bookmark_borderO que é arroz

substantivo masculino [Botânica] Planta da família das gramíneas, cujo grão constitui excelente alimento.
O grão dessa planta.
Qualquer prato preparado com tais grãos.


O arroz (constituído por sete espécies, Oryza barthii, Oryza glaberrima, Oryza latifolia, Oryza longistaminata, Oryza punctata, Oryza rufipogon e Oryza sativa) é uma planta da família das gramíneas que alimenta mais da metade da população humana do mundo. É a terceira maior cultura cerealífera do mundo, apenas ultrapassada pelas de milho e trigo. É rico em hidratos de carbono.
Para poder ser cultivado com sucesso, o arroz necessita de água em abundância, para manter a temperatura ambiente dentro de intervalos adequados, e, nos sistemas tradicionais, de mão-de-obra intensiva. Desenvolve-se bem mesmo em terrenos muito inclinados [carece de fontes?] e é costume, nos países do sudeste asiático, encontrarem-se socalcos onde é cultivado. Em qualquer dos casos, a água mantém-se em constante movimento, embora circule a velocidade muito reduzida.


bookmark_borderO que é tojo

tojo | s. m.
to·jo |ô| to·jo |ô|
substantivo masculino

1. Nome comum a várias plantas espinhosas do mato.

2. [Figurado]   [Figurado]   Coisa muito áspera.Plural: tojos |ó|. Plural: tojos |ó|.


substantivo masculino Planta de folhas espinhosas e flores amarelas, que cresce em terrenos silicosos. (Alt.: de 1 a 4 m; família das leguminosas, subfamília das papilionáceas.).


Tojo ou mato é o nome comum das plantas pertencentes ao género botânico Ulex, e também algumas dos géneros Genista e Stauracanthus.
São plantas típicas da flora atlântica da Península Ibérica e de toda Europa temperada.


bookmark_borderO que é lentilha

lentilha | s. f.
len·ti·lha
(latim lenticula, -ae )
substantivo feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta da família das leguminosas (Lens esculenta), de sementes discóides comestíveis.

2. Semente desta planta.

4. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]   Pústula carbunculosa.

5. [Geologia]   [Geologia]   Forma de determinados depósitos entre camadas geológicas estratificadas.


substantivo feminino O próprio grão.
Planta da família das leguminosas, subfamília das papilionáceas, de grãos alimentícios.
Planta usada como alimento desde a Antiguidade. Cresce no Egito, no sul da Europa, no sul do Brasil nos Estados Unidos da América e oeste da Ásia.


Lens culinaris, popularmente chamada de lentilha, é uma pequena planta trepadeira anual, da família das leguminosas, subfamília Faboideae. Essa erva de origem asiática é cultivada universalmente e possui folhas penadas, com folíolos minutos. Suas flores são papilionáceas, pequenas, de cor clara e as vagens são curtas, com uma ou duas sementes discóides. Apresenta também largo uso ornamental em vasos, jardineiras ou em cercaduras de canteiros.


bookmark_borderO que é melancia

melancia | s. f.
me·lan·ci·a
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta cucurbitácea cultivada nos países mediterrânicos pelo seu fruto (pepónio ), de polpa vermelha muito suculenta e refrescante.

2. [Botânica]   [Botânica]   Fruto dessa planta.


substantivo feminino Grande fruto verde com uma deliciosa polpa vermelha ou amarela, constitui-se principalmente de água (93%) e tem um gosto doce e refrescante.
[Botânica] Planta da família das cucurbitáceas, do gênero Citrullus lanatus, nativa do continente africano, com caule rasteiro, folhas trilobadas (três lobos), cujos grandes frutos arredondados possuem uma casca verde e polpa vermelha doce; balancia.
[Botânica] Variedade de maça; melancieira.
[Popular] Pessoa que, embora se auto-declare de direita, tem ideias e faz parte de movimentos de esquerda.
Etimologia (origem da palavra melancia). De origem questionável.


Melancia (Citrullus lanatus) é uma planta da família Cucurbitaceae e do seu fruto. Trata-se de uma trepadeira rastejante originária da África.


bookmark_borderO que é acônito

acónito acônito | s. m.
a·có·ni·to a·cô·ni·to
(grego akóniton, -ou ou akónitos, -ou )
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Designação dada a várias plantas do género Aconitum, da família das ranunculáceas, com uso medicinal e geralmente venenosas para cães e outros animais domésticos.

2. [Botânica]   [Botânica]   Planta venenosa (Aconitum napellus) da família das ranunculáceas, de que se extrai aconitina. = CARRO-DE-VÉNUS• Grafia no Brasil: acônito. • Grafia no Brasil: acônito. • Grafia em Portugal:acónito. • Grafia em Portugal:acónito.


substantivo masculino [Botânica] Nome de um grupo de plantas vistosas que pertencem à família dos ranúnculos.
O acônito se desenvolve nas regiões frias do hemisfério norte. Existem cerca de 100 espécies desta planta, nenhuma nativa do Brasil, embora cultivada nos nossos jardins. As flores do acônito desabrocham na primavera e no verão. Suas cores variam do roxo-azulado ao amarelo e branco. O acônito pode crescer de 30cm a 1,80m de altura. As partes coloridas da planta variam em tamanho e forma, assemelhando-se a capuzes ou capacetes. As raízes, sementes e folhas de algumas espécies são venenosas. Essas espécies produzem o veneno também chamado acônito. Contêm um elemento químico muito forte chamada aconitina, largamente usada no passado como remédio. Os doentes usavam o acônito em forma de linimento para amortecer as dores de origem nevrálgica e reumática. Os médicos costumavam ainda receitar a ingestão de acônito para baixar a temperatura de um paciente febril ou moderar a atividade do coração e dos centros respiratórios. Hoje em dia, porém, os médicos usam remédios mais eficazes e menos perigosos.


O acônito (PT-BR) ou acónito (PT-EU) (Aconitum napellus) é uma planta venenosa, pertencente à família Ranunculaceae muito utilizada em fármacos homeopáticos.
Possui raízes tuberosas e caule ereto, com flores azuis na forma de um elmo. O fruto é uma vesícula.
Os sintomas do envenenamento por sua causa são salivação excessiva, falta de ar, tremores e aceleração dos batimentos cardíacos. Apenas 10 gramas de raíz constituem uma dose letal para o ser humano.
É uma planta vivaz que pode atingir até 1,5 metros de altura, tem folhas verde-escuras, palmeadas e recortadas, flores azuis, raramente brancas, e raiz fusiforme. Dá-se bem nas regiões montanhosas, é medicinal e costuma cultivar-se também em jardins, como planta ornamental.
Todas as suas variedades são venenosas quando a semente já está madura. O Aconitum napellus, comum em terrenos úmidos, cultiva-se muito em jardins. Todas as partes da planta são muito venenosas em virtude de possuírem alcalóides distintos.
Outras espécies de acônito existentes em Espanha e Portugal são a erva toira (A. anthora), ou acônito da saúde, e o matalobos (A. lycoctonum), de flor amarela.
Também pode ser receitado pelo seu Médico para o tratamento da ansiedade, mas só com o conhecimento do Médico.
Introduzido na terapia, o acônito era utilizado como sedativo, diurético e analgésico.


bookmark_borderO que é ginja

ginja | s. f. | adj. 2 g. s. 2 g.
gin·ja
(origem obscura )
nome feminino

1. Fruto da ginjeira.

2. Licor feito com aguardente e ginjas. = GINJINHAadjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

3. Diz-se de ou pessoa enfezada e com ar envelhecido.

4. Diz-se de ou pessoa idosa e agarrada a hábitos antigos ou ultrapassados.

5. [Brasil]   [Brasil]   Diz-se de ou pessoa muito apegada ao dinheiro. = AVARENTO, SOVINA

cair que nem ginjas • Aparecer ou ocorrer no momento certo (ex.: a proposta caiu que nem ginjas na estratégia da banda). = CALHAR QUE NEM GINJAS

calhar que nem ginjas • O mesmo que cair que nem ginjas.

saber que nem ginjas • Ser bom ou muito saboroso; saber bem (ex.: o empadão sabia que nem ginjas).


substantivo feminino Fruto da ginjeira (variedade de cereja muito acidulada).
Bebida fabricada com esse fruto.
substantivo masculino Homem idoso, muito magro e aferrado às tradições.
Velhote avarento.


Ginja ou cereja ácida (Prunus cerasus), também conhecida como amarena, é uma espécie do género Prunus, pertencendo ao subgénero Cerasus (cereja), nativo de grande parte da Europa e do sudoeste asiático. É um parente próximo da cereja Prunus avium, também conhecida como cereja-doce, mas o seu fruto é mais ácido, sendo útil principalmente para fins culinários.
A árvore é menor que a da cereja-doce, alcançando entre 4 a 10 metros de altura. A cor do fruto varia entre o vermelho e o preto, desenvolvendo-se em ramos mais curtos.


bookmark_borderO que é alfeneiro

alfeneiro | s. m.
al·fe·nei·ro
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   O mesmo que alfena. = ALFENHEIRO


substantivo masculino [Botânica] Variação de alfena.
Alfeneiro-do-japão: arbusto oleáceo (Ligustrum japonicum); pl: alfeneiros-do-japão.
Etimologia (origem da palavra alfeneiro). Alfena + eiro.


O Alfeneiro, alfenheiro ou alfena (Ligustrum lucidum, Linnæus), do árabe al-henna, é um arbusto de 1 a 3 metros, com ramos flexíveis, folhas opostas e inteiras, flores brancas e cheirosas, e fruto baciliforme constituído por uma baga pequena, negro-azulada e amarga.
Muito abundante na cidade de Alfena, no Distrito do Porto, Portugal.
Esta planta se emprega nos jardins para o mesmo efeito que o buxo. As suas bagas substituíam as de sabugueiro na fabricação do vinho, para lhe dar cor. É nativo da Europa, onde cresce em matas; principalmente do Norte ao Sul de Portugal, onde surge espontâneo em sebes e bosques; cultivado como planta ornamental; até a 800 metros.
Segundo Aylthon Brandão Joly (1924-1975), que foi doutor em Ciências, Livre Docente em Botânica, professor associado do departamento de Botânica da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, Brasil, o Ligustrum é uma planta da Divisão Angiospermæ, da Classe Dicotyledoneæ, da Subclasse Sympetalæ (Gamopetalæ), da Ordem Oleales, da Família Oleaceæ.
O gênero Ligustrum foi introduzido na Europa, vindo da Ásia, como árvore ornamental, servindo como porta-enxerto (cavalo) para a oliveira, Olea, tradicional símbolo da paz e que produz a conhecida azeitona, fruto drupa rico em óleo. Celso do Lago Paiva, renomado engenheiro agrônomo (Escola Superior de Agronomia Luís de Queirós – Universidade de São Paulo), historiador e genealogista, que, estudando esta planta e a origem do vocábulo Alfena, assegura que no Brasil não existem exemplares de Alfeneiro, ou Alfenheiro, Ligustrum vulgare,que fora descrito por Lineu, mas sim outras espécies do gênero Ligustrum, alguns exemplares com o fungo Colletotrichum ligustri.


bookmark_borderO que é alcaparra

alcaparra | s. f.
al·ca·par·ra
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta hortense da família das caparidáceas.

2. Botão floral desta planta utilizada como condimento.

3. [Portugal: Beira, Trás-os-Montes]   [Portugal: Beira, Trás-os-Montes]   Azeitona curtida sem caroço.


substantivo feminino Botão da flor da alcaparreira usado como condimento.
Os botões fechados são conservados em sal e vinagre para temperar molhos.


A alcaparra (nome científico: Capparis spinosa) é um arbusto da família das Caparidáceas, originário da região mediterrânica. Seus frutos, bagas ovais e carnudas, são considerados afrodisíacos. O termo vem do árabe alcabbar, introduzido na Península Ibérica entre os séculos XV e XVI.
Os seus talos espinhosos podem atingir um metro ou mais de comprimento, e as folhas são grandes e arredondadas. As flores, de cor branca e com grandes estames, nascem na base das folhas. O botão da flor da alcaparra é um ingrediente comum da cozinha mediterrânica, muitas vezes consumido em vinagrete como estimulante do apetite, e já usado na antiga Grécia como calmante. Seus frutos são utilizados na preparação de molhos, vinagretes, pastéis de carne, peixe, bacalhau e marisco.
Em Trás-os-Montes, “alcaparras” é nome comum para as azeitonas partidas e descaroçadas.


bookmark_borderO que é romã

romã | s. f. fem. sing. de romão
ro·mã
(latim [mala] romana, maçã romana )
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Fruto da romãzeira, arredondado e de casca avermelhada ou acastanhada, com interior comestível dividido por uma membrana branca e composto por um conjunto de sementes envoltas numa polpa vermelha ou rosada.

2. [Botânica]   [Botânica]   Planta (Punica granatum) da família das punicáceas. = ROMÃZEIRA, ROMEIRA

3. [Náutica]   [Náutica]   Parte mais grossa do mastro ou mastaréu.
ro·mão ro·mão
adjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

1. Romano.nome masculino

2. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]   Recorte no eixo do carro onde assentam os malhetes.Feminino: romã. Plural: romãos. Feminino: romã. Plural: romãos.


substantivo feminino Fruto de uma planta, a romãzeira, cultivada em quase todas as regiões de clima quente.
A planta cresce em estado silvestre no oeste da Ásia e no noroeste da Índia. É uma planta que forma moitas naturais, mas quando cultivada é podada para se transformar em uma arvoreta. Alcança uma altura de 4,60m a 6m e apresenta galhos delgados. Flores vermelhas crescem na ponta dos galhos. A romã tem uma casca dura e lembra uma laranja de cor vermelho-dourada, com muitas sementes. Cada semente está imersa em uma polpa vermelha de sabor agradável e refrescante.


A romã é o fruto da romãzeira (Punica granatum), comum no mediterrâneo oriental e médio oriente onde a polpa é usada para a preparação de aperitivos, sobremesa ou algumas vezes em bebida alcoólica. O seu interior é subdividido por finas películas, que formam pequenas sementes possuidoras de uma polpa comestível.[carece de fontes?]


bookmark_borderO que é terebinto

terebinto | s. m.
te·re·bin·to
(latim terebinthus, -i )
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   Árvore da família das anacardiáceas, resinosa e sempre verde que abunda nas margens do Mediterrâneo.


substantivo masculino Árvore do sul da França e da África do Norte, cuja casca fornece a terebintina de Quio. (Família das anacardiáceas; gênero Pistacia.).


Pistacia therebinthus é uma espécie de planta com flor pertencente à família Anacardiaceae.
A autoridade científica da espécie é L., tendo sido publicada em Species Plantarum 1025. 1753.Os seus nomes comuns são terebinto ou cornalheira. É nativa da região mediterrânica desde Marrocos, Espanha e Portugal e Ilhas Canárias a ocidente, até à Turquia e Síria a oriente.
Trata-se de uma pequena árvore ou grande arbusto decíduo que pode atingir os 10 metros de altura. As folhas são compostas, com 10 a 20 cm de comprimento. As flores são de cor púrpura avermelhada, aparecendo com as folhas novas no começo da primavera. O fruto consiste de pequenas drupas globulares com 5 a 7 mm de comprimento, de cor vermelha a negra quando maduro. Todas as partes da planta têm um forte odor resinoso.
É utilizada como fonte de terebintina, e possivelmente a mais antiga fonte deste composto.