bookmark_borderO que é banana

banana | s. f. | adj. 2 g. s. 2 g.
ba·na·na
(origem africana )
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Fruto da bananeira, geralmente amarelo e oblongo, de casca espessa, polpa mole e doce.

2. [Botânica]   [Botânica]   Designação de várias plantas monocotiledóneas do género Musa, da família das musáceas, originárias dos países tropicais, cujo fruto é a banana. = BANANEIRA

3. Insuflável cuja forma se assemelha ao fruto da banadeira, usado em actividades náuticas recreativas.

4. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   O pénis .

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Gesto obsceno realizado com os dois braços, cruzando-se um sobre o outro, mantendo-se um deles na vertical, e que serve para ofender alguém. = MANGUITOadjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

6. [Informal, Depreciativo]   [Informal, Depreciativo]   Diz-se de ou indivíduo sem energia, sem iniciativa. = MOLENGA

7. [Informal, Depreciativo]   [Informal, Depreciativo]   Diz-se de ou indivíduo que tem medo de alguma coisa. = COBARDE , MEDRICAS


substantivo feminino Fruto da bananeira, rico em amido e potássio, sem sementes e com casca amarela quando maduro e verde quando verde; pacoba, pacova, pacová.
[Botânica] Planta da família das musáceas, com folhas compridas que podem chegar aos 2 metros, cujos frutos (bananas) se agrupam em cachos, muito cultivada em regiões tropicais, de clima quente; bananeira.
Gesto obsceno que consiste em sobrar o braço e levantar o punho com a mão fechada, segurando o cotovelo com a mão oposta.
Cartucho de dinamite.
substantivo masculino e feminino Pessoa sem energia; palerma: minha irmã se casou com um banana!
Etimologia (origem da palavra banana). De origem desconhecido.


Banana, pacoba ou pacova é uma pseudobaga da bananeira, uma planta herbácea vivaz acaule da família Musaceae (género Musa – além do género Ensete, que produz as chamadas “falsas bananas”). São cultivadas em 130 países. Originárias do sudeste da Ásia são atualmente cultivadas em praticamente todas as regiões tropicais do planeta.
Vulgarmente, inclusive para efeitos comerciais, o termo “banana” refere-se às frutas de polpa macia e doce que podem ser consumidas cruas. Contudo, existem variedades de cultivo, de polpa mais rija e de casca mais firme e verde, geralmente designadas por plátanos, em língua espanhola, banana-pão ou banana-da-terra, em português, ou plantains, em inglês, que são consumidas cozinhadas (assadas, cozidas ou fritas), constituindo o alimento base de muitas populações de regiões tropicais. A maioria das bananas para exportação é do primeiro tipo, ainda que apenas 10 a 15 por cento da produção mundial seja para exportação, sendo os Estados Unidos e a União Europeia as principais potências importadoras.
As bananas formam-se em cachos na parte superior dos “pseudocaules” que nascem de um verdadeiro caule subterrâneo (rizoma ou cormo) cuja longevidade chega a 15 anos ou mais. Depois da maturação e colheita do cacho de bananas, o pseudocaule morre (ou é cortado), dando origem, posteriormente, a um novo pseudocaule.
As pseudobagas formam-se em “pencas” com até cerca de vinte bananas. Os cachos de bananas, pendentes na extremidade do falso caule da bananeira, podem ter 5 a 20 pencas e podem pesar de 30 a 50 kg. Cada banana pesa, em média, 125g, com uma composição de 75% de água e 25% de matéria seca. Bananas são fonte apreciável de vitamina A, vitamina C, fibras e potássio.
Ainda que as espécies selvagens apresentem numerosas sementes, grandes e duras, quase todas as variedades de banana utilizadas na alimentação humana não têm sementes, como frutos partenocárpicos que são, exceção feita à espécie Musa balbisiana, comercializada no mercado indonésio, excepcionalmente com sementes.
Devido ao elevado teor de potássio em sua composição, as bananas são levemente radioativas, mais do que a maioria dos outros frutos, sendo, inclusive, uma fonte natural de antimatéria (ela produz, em média, um pósitron aproximadamente uma vez a cada 75 minutos). Isso se deve à presença do isótopo radioativo potássio-40 (40K), regularmente distribuído no potássio ocorrente na natureza, apesar de que o isótopo comum, potássio-39 (39K), seja não-radioativo. Por esta razão, os ambientalistas em energia nuclear, por vezes, costumam referir-se à “dose equivalente em banana” de radiação para apoiar seus argumentos durante debates em congressos e encontros sobre a matéria. Embora a radioatividade da banana seja muito leve, todavia, grandes carregamentos da fruta em navios podem ser suficientes para disparar detetores ou sensores de radiação em determinadas circunstâncias.


bookmark_borderO que é infrutescência

infrutescência | s. f.
in·fru·tes·cên·ci·a
substantivo feminino

[Botânica]   [Botânica]   Reunião de frutos provenientes das flores de uma inflorescência agrupada.


substantivo feminino [Botânica] Forma de frutificação resultante do desenvolvimento de uma inflorescência.


Assim como os frutos são resultado da fecundação das flores, as infrutescências (um cacho de uvas, por exemplo) são, a rigor, o resultado da fecundação de flores de uma inflorescência. Entretanto, um uso mais corrente do termo “infrutescência” é associado a conjuntos compactos de frutos, onde cada fruto situa-se contíguo ou aderente ao outro, de forma que o conjunto se assemelhe a um grande fruto. Apesar da aparência externa coesa, essas infrutescências podem ser reconhecidas pela sua estrutura interna, apresentando um eixo central ao longo de todo o seu comprimento, com os frutos (semelhantes a “gomos”) inseridos neste.

Algumas infrutescências são conhecidas popularmente e vendidas como frutas, a exemplo do abacaxi e da jaca; mas os verdadeiros frutos são os pequenos gomos encontrados nestas estruturas.
Infrutescências (que em Inglês se denominam multiple fruits ou collective fruits) não devem ser confundidas com frutos múltiplos: a infrutescência é um conjunto de frutos pequenos originados de várias flores separadas; os frutos múltiplos, como o morango a fruta-do-conde, a framboesa ou a amora da silva, originam-se de uma única flor cujo ovário é formado por diversos carpelos livres ou ligeiramente aderentes entre si. Assim, o morango é um fruto múltiplo de aquénios, a framboesa e a amora da silva são frutos múltiplos de drupas (ou drupéolas). .


bookmark_borderO que é melancia

melancia | s. f.
me·lan·ci·a
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta cucurbitácea cultivada nos países mediterrânicos pelo seu fruto (pepónio ), de polpa vermelha muito suculenta e refrescante.

2. [Botânica]   [Botânica]   Fruto dessa planta.


substantivo feminino Grande fruto verde com uma deliciosa polpa vermelha ou amarela, constitui-se principalmente de água (93%) e tem um gosto doce e refrescante.
[Botânica] Planta da família das cucurbitáceas, do gênero Citrullus lanatus, nativa do continente africano, com caule rasteiro, folhas trilobadas (três lobos), cujos grandes frutos arredondados possuem uma casca verde e polpa vermelha doce; balancia.
[Botânica] Variedade de maça; melancieira.
[Popular] Pessoa que, embora se auto-declare de direita, tem ideias e faz parte de movimentos de esquerda.
Etimologia (origem da palavra melancia). De origem questionável.


Melancia (Citrullus lanatus) é uma planta da família Cucurbitaceae e do seu fruto. Trata-se de uma trepadeira rastejante originária da África.


bookmark_borderO que é gabiroba

Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pré-Acordo Ortográfico).

Será que queria dizer gabiroba?

Outras sugestões: gabarola gabirus ganiria Gaborone gabiru sabidona galrona galifona gabiara (norma brasileira, na grafia pré-Acordo Ortográfico) gabiões (norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico) gabiona (norma brasileira) gabionam (norma brasileira) gabionar (norma brasileira) gabirobas (norma brasileira) Guabiruba (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino Variação de guabiroba.
Etimologia (origem da palavra gabiroba). Do tupi yuá ueráua.


Gabiroba, guabiroba, guabirova, guavirova, gavirova, araçá-congonha ou gabiraba são os nomes populares dado ao fruto produzido pela Campomanesia xanthocarpa, árvore da família Myrtaceae.
Em Mato Grosso do Sul, é conhecida por “Guavira”.


bookmark_borderO que é pixídio

pixídio | s. m.
pi·xí·di·o |cs| pi·xí·di·o |cs|
(grego piksídion, -ou, pequena caixa, de puksís, -ídos, caixa de buxo )
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Género de frutos secos e uniloculares.

2. [Botânica]   [Botânica]   Cápsula com deiscência transversal em que a parte superior se levanta, como a tampa de uma caixa. = PÍXIDE


substantivo masculino [Botânica] Gênero de frutos secos que se abrem transversalmente como na sapucaia.


Pixídio é um fruto seco e deiscente, com um tipo de abertura bastante particular: a parte superior do ovário (ou a parte correspondente ao estigma e ao estilete) destaca-se do restante do fruto na maturação, como uma tampa(também chamada de opérculo ou calíptra) Usualmente esses frutos são pêndulos, e ao abrir a “tampa” as sementes são liberadas pela força da gravidade.
Pixídios são comuns em papoulas e em alguns gêneros da família Lecythidaceae.


bookmark_borderO que é grumixameira

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. grumixá Meira (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino Árvore da família das mirtáceas.


A grumixama (Eugenia brasiliensis Lam., da família Myrtaceae) é uma árvore brasileira da floresta pluvial da Mata Atlântica, também chamada xaneira de nega, grumixaba, grumixameira, cumbixaba, ibaporoiti e gurumixameira.Árvore de até 15 metros de altura, nativa das matas primárias desde a Bahia até Santa Catarina, em mata aluviais e encostas suaves, é, hoje, rara. Possuem três variedades, a xaneira anã, xaneira amarela e a xaneira grande!!
Seus frutos – pequenas bagas esféricas roxas-escuras, com polpa aquosa levemente ácida e de uma ou duas sementes -, além do consumo humano, atraem a avifauna.


bookmark_borderO que é jamelão

jamelão | s. m.
ja·me·lão
(alteração de jambolão )
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Árvore (Syzygium cumini) da família das mirtáceas.

2. [Botânica]   [Botânica]   Fruto dessa árvore.


substantivo masculino [Brasil] Árvore da família das mirtáceas.


O jamelão, jambolão, jamborão, baguaçu, jalão, joão-bolão, topin, manjelão, azeitona-preta, ameixa roxa, baga-de-freira, oliveira,azeitona-roxa, brinco-de-viúva ou guapê (Syzygium cumini, ex-Eugenia jambolana Lam. ou Syzygium jambolanum DC.) é o fruto da planta de mesmo nome da família Myrtaceae. A espécie é nativa da Índia.
São árvores que podem chegar até dez metros de altura. Possuem frutos pequenos e arroxeados quando maduros. A coloração dos frutos provoca manchas nas mãos, tecidos, calçados e pinturas de veículos, tornando a planta pouco indicada para o preenchimento de espaços públicos.
O fruto possui uma semente única e grande, quando comparada com o tamanho do fruto, envolta por uma polpa carnosa. Apesar de sabor um pouco adstringente, é agradável ao paladar. Na Índia, além de ser consumido in natura, é usado na confecção de doces e tortas.
Na Região Nordeste do Brasil, é conhecida como “azeitona-preta” ou “azeitona-roxa”, oliveira, e jamelão dependendo do estado. Nessa região, a planta adaptou-se tão bem que se tornou espécie subespontânea, sendo chamada de “brinco-de-viúva”. Também é comum no litoral paranaense, onde recebe o nome de “guapê”.
Apesar de as árvores desta espécie serem abundantemente usadas em arborização urbana, os jamelões são pouco comercializados, em decorrência de sua alta perecibilidade. Os jamelões costumam deixar as calçadas manchadas de roxo devido à queda dos frutos maduros.


bookmark_borderO que é ginja

ginja | s. f. | adj. 2 g. s. 2 g.
gin·ja
(origem obscura )
nome feminino

1. Fruto da ginjeira.

2. Licor feito com aguardente e ginjas. = GINJINHAadjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

3. Diz-se de ou pessoa enfezada e com ar envelhecido.

4. Diz-se de ou pessoa idosa e agarrada a hábitos antigos ou ultrapassados.

5. [Brasil]   [Brasil]   Diz-se de ou pessoa muito apegada ao dinheiro. = AVARENTO, SOVINA

cair que nem ginjas • Aparecer ou ocorrer no momento certo (ex.: a proposta caiu que nem ginjas na estratégia da banda). = CALHAR QUE NEM GINJAS

calhar que nem ginjas • O mesmo que cair que nem ginjas.

saber que nem ginjas • Ser bom ou muito saboroso; saber bem (ex.: o empadão sabia que nem ginjas).


substantivo feminino Fruto da ginjeira (variedade de cereja muito acidulada).
Bebida fabricada com esse fruto.
substantivo masculino Homem idoso, muito magro e aferrado às tradições.
Velhote avarento.


Ginja ou cereja ácida (Prunus cerasus), também conhecida como amarena, é uma espécie do género Prunus, pertencendo ao subgénero Cerasus (cereja), nativo de grande parte da Europa e do sudoeste asiático. É um parente próximo da cereja Prunus avium, também conhecida como cereja-doce, mas o seu fruto é mais ácido, sendo útil principalmente para fins culinários.
A árvore é menor que a da cereja-doce, alcançando entre 4 a 10 metros de altura. A cor do fruto varia entre o vermelho e o preto, desenvolvendo-se em ramos mais curtos.


bookmark_borderO que é caqui

caqui | s. m. caqui | s. m. | adj. 2 g. cáqui | s. m. | adj. 2 g. cáqui | s. m.
ca·qui 2
(japonês kaki )
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   Fruto do caquizeiro, de cor vermelha ou alaranjada e polpa gelatinosa. = CÁQUI, DIÓSPIRO
ca·qui ca·qui 1
(inglês khaki, do hindustâni khaki, cor de barro )
nome masculino

1. [Portugal]   [Portugal]   Cor amarelada ou acastanhada, característica de um tipo de terra ou de um tipo de barro.

2. [Portugal]   [Portugal]   Fazenda de algodão, amarelada ou acastanhada, usada em fardamentos militares ou afins.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

3. [Portugal]   [Portugal]   Que tem cor amarelada ou acastanhada.

Sinónimo Sinônimo Geral: CÁQUI
cá·qui cá·qui 1
(inglês khaki, do hindustâni khaki, cor de barro )
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   Cor amarelada ou acastanhada, característica de um tipo de terra ou de um tipo de barro.

2. [Brasil]   [Brasil]   Fazenda de algodão, amarelada ou acastanhada, usada em fardamentos militares ou afins.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

3. [Brasil]   [Brasil]   Que tem cor amarelada ou acastanhada.

Sinónimo Sinônimo Geral: CAQUI
cá·qui cá·qui 2
(japonês kaki )
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   Fruto do caquizeiro, de cor vermelha ou alaranjada e polpa gelatinosa. = CAQUI, DIÓSPIRO


substantivo masculino Fruto doce e vermelho do caquizeiro; dióspiro.
[Botânica] Caquizeiro, árvore de origem japonesa, da família das ebenáceas, Diospyros kaki, muito cultivada por seus frutos com propriedades adstringentes, os caquis.
Confrontar com: cáqui.
Etimologia (origem da palavra caqui). Do japonês kaki.


O caqui (português brasileiro) ou dióspiro (português europeu) é o fruto do caquizeiro (português brasileiro) ou diospireiro (português europeu), uma árvore da família Ebenaceae. O nome dióspiro (Diospyros) tem origem no grego: διόσπυρος (dióspyros), que significa alimento de Zeus, enquanto caqui vem do japonês kaki (柿).
Existem diversas variedades: a vermelha, quando madura, é muito doce e mole e precisa de muito cuidado no transporte para não se amassar. Esta variedade é muito consumida em Portugal. A variedade conhecida como caqui-sileide ou caqui-café (no Brasil) é de cor alaranjada e no interior tem riscas cor de chocolate. É mais dura e resistente e não tão doce como a vermelha. Tem poucas calorias (cerca de 80 por 100 g) e possui vitaminas A, B1, B2 e E, além de cálcio, ferro e proteínas.
O caqui é muito cultivado na região sul do Brasil e no estado de São Paulo, particularmente em Itatiba, Piedade e em Mogi das Cruzes, conhecida como Terra do Caqui, pois o fruto dá-se bem em climas amenos e frios (subtropical e temperado). No Brasil, as primeiras variedades do caqui doce foram trazidas por imigrantes japoneses em 1916; até então, os brasileiros só conheciam o caqui do tipo adstringente, aquele que «amarra a boca».Em 2018, São Paulo era o maior produtor de caqui do Brasil, com 58% da produção nacional. O Rio Grande do Sul vinha em 2º lugar com 19%, Minas Gerais em 3º lugar com 8%, e o Rio de Janeiro em 4º lugar com 6%.É também cultivado em Portugal, nomeadamente na região das Beiras.


bookmark_borderO que é graviola

graviola | s. f.
gra·vi·o·la
(origem obscura )
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Árvore frutífera (Annona muricata) perenifólia da família das anonáceas, de folhas simples oblongas, flores solitárias carnudas de cor amarela esverdeada e frutos geralmente ovalados.

2. [Botânica]   [Botânica]   Fruto comestível dessa árvore, geralmente de cor verde, coberto de saliências espinhosas, com polpa branca, fibrosa e agridoce.

Sinónimo Sinônimo Geral: ATA, PINHA, SAPE-SAPE


substantivo feminino Variação de cherimólia.
Peça de madeira em que, nos estaleiros, repousa a quilha dos navios.
Fruto da graviola-do-norte.
Graviola-do-norte: árvore anonácea frutífera (Anona muricata). Variação de gravéola.


A graviola (Annona muricata) é uma planta originária das Antilhas, onde se encontra em estado silvestre.
Nos Andes do Peru, a folha é tradicionalmente usada como chá no tratamento de catarro excessivo. As sementes tem ação anti parasitaria, as raízes e as folhas eram utilizadas para diabetes; no Brasil, tornou-se subespontânea na Amazônia. Prefere climas úmidos e baixa altitude.
Popularmente é conhecida como: araticum de comer, araticum do grande, araticum manso, araticum, jaca, jaca de pobre, coração, coração de rainha, jaca do Pará, jaqueira mole. Em Minas Gerais é também conhecida como pinha. No Maranhão é chamada jacama e fruta-pão. Em Angola é conhecida por sape-sape. Em Moçambique é conhecida como anona.
A graviola é amplamente promovida como tratamento alternativo contra o câncer, mas não há evidências médicas de que seja eficaz no tratamento de câncer ou de qualquer outra doença.