve estar fundado em estados de experiência interiores e pessoais, não se conseguindo estabelecer uma relação direta entre esses estados e o conhecimento objetivo de algo para além deles. O “solipsismo do momento presente” estende este ceticismo aos nossos próprios estados passados, de tal modo que tudo o que resta é o eu presente.
A neoescolástica define o solipsismo como uma forma de idealismo, que incorreria no egoísmo pragmático, que insurge pós proposição cartesiana “cogito, ergo sum”; solipsismo é atribuída por Max Stirner como uma reação contra Hegel e sua acentuação do universal; o solipsismo somente tem por certo, inconteste, o ato de pensar e o próprio eu. Assim, tudo o mais pode ser contestado ou posto em dúvida.
O solipsismo designa uma doutrina filosófica que reduz toda a realidade ao sujeito pensante; doutrina segundo a qual só existem efetivamente o eu e suas sensações, sendo os outros entes (seres humanos e objetos), como participante da única mente pensante, meras impressões sem existência própria (embora frequentemente considerada uma possibilidade intelectual); doutrina segundo a qual a única realidade no mundo é o eu; designação comum a religiosos de certas ordens que se isolam do mundo; vida ou conjunto de hábitos de um indivíduo solitário; vida ou costume de quem vive na solidão; monge que vive na solidão, anacoreta, eremita, ermitão, celibatário, solipso. O solipsismo reveste muitos matizes através da história da filosofia, mas podemos resumi-los em três tendências fundamentais: