bookmark_borderO que é identidade

identidade | s. f.
i·den·ti·da·de
(latim identitas, -atis )
substantivo feminino

1. Qualidade de idêntico.

2. Paridade absoluta.

3. Circunstância de um indivíduo ser aquele que diz ser ou aquele que outrem presume que ele seja.

4. Circunstância de um cadáver ser o de determinada pessoa.

5. [Álgebra]   [Álgebra]   Equação cujos dois membros são identicamente os mesmos.

identidade de género • Sentimento íntimo que alguém tem sobre o género a que pertence; o género com o qual alguém se identifica.


substantivo feminino Documento de identificação; comprovante de que alguém é a pessoa que se diz ser: carteira de identidade.
Conjunto das qualidades e das características particulares de uma pessoa que torna possível sua identificação ou reconhecimento: não se sabe a identidade do criminoso.
Semelhança; em que há ou expressa similaridade, relação de conformidade: identidade de conceitos, de pontos de vista.
Igualdade; qualidade ou particularidade do que é idêntico, rigorosamente igual em relação a outro(s): identidade de opiniões.
[Linguística] Saussure. Igualdade de um elemento em relação a ele próprio, ainda que estejam em situações distintas.
[Lógica] Filosofia. Qualidade através da qual um ou mais objetos de pensamento possuem propriedades iguais, ainda que designados distintamente.
Etimologia (origem da palavra identidade). Do latim identitas.atis.


Identidade é o conjunto de características próprias e exclusivas com os quais se podem diferenciar pessoas, animais, plantas e objetos inanimados uns dos outros, quer diante do conjunto das diversidades, quer ante seus semelhantes.Sua conceituação interessa a vários ramos do conhecimento, tais como História, Sociologia, Antropologia, Direito, entre outros, e que tem portanto diversas definições, conforme o enfoque que se lhe dê, podendo ainda haver uma identidade individual ou coletiva, falsa ou verdadeira, presumida ou ideal, perdida ou resgatada.


bookmark_borderO que é odor

odor | s. m.
o·dor |ô| o·dor |ô|
nome masculino

Cheiro, aroma, perfume.


substantivo masculino Aquilo que é exalado por (algo, alguém ou si próprio); o que se consegue perceber através do olfato; cheiro.
Cheiro aprazível (agradável); perfume ou aroma.
Etimologia (origem da palavra odor). Do latim odor.ôris.


Odor é o mesmo que cheiro, a percepção do olfato. Tem como sinônimo poético a variante olor. Ao estudo do odor dá-se o nome de osmologia.


bookmark_borderO que é feiura

feiura feiúra feiura | s. f.
fei·u·ra |ei-ú| fei·ú·ra |ei-ú| fei·u·ra |ei-ú|
(feio + -ura )
substantivo feminino

Qualidade do que é feio. = FEALDADE, FEIEZA ≠ BELEZA, FORMOSURA• Grafia no Brasil: feiúra. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:feiura. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:feiúra
• Grafia em Portugal:feiura.


substantivo feminino [Brasil] Característica do que ou de quem é feio; fealdade.
P. metonímia. Expressão ou aspecto de feiura; o que ou quem é feio.
Etimologia (origem da palavra feiura). Feio + ura.


Feiura ou fealdade é uma característica de um ser vivo ou inanimado, cuja aparência é visualmente desagradável e resulta numa avaliação desfavorável. Um Ser feio é um Ser não atraente, mas sim repulsivo, ou até mesmo ofensivo, aos que partilham ou não dos mesmos valores culturais. Seu oposto é a beleza, e assim como esta, a feiura envolve um julgamento subjetivo através dos “olhos de quem vê”, podendo variar de padrões, visto que isso depende da cultura de cada um. Contudo, pode haver exceções pessoais quanto a que admiram-a, conforme o ditado: “quem ama o feio, bonito lhe parece”. Assim, a percepção de feiura pode adquirir caráter muito variável, como no conto de fadas O Patinho Feio de Hans Christian Andersen.


bookmark_borderO que é osso

osso | s. m. | s. m. pl.
os·so |ô| os·so |ô|
(latim ossum, -i )
substantivo masculino

1. Parte dura e sólida que forma a armação do corpo dos vertebrados.

2. Cada um dos fragmentos ou partes dessa armação.

3. [Figurado]   [Figurado]   Dificuldade, contrariedade.

4. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Namorada, amante ou esposa.

5. O que há de desagradável em alguma coisa.
ossossubstantivo masculino plural

6. Restos mortais.

7. [Informal]   [Informal]   As mãos (ex.: deixe-me apertar esses ossos).

8. [Informal]   [Informal]   O corpo.

em osso • Em pêlo ; sem arreios.

• Que só tem as paredes.

osso da sorte • [Informal]   • [Informal]   Osso em forma de forquilha pequena, que corresponde, no esqueleto das aves, à fusão das duas clavículas. = FÚRCULA

osso de correr • Osso de tutano.

osso duro de roer • Coisa ou pessoa muito difícil.

osso inominado • Osso ilíaco.

osso marsupial • [Anatomia]   • [Anatomia]   Lâmina óssea no fundo da cavidade cotilóide do osso ilíaco.

ossos da suã • Os ossos do espinhaço do porco.

ossos do ofício • Conjunto dos problemas ou desvantagens inerentes a uma função ou a uma actividade .

osso zigomático • [Anatomia]   • [Anatomia]   Cada um dos dois ossos salientes da face, abaixo dos olhos, que forma a zona da bochecha e parte da órbita ocular; cada um dos dois ossos das maçãs do rosto. = MALAR, ZIGOMAPlural: ossos |ó|. Plural: ossos |ó|.


substantivo masculino Parte dura e sólida que forma o esqueleto do corpo do homem e dos animais vertebrados: o corpo humano é composto por 206 ossos.
Parte que compõe esse esqueleto: osso do braço.
[Figurado] Algo muito complicado, trabalhoso: o projeto vai ser osso de fazer.
[Figurado] Alguém de personalidade difícil, desagradável: meu chefe é osso.
[Figurado] Aquilo que impede a evolução ou a realização de algo; empecilho.
expressão Osso duro de roer. Coisa que apresenta grandes dificuldades.
Ossos do ofício. Dificuldades inerentes ao exercício de uma profissão.
Até à medula dos ossos. De modo profundo; profundamente.
Em carne e osso. Em pessoa; pessoalmente.
Moer ou quebrar os ossos de alguém. Bater, dar uma surra em alguém.
Roer os ossos. Desfrutar apenas os restos; ter só os incômodos, sem auferir nenhuma vantagem ou lucro.
Ficar pele e osso; estar pele e osso. Ser ou estar muito magro.
Etimologia (origem da palavra osso). Do latim ossum.


O osso (do latim ossu) é cada uma das peças formadas por tecido rígido que compõe os esqueletos dos vertebrados. O conjunto dos ossos de um animal é o esqueleto, que sustenta o corpo e serve de apoio para os músculos, permitindo, assim, o movimento, principalmente pelo princípio da alavanca. Certos conjuntos de ossos protegem alguns órgãos internos, como o crânio, que protege o cérebro.
Nem todos os animais vertebrados possuem ossos em seu esqueletoː por exemplo, o tubarão possui esqueleto exclusivamente cartilaginoso.
Os ossos também possuem relação com o metabolismo do cálcio, e a medula óssea está relacionada com a formação das células do sangue. O estudo dos ossos chama-se osteologia. O esqueleto humano adulto tem normalmente 206 ossos com sua identificação própria, mais um número variável de ossos sesamoides (pequenos ossos de diversas partes do corpo – o nome faz alusão à semente de sésamo, pela semelhança no formato).


bookmark_borderO que é postura

postura | s. f.
pos·tu·ra
(latim positura, -ae, posição, disposição, arranjo, ordem, lugar, pontuação )
nome feminino

1. Atitude ou posição do corpo (ex.: tenha atenção à postura do tronco). = POSE

2. Expressão do rosto, geralmente acompanhada de uma atitude corporal (ex.: mostro sempre uma postura cordial). = AR, FISIONOMIA

3. Maneira de agir ou de se comportar (ex.: a postura do dirigente é inaceitável).

4. Ordem dimanada das câmaras municipais.

5. Quantidade de ovos que as galinhas põem durante um certo número de dias consecutivos ou interpolados.

6. Cada uma das posições físicas do ioga destinadas a atingir bem-estar e controlo físico e mental. = ÁSSANA

7. [Regionalismo]   [Regionalismo]   Local público onde estacionam táxis (ex.: postura de táxis). = PRAÇA


substantivo feminino Posição do corpo: postura reta.
Expressão facial própria; semblante, fisionomia.
Comportamento de quem sabe se portar; compostura.
Modo de agir; comportamento: sua postura foi inadequada.
Maneira de pensa; ponto de vista, opinião, posicionamento.
[Zoologia] Os ovos que as aves põem durante certo número de dias; ação ou efeito de pôr ovos.
expressão Postura municipal. Ordem emanada das câmaras municipais que obriga ao cumprimento de certos deveres de ordem pública.
Etimologia (origem da palavra postura). Do latim postura.ae, “posição, lugar”.


Postura é o conjunto em posição das articulações de um corpo em um determinado momento atuando para fornecer o equilíbrio no espaço, uma entidade formada em conjunto com o sistema nervoso e os músculos. Embora muitas pessoas achem que postura seria só o conjunto ditado pela coluna vertebral, esta também é parte primordial e essencial.
Em um indivíduo, ocorre informações entre o sistema nervoso (vias aferentes periféricas) e o cérebro, provenientes de três fontes para o equilíbrio do corpo no espaço a sua volta, seja em pé, sentado ou em movimento. Informações providas dos olhos, ouvidos, músculos, articulações, ligamentos e tendões. Nesses quatro últimos citados, existem proprioceptores que informam uma estrutura chamada cerebelo, para depois então, informar o cérebro o grau de tensão a que cada um está sendo submetido e depois retransmitem essa informação de volta para os mesmos músculos, articulações, ligamentos e tendões, fazendo com que nos equilibramos conscientemente ou inconscientemente. Graças a esses receptores, se fecharmos nossos olhos ou tampássemos nossos ouvidos e realizássemos um movimento, perceberíamos perfeitamente a nossa posição no espaço em que nos localizamos.


bookmark_borderO que é respiração

respiração | s. f. derivação fem. sing. de respirar
res·pi·ra·ção
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de respirar.

2. Função por meio da qual se efectuam as trocas de gases entre os tecidos e o meio exterior.

3. Fôlego; bafo; ar; ambiente.

4. [Botânica]   [Botânica]   Fenómeno da absorção diurna e da expulsão nocturna do ácido carbónico pelas plantas.

sem tomar respiração • De uma assentada.
res·pi·rar res·pi·rar – Conjugar
verbo intransitivo

1. Aspirar e expelir consecutivamente o ar por meio dos pulmões.

2. Viver.

3. Descansar, parar.

4. Soprar brandamente (o vento).verbo transitivo

5. Absorver por meio da respiração.

6. Ter o cheiro de, cheirar a.

7. Exprimir, indicar.verbo transitivo e intransitivo

8. Anelar, desejar com ardor.substantivo masculino

9. A respiração; o arfar.


substantivo feminino Ação ou efeito de respirar, inspirar ar e expelir dióxido de carbono.
Movimento de inspiração e expiração que ocorre nos pulmões; fôlego.
Ar que entra nos pulmões, sendo expelido em forma de dióxido de carbono; bafo: tira sua respiração da minha cara!
[Biologia] Função pela qual células vivas oxidam substâncias orgânicas, e que se manifesta por trocas gasosas (absorção de oxigênio e rejeição de gás carbônico).
Etimologia (origem da palavra respiração). Do latim respiratio.onis.


Na linguagem vulgar, respiração é o ato de inalar e exalar ar através da boca, das cavidades nasais ou pela pele para se processarem as trocas gasosas ao nível dos pulmões.
Do ponto de vista da fisiologia, respiração é o processo pelo qual um organismo vivo troca oxigénio e dióxido de carbono com o seu meio ambiente.Do ponto de vista da bioquímica, respiração celular é o processo de conversão das ligações químicas de moléculas ricas em energia que possa ser usada nos processos vitais.


bookmark_borderO que é irritação

irritação | s. f. derivação fem. sing. de irritar
ir·ri·ta·ção
(latim irritatio, -onis )
substantivo feminino

1. Excitação; exasperação; ira; exacerbação.

2. Aumento de sensibilidade, de calor, de actividade (e talvez de volume e tensão).
ir·ri·tar ir·ri·tar – Conjugar
verbo transitivo

1. Causar irritação a (ou em).

2. Encolerizar.

3. Indignar.

4. Estimular.

5. Impacientar.

6. Agravar.

7. Exacerbar.

8. [Pouco usado]   [Pouco usado]   [Jurídico, Jurisprudência]   [Jurídico, Jurisprudência]   Tornar nulo.verbo pronominal

9. Sentir irritação.


substantivo feminino Ação ou efeito de irritar, de perder a paciência, de se encher de raiva.
Estado de uma pessoa irritada: presa de forte irritação.
Exaltação de quem se deixa provocar com facilidade; exacerbação.
[Medicina] Reação esperada do nervo quando recebe um estímulo.
[Medicina] Reação normal dos tecidos que ocorre provocadamente por um estímulo.
[Medicina] Inflamação dos tecidos numa lesão.
Etimologia (origem da palavra irritação). Do latim irritatio.onis.


No contexto de biologia e fisiologia, irritação é um estado de inflamação, sensibilidade exagerada ou reação dolorosa a uma alergia ou danos no revestimento das células. O estímulo ou agente que induz o estado de irritação denomina-se irritante. Os irritantes podem ser agentes químicos, mecânicos, térmicos (calor) e radiativos, como a luz ultravioleta ou radiação ionizante.


bookmark_borderO que é memória

memória | s. f. | s. f. pl. Será que queria dizer memoria?
me·mó·ri·a
(latim memoria, -ae )
nome feminino

1. Faculdade pela qual o espírito conserva ideias ou imagens, ou as readquire sem grande esforço.

2. Lembrança.

3. Monumento comemorativo.

4. Nome, fama (que sobrevive à pessoa ou ao facto ).

5. Recordação, presente.

6. Dissertação literária ou científica.

7. Anel (que se dá como lembrança).

8. Nota diplomática.

9. Memorial, renovamento de pedido.

10. [Galicismo]   [Galicismo]   Relatório.

11. [Informática]   [Informática]   Dispositivo de um computador ou sistema informático que permite o registo , a conservação e a restituição dos dados.
memóriasnome feminino plural

12. Escrito narrativo em que se compilam factos , anedotas, etc.

13. Autobiografia.

14. [Informal]   [Informal]   Cumprimentos.

de memória • De cor.

de toda a memória dos homens • De tempo imemorial.

fazer de memória • Nomear, citar.

fugir da memória • Esquecer.

memória auditiva • Faculdade de guardar e lembrar as recordações do que se ouviu (por oposição a memória visual).

memória de elefante • Grande capacidade de memorização, de reter tudo na memória. ≠ MEMÓRIA DE GALINHA, MEMÓRIA DE GALO, MEMÓRIA DE GRILO

memória de galinha • Baixa capacidade de memorização; memória fraca. ≠ MEMÓRIA DE ELEFANTE

memória de galo • O mesmo que memória de galinha.

memória de grilo • O mesmo que memória de galinha.

memória visual • Faculdade de guardar e lembrar as recordações do que se viu (por oposição a memória auditiva).


substantivo feminino Faculdade de reter ideias, sensações, impressões, adquiridas anteriormente.
Efeito da faculdade de lembrar; lembrança: não tenho memória disso!
Recordação que a posteridade guarda: memórias do passado.
Dissertação sobre assunto científico, artístico, literário, destinada a ser apresentada ao governo, a uma instituição cultural etc.
[Artes] Monumento dedicado a alguém ou em celebração de uma pessoa digna de lembrança; memorial.
Papel usado para anotar coisas que não se deve esquecer; lembrete.
Relato feito escrita ou oralmente sobre uma situação; narração.
[Jurídico] Documento com o qual alguém expõe a sua defesa ou pedido a ser anexado aos autos.
[Matemática] Dispositivo dos calculadores eletrônicos, que registra sinais, resultados parciais etc., que são consignados no momento oportuno para o fazer intervir no seguimento das operações: discos de memória.
[Informática] Unidade funcional que pode receber, conservar e restituir dados.
[Informática] Memória convencional, a que é armazenada segundo os padrões de um programa altamente abrangente.
substantivo feminino plural Memórias. Obra literária escrita por quem presenciou os acontecimentos que narra, ou neles tomou parte.
expressão De memória. Sem a ajuda de notas ou livros, só pela lembrança.
Em memória de. Em homenagem a alguém que já morreu.
[Informática] Memória secundária. Meio de armazenamento de dados e instruções não volátil (p. ex., disquetes), usado para que estes se preservem (p. ex., quando o computador é desligado).
Etimologia (origem da palavra memória). Do latim memoria.


A memória, além de ser formada por lembranças, esquecimentos e silêncio, também possui em sua constituição “[…] aquilo que ocorre ao espírito como resultado de experiências já vividas enquanto lembranças ou reminiscências.” (MEINERZ, 2008, p. 54). Diante disso, as experiências, para influenciarem a memória, nem sempre precisam ocupar o mesmo tempo e espaço do indivíduo; basta pertencer ao seu grupo de referência ou ser fator de identidade cultural.
A memória é a capacidade de adquirir, armazenar e recuperar (evocar) informações disponíveis, seja internamente, no cérebro (memória biológica), seja externamente, em dispositivos artificiais (memória artificial). Também é o armazenamento de informações e fatos obtidos através de experiências ouvidas ou vividas. Focaliza coisas específicas, requer grande quantidade de energia mental e deteriora-se com a idade. É um processo que conecta pedaços de memória e conhecimentos a fim de gerar novas ideias, ajudando a tomar decisões diárias.
Os neurocientistas (psiquiatras, psicólogos e neurologistas) distinguem memória declarativa de memória não-declarativa. A memória declarativa, grosso modo, armazena o saber que algo se deu, e a memória não-declarativa o como isto se deu.
A memória declarativa, ou de curto prazo como o nome sugere, é aquela que pode ser declarada (fatos, nomes, acontecimentos, etc.) e é mais facilmente adquirida, mas também mais rapidamente esquecida. Para abranger os outros animais (que não falam e logo não declaram, mas obviamente lembram), essa memória também é chamada explícita. Memórias explicitas chegam ao nível consciente. Esse sistema de memória está associado com estruturas no lobo temporal medial (ex: hipocampo, amígdala).
Psicólogos distinguem dois tipos de memória declarativa, a memória episódica e a memória semântica. São instâncias da memória episódica as lembranças de acontecimentos específicos. São instâncias da memória semântica as lembranças de aspectos gerais.
Já a memória não-declarativa, também chamada de implícita ou procedural, inclui procedimentos motores (como andar de bicicleta, desenhar com precisão ou quando nos distraímos e vamos no “piloto automático” quando dirigimos). Essa memória depende dos gânglios basais (incluindo o corpo estriado) e não atinge o nível de consciência. Ela em geral requer mais tempo para ser adquirida, mas é bastante duradoura.
Memória, segundo diversos estudiosos, é a base do conhecimento. Como tal, deve ser trabalhada e estimulada. É através dela que damos significado ao cotidiano e acumulamos experiências para utilizar durante a vida.


bookmark_borderO que é sesta

sesta | s. f.
ses·ta |é| ses·ta |é|
(latim [hora] sexta, sexta hora )
substantivo feminino

1. Sono de curta duração que se dorme geralmente depois da refeição do almoço.

2. Tempo durante o qual os trabalhadores interrompem o trabalho ao almoço.

3. Hora de descanso.

bater uma sesta • Dormir durante pouco tempo.

fazer a sesta • Dormir um pouco, geralmente depois do almoço.Confrontar: cesta, sexta.


substantivo feminino Breve cochilada após o almoço; repouso após o almoço, geralmente no início da tarde; o tempo que se passa nesse descanso.
Meridiana; a hora em que o calor é mais intenso no decorrer do dia.
Não confundir com: sexta ou cesta.
Etimologia (origem da palavra sesta). Do latim sexta.ae.


A sesta é uma breve cochilada no início da tarde, geralmente depois do almoço. Esse período de sono é uma tradição em alguns países, particularmente naqueles onde o clima é quente. A palavra tem origem na expressão latina hora sexta, que no calendário romano correspondia à sexta hora a partir da manhã, ou seja, ao meio-dia.
Um estudo publicado em Setembro de 2002 sobre o efeito dos cochilos na produtividade demonstrou que 10 minutos de sono tendem a melhorar a produtividade de modo mais efetivo do que os cochilos mais longos.


bookmark_borderO que é sinergia

sinergia | s. f.
si·ner·gi·a
(grego sunergía, -as, cooperação )
nome feminino

1. Acto ou esforço simultâneo de diversos órgãos ou músculos.

2. Acto ou esforço colectivo . = COOPERAÇÃO


substantivo feminino Ação simultânea; esforço coletivo; cooperação.
[Fisiologia] Junção de diversos órgãos na realização de uma função.
Esforço coletivo e solidário que busca um melhor resultado do que àqueles obtidos individualmente.
Busca de objetivos comuns através da união simultânea dos membros de um grupo; trabalho cooperativo.
[Farmácia] Ação conjunta de dois medicamentos com propriedades complementares, para produzir um melhor resultado.
Etimologia (origem da palavra sinergia). Do grego synergia.as.


Sinergia ou sinergismo (do grego συνεργία, συν- (syn-) “união” ou “junção” e -εργία (-ergía), “unidade de trabalho”), é definida como o efeito ativo e retroativo do trabalho ou esforço coordenado de vários subsistemas na realização de uma tarefa complexa ou função.
Quando se tem a associação concomitante de vários dispositivos executores de determinadas funções que contribuem para uma ação coordenada, ou seja o resultado do conjunto de esforços em prol do mesmo fim, tem-se sinergia. O efeito resultante da ação de vários agentes que atuam de forma coordenada para um objetivo comum pode ter um valor superior ao valor do conjunto desses agentes, se atuassem individualmente sem esse objetivo comum previamente estabelecido. O mesmo que dizer que “o todo supera a soma das partes”.
É a ação combinada de dois ou mais medicamentos que produzem um efeito biológico, cujo resultado pode ser simplesmente a soma dos efeitos de cada composto ou um efeito total superior a essa soma.
Sinergia, de forma geral, pode ser definida como uma combinação de dois elementos de forma que o resultado dessa combinação seja maior do que a soma dos resultados que esses elementos teriam separadamente. Sendo assim, sinergia é mais do que um somatório de coisas voltadas para o mesmo fim.