bookmark_borderO que é homossexualidade

homossexualidade | s. f.
ho·mos·se·xu·a·li·da·de |cs| ho·mos·se·xu·a·li·da·de |cs|
(homossexual + -idade )
nome feminino

Atracção ou interesse sexual pelo mesmo sexo.


substantivo feminino Natureza, característica ou particularidade de homossexual.
Característica de quem se sente atraído (sexualmente e/ou emocionalmente) por uma pessoa do mesmo sexo.
Etimologia (origem da palavra homossexualidade). Homossexual + idade.


Homossexualidade (do grego antigo ὁμός (homos), igual + latim sexus = sexo) refere-se à característica, condição ou qualidade de um ser (humano ou não) que sente atração física, estética e/ou emocional por outro ser do mesmo sexo ou gênero. Enquanto orientação sexual, a homossexualidade se refere a “um padrão duradouro de experiências sexuais, afetivas e românticas” principalmente ou exclusivamente entre pessoas do mesmo sexo; “também se refere a um indivíduo com senso de identidade pessoal e social com base nessas atrações, manifestando comportamentos e aderindo a uma comunidade de pessoas que compartilham da mesma orientação sexual.”A homossexualidade é uma das principais categorias de orientação sexual, ao lado da bissexualidade, da pansexualidade, da heterossexualidade e da assexualidade. Também é registrada em cerca de 5 000 espécies (sendo bem estudada e devidamente comprovada em cerca de 500 delas), incluindo minorias significativas em seres tão diversos quanto mamíferos, aves e platelmintos. A prevalência da homossexualidade entre os humanos é difícil de determinar com precisão; na sociedade ocidental moderna, os principais estudos indicam uma prevalência de 2% a 13% de indivíduos homossexuais na população, enquanto outros estudos sugerem que aproximadamente 22% da população apresente algum grau de tendência homossexual.Ao longo da história da humanidade, os aspectos individuais da homossexualidade foram admirados, tolerados ou condenados, de acordo com as normas sexuais vigentes nas diversas culturas e épocas em que ocorreram. Quando admirados, esses aspectos eram entendidos como uma maneira de melhorar a sociedade; quando condenados, eram considerados um pecado ou algum tipo de doença, sendo, em alguns casos, proibidos por lei. Desde meados do século XX, a homossexualidade tem sido gradualmente desclassificada como doença e descriminalizada em quase todos os países desenvolvidos e na maioria do mundo ocidental. Entretanto, o estatuto jurídico das relações homossexuais ainda varia muito de país para país. Enquanto em alguns países o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legalizado, em outros, certos comportamentos homossexuais são crimes com penalidades severas, incluindo a pena de morte (por exemplo, o Irã condena homossexuais ao enforcamento, enquanto a Arábia Saudita os apedreja).As principais organizações internacionais de saúde (incluindo as de psicologia) afirmam que ser homossexual ou bissexual são características compatíveis com uma saúde mental e um ajustamento social completamente normais; tais instituições médicas também não recomendam que as pessoas tentem alterar a sua condição sexual, pois isto, além de ineficaz, pode causar danos psicológicos. Em 1973, a homossexualidade deixou de ser classificada como um transtorno, quando foi excluída do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) da Associação Americana de Psiquiatria. Em 1975, a Associação Americana de Psicologia adotou o mesmo procedimento. No Brasil, em 1984, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) posicionou-se contra a discriminação e considerou a homossexualidade algo que não prejudica a sociedade. Em 1985, a ABP foi seguida pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), que deixou de considerar a homossexualidade um desvio sexual e, em 1999, estabeleceu regras para a atuação dos psicólogos em relação às questões de orientação sexual, declarando que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão” e que os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham terapias de reorientação sexual. No dia 17 de maio de 1990, a Assembleia-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais, a Classificação Internacional de Doenças (CID), data que passou a ser celebrada como o Dia Internacional contra a Homofobia. Por fim, em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos.


bookmark_borderO que é gay

gay | adj. 2 g. s. 2 g.
gay |guei|
(palavra inglesa )
adjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

O mesmo que homossexual.Plural: gays. Plural: gays.


adjetivo Relativo a homossexualidade: relacionamento gay.
Que se sente sexual ou emocionalmente atraído por pessoas do mesmo sexo.
Que pratica relações sexuais com pessoas do mesmo sexo.
Que demonstra comportamentos, particularidades ou ações características de homossexual: evento gay.
substantivo masculino e feminino Pessoa cuja atração afetiva ou emocional é demonstrada ou direcionada a pessoas do mesmo sexo; homossexual.
Etimologia (origem da palavra gay). Do inglês gay.


Gay (AFI: [ˈgej]; do inglês gay, ‘alegre, jovial’, proveniente do francês medieval gai, ‘que inspira alegria’, e este, possivelmente, originário do gótico gaheis, ‘impetuoso’ ou do latim tardio gáius, em português de mesma origem, gaio), ou, mais raramente, guei, é uma palavra inglesa utilizada normalmente para se designar o indivíduo, homem ou mulher, homossexual.
O termo inglês foi incorporado em outras línguas, sendo usada com muita frequência no Brasil e em Portugal. Embora, algumas vezes, gay seja usado como denominador comum entre homens e mulheres homossexuais e bissexuais, tal uso tem sido constantemente rejeitado por implicar na invisibilidade ante a lesbianidade e a bissexualidade. Da mesma forma, o senso comum, algumas vezes, atribui a palavra a pessoas travestis ou transexuais, atribuição esta resultante do desconhecimento da distinção entre sexualidade e gênero.


bookmark_borderO que é pegação

pegação | s. f.
pe·ga·ção
(pegar + -ção )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de pegar.

2. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Busca de envolvimento libidinoso com alguém. = BOLINAÇÃO, BOLINAGEM, ESFREGAÇÃO


substantivo feminino Ação ou efeito de pegar, de agarrar ou de segurar alguém.
Ato que consiste em beijar alguém na boca, abraçando essa pessoa com muita intensidade, buscando trocar intimidades de maneira libidinosa; esfregação, bolinação: pegação no centro da cidade virou caso de polícia.
Ação de buscar alguém somente para se satisfazer sexualmente: não queria compromisso, só pegação!
Etimologia (origem da palavra pegação). Pegar + ção.


Pegação se refere ao ato de ir a um local para realizar flerte, paquera, namoro e jogos de insinuação com pessoas desconhecidas, comumentemente entre homens. Alguns homens heterossexuais participam da prática em busca de um experiência distinta, mesmo que preferiram mulheres. Nos, assim chamados, espaços de pegação, sexo pode ser a finalidade imediata para a grande maioria dos homens. A prática é também conhecida pela palavra em língua inglesa como cruising.


bookmark_borderO que é sodomia

sodomia | s. f.
so·do·mi·a
(latim medieval sodomia, do latim Sodoma, -orum, topónimo [Médio Oriente ] )
nome feminino

Prática sexual em que há penetração do ânus com o pénis . = SODOMITISMOConfrontar: sodemia.


substantivo feminino Relação sexual anal entre um homem e outro; sexo anal entre um homem e uma mulher.
Etimologia (origem da palavra sodomia). Do latim sodomia.


Sodomia é uma palavra de origem bíblica usada para designar atos praticados pelos moradores da cidade de Sodoma. Por muitos anos sodomia era interpretado como práticas sexuais.
De acordo com a definição dos dicionários de língua portuguesa, a sodomia é a prática de sexo anal entre um homem e outro homem ou uma mulher.


bookmark_borderO que é pederastia

pederastia | s. f.
pe·de·ras·ti·a
(grego paiderastía, -as, amor às crianças, amor aos rapazes )
nome feminino

1. Relação sexual mantida entre um menor e um adulto.

2. Relação sexual entre indivíduos do sexo masculino.


substantivo feminino Contato sexual entre um homem mais velho e um garoto bem mais jovem.
[Por Extensão] Pej. Homossexualidade percebida em indivíduos do sexo masculino.
Etimologia (origem da palavra pederastia). Do grego paiderastía.as.


O termo pederastia (do grego clássico παιδεραστής, composto de παῖς, “criança”, e ἐράω, “amar”) designa o relacionamento erótico entre um homem e um menino. Por extensão de sentido, foi um termo bastante utilizado para designar até então a homossexualidade enquanto doença psicológica.


bookmark_borderO que é tribadismo

tribadismo | s. m.
tri·ba·dis·mo
(tríbade + -ismo )
nome masculino

1. Prática sexual caracterizada pelo atrito recíproco dos órgãos genitais de duas mulheres.

2. Homossexualidade feminina. = LESBIANISMO, SAFISMO

Sinónimo Sinônimo Geral: TRIBADIA


substantivo masculino Homossexualismo feminino, em que a relação se dá pelo atrito recíproco dos órgãos genitais; lesbianismo.


Tribadismo é uma forma de praticar o ato sexual lésbico. Termo de origem grega para designar frotação ou esfregação, do vocábulo tríbade. É o ato de roçar ou esfregar a genitália na genitália da parceira ou outra parte do corpo.


bookmark_borderO que é travesti

travesti | s. 2 g. 1ª pess. sing. pret. perf. ind. de travestir 2ª pess. pl. imp. de travestir
tra·ves·ti
(francês travesti )
nome de dois géneros

1. Disfarce sob o traje de outro sexo.

2. Papel de um actor com vestuários usuais no outro sexo.

3. Pessoa que pratica o travestismo. = TRANSFORMISTA
tra·ves·tir tra·ves·tir – Conjugar
(francês travestir )
verbo transitivo e pronominal

1. Transformar ou transformar-se de maneira a adoptar o vestuário, os hábitos sociais e comportamentos usuais do sexo oposto.verbo transitivo

2. Mudar ou disfarçar alguma coisa.

Sinónimo Sinônimo Geral: TRANSVESTIR


substantivo masculino e feminino Em espetáculos ou shows, o artista que se veste com roupas características do sexo oposto.
Geralmente, refere-se aos homossexuais cujas vestes e/ou comportamentos denotam particularidades ou ações características do sexo oposto.
Etimologia (origem da palavra travesti). Do francês travesti.


A travestilidade ou travestibilidade, referente às pessoas travestis, é uma expressão de gênero que difere da que foi designada à pessoa no nascimento, assumindo, portanto, um papel de gênero diferente daquele da origem do seu nascimento, que objetiva transicionar para uma expressão diferente. Na maioria de suas expressões, a travestilidade se manifesta em pessoas designadas do gênero masculino no nascimento, mas que objetivam a construção do feminino, através de suas roupas e podendo incluir ou não procedimentos estéticos e cirúrgicos.De acordo com Jaqueline Gomes de Jesus, a categoria travesti é mais antiga que a categoria transexual, pois essa categoria existia antes dos avanços médicos, tais como hormônios sintéticos e cirurgias plásticas responsáveis atualmente pela alteração morfológica e não mais apenas alteração de vestimentas como no passado, por ser uma ideia mais antiga é mais utilizada no hábito popular. Essa maior utilização, no entanto, é marcada pelo preconceito, já que o sentido empregado é, grande parte das vezes, pejorativo. Para esta autora, a maioria das travestis prefere ser tratada no feminino, considerando insultuoso serem adjetivadas no masculino, portanto, a estas deve-se referir como as travestis e não os travestis, por exemplo. Assim, pode-se definir como travesti as pessoas designadas com um determinado gênero ao nascer, mas que vivenciam um papel de gênero oposto podendo se reconhecerem como homens, mulheres ou membros de um terceiro gênero ou de um não-gênero como agênera, identidade não binária.


bookmark_borderO que é transexualidade

transexualidade | s. f.
tran·se·xu·a·li·da·de |trãsècs| tran·se·xu·a·li·da·de |trãsècs|
(transexual + -idade )
nome feminino

Qualidade do que é transexual.
Ver também dúvida linguística: grafia e pronúncia de transexual.


substantivo feminino Traços particulares de transexual.
Etimologia (origem da palavra transexualidade). Transexual + (i)dade.


Transexualidade refere-se à condição do indivíduo cuja identidade de gênero difere daquela designada no nascimento. Uma pessoa transexual pode procurar fazer a transição social para outro gênero, através da forma como se apresenta ou de intervenções no corpo (com ou sem ajuda de equipe médica) podendo ser redesignação sexual ou apenas feminilização/masculinização dependendo do gênero a ser transicionado (administração de hormônios, cirurgias plásticas e cirurgia de redesignação sexual).A feminilização/masculinização envolve aspectos comportamentais, de vestimenta ou vestuário e biológicos anatômicos, sendo os dois primeiros ligados meramente a questões sociais e o último ligado ao dimorfismo sexual na espécie humana.
A França, onde a transexualidade deixou de ser considerada como transtorno mental em 2010, foi o primeiro país a tomar esta decisão. Em 2018, a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a transexualidade da lista de transtornos mentais, porém, continua na Classificação Estatística Internacional de Doenças (CID), mas em uma nova categoria, denominada “saúde sexual”.