bookmark_borderO que é babaca

babaca | adj. 2 g. s. 2 g. | adj. 2 g. | s. f. babaça | s. m. ou f.
ba·ba·ca
(origem controversa )
adjectivo de dois géneros e substantivo de dois géneros adjetivo de dois géneros e substantivo de dois géneros

1. [Brasil]   [Brasil]   Que ou quem é muito ingénuo . = BOBO, BOBOCA, TOLO

2. [Brasil]   [Brasil]   Que ou quem tem pouca inteligência ou capacidade de decisão. = BOBO, BOBOCAadjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

3. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Que não é estimulante, interessante ou relevante (ex.: personagem babaca). = DESINTERESSANTE, IRRELEVANTE, SUPERFICIALsubstantivo feminino

4. [Brasil, Calão]   [Brasil, Tabuísmo]   Conjunto das partes genitais femininas. = VULVA
ba·ba·ça ba·ba·ça
(quimbundo ma’basa )
substantivo masculino ou feminino

[Brasil]   [Brasil]   Irmão ou irmã gémea (ou irmã gémea ). = BABAÇO, MABAÇA


substantivo masculino e feminino Quem se deixa enganar por ser muito ingênuo; simplório, tolo: o babaca comprou o carro usado como novo.
Desprovido de inteligência, de perspicácia; idiota.
Ausente de importância, de conteúdo, de interesse; insignificante.
adjetivo Que é tolo, bobo, idiota, simplório, insignificante: cantor babaca; espetáculo babaca; amigo babaca.
substantivo feminino [Pejorativo] Designação vulgar da genitália feminina; vulva.
Etimologia (origem da palavra babaca). De origem questionável; talvez do tupi babaquara.


Babaca é um termo muito utilizado no português brasileiro para designar, de forma insultiva, uma pessoa tola, ingênua, boba, idiota ou de baixo intelecto.


bookmark_borderO que é linguagem

linguagem | s. f. | s. f. pl.
lin·gua·gem
(provençal lenguatge )
nome feminino

1. Expressão do pensamento pela palavra, pela escrita ou por meio de sinais.

2. O que as coisas significam.

3. Voz dos animais.

4. Estilo.
linguagensnome feminino plural

5. Conjugação dos verbos.Confrontar: lingagem.


substantivo feminino Faculdade que têm as pessoas de se comunicar umas com as outras, exprimindo pensamentos e sentimentos por palavras, que podem ser escritas, quando necessário.
Maneira de falar, relativamente às expressões, ao estilo: linguagem obscura.
Voz, grito, canto dos animais: linguagem dos papagaios.
Modo de se exprimir por meio de símbolos, formas artísticas etc.: a linguagem do cinema.
[Linguística] Sistema organizado através do qual é possível se comunicar por meio de sons, gestos, signos convencionais.
Sistema de símbolos que permite a representação de uma informação; código: linguagem do teatro.
Capacidade natural da espécie humana para se comunicar por um a língua.
Maneira particular de se comunicar usada por um grupo específico; jargão: linguagem da rua.
expressão [Informática] Linguagem de programação. Conjunto de regras que, criadas artificialmente, servem para dar instruções padronizadas a um computador, permitindo que os programadores codifiquem suas intenções mais facilmente.
Linguagem formal. Linguagem simbólica que serve de axiomas e leis, bem como de normas especiais, em oposição à linguagem natural.
Linguagem natural. Conjunto de sinais que se empregam e interpretam indistintivamente (como a fala, o grito, os olhares, os gestos etc.).
Etimologia (origem da palavra linguagem). Língua + agem.


Linguagem pode se referir tanto à capacidade especificamente humana para aquisição e utilização de sistemas complexos de comunicação, quanto a uma instância específica de um sistema de comunicação complexo.[3] O estudo científico da linguagem, em qualquer um de seus sentidos, é chamado linguística.[4]Atualmente, entre 3000 e 6000 línguas são usadas pela espécie humana, e um número muito maior era usado no passado. As línguas naturais são os exemplos mais marcantes que temos de linguagem. Outros tipos de linguagem se baseiam na observação visual e auditiva, como as línguas de sinais e a escrita. Os códigos e outros sistemas de comunicação construídos artificialmente, como aqueles usados ​​para programação de computadores, também podem ser chamados de linguagens – a linguagem, nesse sentido, é um sistema de sinais para codificação e decodificação de informações. A palavra portuguesa deriva do francês antigo langage.[nota 1] Quando usada como um conceito geral, a palavra “linguagem” refere-se a uma faculdade cognitiva que permite aos seres humanos aprender e usar sistemas de comunicação complexos.
A linguagem humana enquanto sistema de comunicação é fundamentalmente diferente e muito mais complexa do que as formas de comunicação das outras espécies. Ela se baseia em um diversificado sistema de regras relativas a símbolos para os seus significados, resultando em um número indefinido de possíveis expressões inovadoras a partir de um finito número de elementos. De acordo com os especialistas, a linguagem pode ter se originado quando os primeiros hominídeos começaram a cooperar, adaptando sistemas anteriores de comunicação baseados em sinais expressivos a fim de incluir a teoria da mente, compartilhando assim intencionalidade. Nessa linha, o desenvolvimento da linguagem pode ter coincidido com o aumento do volume do cérebro, e muitos linguistas acreditam que as estruturas da linguagem evoluíram a fim de servir a funções comunicativas específicas. A linguagem é processada em vários locais diferentes do cérebro humano, mas especialmente na área de Broca e na Área de Wernicke.[5] Os seres humanos adquirem a linguagem através da interação social na primeira infância. As crianças geralmente já falam fluentemente quando estão em torno dos três anos de idade.[6]O uso da linguagem tornou-se profundamente enraizado na cultura humana para comunicar e compartilhar informações, mas também como expressão de identidade e de estratificação social, para manutenção da unidade em uma comunidade e para o entretenimento. A palavra “linguagem” também pode ser usada para descrever o conjunto de regras que torna isso possível, ou o conjunto de enunciados que pode produzir essas regras.
Todas as línguas contam com o processo de semiose, que relaciona um sinal com um determinado significado. Línguas faladas e línguas de sinais contêm um sistema fonológico que rege a forma como os sons ou os símbolos visuais são articulados a fim de formar as sequências conhecidas como palavras ou morfemas; além de um sistema sintático para reger a forma como as palavras e os morfemas são utilizados a fim de formar frases e enunciados. Línguas escritas usam símbolos visuais para representar os sons das línguas faladas, mas elas ainda necessitam de regras sintáticas que governem a produção de sentido a partir da sequências das palavras. As línguas evoluem e se diversificam ao longo do tempo. Por isso, sendo a língua uma realidade essencialmente variável, não há formas de falar intrinsecamente erradas. A noção de certo e errado tem origem na sociedade, não na estrutura da língua.[7][8][9]A história de sua evolução pode ser reconstruída a partir de comparações com as línguas modernas, determinando assim quais características as línguas ancestrais devem ter tido para as etapas posteriores terem ocorrido. Um grupo de idiomas que descende de um ancestral comum é conhecido como família linguística. As línguas mais faladas no mundo atualmente são as pertencentes à família indo-europeia, que inclui o inglês, o espanhol, o português, o russo e o hindi; as sino-tibetanas, que incluem o chinês, mandarim, cantonês e outras; as semíticas, que incluem o árabe, o maltês, o amárico e o hebraico; e as bantu, que incluem o suaíli, o zulu, o shona e centenas de outras línguas faladas em toda a África.


bookmark_borderO que é semiose

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. simbiose se miose seios sumisse semeasse semeies sérios sécios esmiole (norma brasileira) zenisse (norma brasileira) zimeose (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino Processo de significação e de produção de significados.
[Linguística] Processo capaz de produzir e gerar signos, partindo da premissa de que há uma relação recíproca entre significado e significante.
[Linguística] Segundo Charles Peirce, operação através da qual é possível produzir significados pelo uso dos signos e da sua relação com o objeto e a interpretação.
Etimologia (origem da palavra semiose). Semio + ose; pelo inglês semiosis.


Dentro da ciência dos signos (Semiologia; Semiótica), semiose foi o termo introduzido por Charles Sanders Peirce para designar o processo de significação, a produção de significados.


bookmark_borderO que é dialogismo

dialogismo | s. m.
di·a·lo·gis·mo
nome masculino

1. Arte, género do diálogo.

2. [Retórica]   [Retórica]   Monólogo em forma de diálogo.


substantivo masculino Arte de dialogar.
Etimologia (origem da palavra dialogismo). Do grego dialogismos.


Dialogismo é o princípio unificador da obra dos filósofos russos Mikhail Bakhtin e Valentin Volóchinov. O dialogismo é constituído por relações entre índices sociais de valores que constituem o enunciado, compreendido como unidade da interação social.
O sujeito social, ao se deparar com outros enunciados, interage com os discursos num ato responsivo, concordando ou discordando, complementando e se construindo na interação. Portanto, a língua tem a propriedade de ser dialógica e os enunciados são proferidos por vozes, pois o discurso de alguém se encontra com o discurso de outrem, participando, assim, de uma interação viva. Mesmo num monólogo, há dialogismo, pois nesse ato, aparentemente individual, há vozes que dialogam. Portanto, o dialogismo não se restringe ao diálogo face a face, mas a todo enunciado no processo de comunicação manifestado em diferentes dimensões.


bookmark_borderO que é vernáculo

vernáculo | adj. | s. m.
ver·ná·cu·lo
(latim vernaculus, -a, -um, de escravo nascido em casa, de escravo )
adjectivo adjetivo

1. Próprio do país ou da nação a que pertence. = NACIONAL

2. [Figurado]   [Figurado]   Diz-se da linguagem sem incorrecções e sem inclusão de estrangeirismos. = CASTIÇO

3. Que se expressa de modo rigoroso e sem incorrecções (ex.: escritor vernáculo).nome masculino

4. Língua própria de um país ou de uma região.


adjetivo Particular ou característico de um país, uma nação, de uma região etc.: idioma vernáculo; hábitos vernáculos.
[Figurado] Diz-se da linguagem desprovida de estrangeirismos, que se apresenta com vocabulário e/ou construções sintáticas originais e corretas; castiço, polido, purista.
Que se expressa com rigor e perfeição na linguagem.
substantivo masculino [Linguística] Idioma particular falado num país (nação ou região); língua nacional: alguns países ainda ensinam o vernáculo.
Etimologia (origem da palavra vernáculo). Do latim vernaculus.e.um,.


Vernáculo é o nome que se dá ao idioma próprio de um país, de uma nação ou região; é a língua nacional. Vernáculo é utilizado sempre para designar o idioma puro, utilizado tanto no falar, como no escrever; sem utilizar palavras de idiomas estrangeiros (estrangeirismos).
Esse termo – oriundo do latim vernaculum – era utilizado para designar os escravos que nasciam na casa do seu patrão, isto é, pertenciam a uma região específica.
O termo vernáculo é também utilizado na área jurídica e do Direito para designar os termos corretos a serem utilizados, por exemplo, na elaboração de petições.
A origem do verbete vernáculo é muito antiga, tendo sido mencionado há séculos, quando estudos científicos, filosóficos ou religiosos eram publicados na Europa Ocidental

Língua vernacular e língua litúrgicaPode-se entender uma língua vernacular contrastando-a à uma língua litúrgica. Como exemplo, até o início da década de 1960 os católicos romanos de rito latino assistiam às suas celebrações religiosas (missas) em latim, ao invés do idioma de seus países ou regiões. Até hoje, a igreja copta celebra suas liturgias em língua copta. Já a Igreja Ortodoxa Etíope celebra liturgias na língua ge’ez.
A Reforma Protestante pregava a leitura vernacular da Bíblia e de outros escritos religiosos em detrimento da leitura ortodoxa da Igreja. Já a igreja católica romana só permitiu o uso de línguas vernáculas em suas liturgias a partir da década de 1960, com o Concílio Vaticano II.
Atualmente, a expressão vernacular tem sido usada em publicações nas quais se busca reproduzir a linguagem coloquial da classe média ou trabalhadora. Em alguns casos, isto significa a inclusão de gírias ou de expressões coloquiais regionais.
No Direito brasileiro, em todos os termos e atos de processo é obrigatório o uso do vernáculo.


bookmark_borderO que é interpretação

interpretação | s. f. derivação fem. sing. de interpretar
in·ter·pre·ta·ção
nome feminino

1. Sentido em que se toma o que se ouve ou o que se lê, e que se julga ser o verdadeiro.

2. Explicação.

3. Desempenho (do papel pelo actor ).

4. Comentário, versão.
in·ter·pre·tar in·ter·pre·tar – Conjugar
(latim interpretor, -ari, explicar, interpretar, esclarecer, traduzir )
verbo transitivo

1. Fazer a interpretação de.

2. Tomar (alguma coisa) em determinado sentido.

3. Explicar (a si próprio ou a outrem).

4. Desempenhar um papel ou executar uma obra musical.

5. Traduzir ou verter de uma língua para outra.


substantivo feminino Ação de interpretar, de perceber o sentido de algo ou de atribuir um sentido a algo; explicação: interpretação de um texto, de um sonho.
Comentário crítico: interpretação de uma obra.
[Teatro] Modo de representação que o ator atribui ao trabalho que representa.
[Artes] Modo como uma obra dramática, musical, coreográfica é representada ou dançada.
[Música] Ação de tornar sensível a um ouvinte o conteúdo de uma partitura: uma boa interpretação musical.
expressão Interpretação fotográfica. Indicação, em uma cópia, das informações descobertas numa fotografia aérea, para exploração da área; fotointerpretação.
Etimologia (origem da palavra interpretação). Do latim interpretatio.onis.


Interpretação é uma ação que consiste em estabelecer, simultânea ou consecutivamente, comunicação verbal ou não verbal entre duas entidades. É um termo ambíguo, tanto podendo referir-se ao processo quanto ao seu resultado – isto é, por exemplo, tanto ao conjunto de processos mentais que ocorrem num leitor quando interpreta um texto, quanto aos comentários que este poderá tecer depois de ter lido o texto. Pode, portanto, consistir na descoberta do sentido e significado de algo – geralmente, fruto da ação humana.


bookmark_borderO que é caralho

caralho | s. m. | interj.
ca·ra·lho
(origem controversa )
nome masculino

1. [Calão]   [Tabuísmo]   Órgão sexual masculino. = PÉNIS

2. [Calão]   [Tabuísmo]   Indivíduo cujo nome se desconhece ou se quer omitir. = FULANO, GAJO, SUJEITO, TIPO

3. [Calão]   [Tabuísmo]   Coisa reles, sem utilidade.interjeição

4. [Calão]   [Tabuísmo]   Expressão designativa de admiração, surpresa, espanto, indignação ou contrariedade. = CATANO

como o caralho • [Portugal, Calão]   • [Portugal, Tabuísmo]   De maneira intensa ou em grande número . = MUITO

do caralho • [Portugal, Calão]   • [Portugal, Tabuísmo]   Em elevado grau, dimensão ou intensidade (ex.: que trapaceiro do caralho; eles moram numa mansão do caralho; era uma dor do caralho). = GRANDE

o caralho • [Portugal, Calão]   • [Portugal, Tabuísmo]   Exclamação que indica desacordo ou refutação relativamente a afirmação anterior. = O CARAÇAS, O TANAS

para caralho • [Brasil, Calão]   • [Brasil, Tabuísmo]   O mesmo que como o caralho .

pra caralho • [Brasil, Calão]   • [Brasil, Tabuísmo]   O mesmo que como o caralho .

um caralho • [Portugal, Calão]   • [Portugal, Tabuísmo]   É usado, geralmente em frases negativas, com o significado de coisa nenhuma (ex.: nunca fizeram um caralho pela iniciativa; o filme não vale um caralho; têm tudo pago e nem assim jogam um caralho; não percebes um caralho disto). = NADA


substantivo masculino Ch Pênis, cacete, pica.
interjeição Usada para traduzir indignação ou admiração. Pra caralho, ch: em grande quantidade.
Etimologia (origem da palavra caralho). Do latim caraculu, pequena estaca.


Caralho é um termo da língua portuguesa usado para designar o membro viril masculino. O termo encontra correspondente no castelhano carajo, no galego carallo, e no catalão carall, sendo exclusivo das línguas românicas da Península Ibérica, não se encontrando em nenhuma outra, incluindo o basco.Documenta-se o uso do termo desde pelo menos o século X, surgindo regularmente nas cantigas de escárnio e maldizer da poesia trovadoresca medieval, sendo também registado nalguma documentação, além de vários usos antroponímicos e nas toponímias da Península Ibérica, em particular da Catalunha, onde se destacam os vários carall bernat.
Este uso do termo como nome próprio para descrever o membro viril, presente inclusive na documentação oficial, termina com a contrarreforma, passando então a ser considerado como obsceno e impróprio, conotação que mantém até aos dias de hoje. Não obstante, o termo manteve uma incrível vitalidade nas línguas romances ibéricas, sendo usado actualmente com dezenas de sentidos diferentes e como meio de expressar as mais diversas emoções, como estranheza, emoção, lambança ou ameaça, embora em algumas regiões tenha perdido o seu sentido original de membro viril.
O caralho marca presença na poesia e literatura modernas, especialmente como disfemismo e elemento provocador, e por vezes como erotismo, tendo entrado no panteão da mitologia brasileira como caralho-de-asas, que por sua vez inspirou um personagem de banda desenhada, o passaralho.


bookmark_borderO que é norma-padrão

Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pré-Acordo Ortográfico).

Será que queria dizer norma-padrão?

Outras sugestões: normalizarão (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira) normas-padrão (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.



Norma-padrão é o conjunto de práticas linguísticas pertencentes ao lugar ou à classe social de maior prestígio num determinado país. Segundo o Instituto Camões, a norma-padrão do português europeu é “o dialeto da região que abrange Lisboa, Coimbra”[carece de fontes?].


bookmark_borderO que é tradução

tradução | s. f.
tra·du·ção
nome feminino

1. Acto de traduzir.

2. O que se traduz.

3. Obra traduzida.

4. [Figurado]   [Figurado]   Significação; interpretação; explicação.

tradução livre • Não literal.


substantivo feminino Ação de traduzir, de passar para outra língua: tradução do português para o espanhol.
Obra traduzida; texto que se traduziu: ele disse que não vai cobrar pela tradução; ler uma tradução de Homero.
Ato de transpor uma mensagem de um formato para outro: tradução de um discurso.
[Figurado] O que expressa ou reflete alguma coisa; interpretação, imagem, reflexo: tradução do pensamento de alguém.
[Informática] Processo que descodifica uma linguagem informática; decodificação.
expressão Tradução automática. Tradução de um texto por meio de máquinas eletrônicas.
Etimologia (origem da palavra tradução). Do latim traductio.onis.


Tradução é uma atividade que abrange a interpretação do significado de um texto em uma língua (o texto fonte) e a produção de um novo texto em outra língua com sentido equivalente. O texto resultante também se chama tradução.A pesquisa acadêmica na área é chamada em português de Estudos da Tradução e se iniciou no Brasil com a Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina.
Quem desconhece o processo de tradução quase sempre trata o tradutor como mero conhecedor de dois ou mais idiomas. Traduzir vai além disso. Há um famoso jogo de palavras em italiano que diz “Traduttore, Traditore” (em português, “Tradutor, traidor”), pois todo tradutor teria de trair o texto original para conseguir reescrevê-lo na língua desejada.
A princípio, a tradução envolve dois idiomas, mas não para por aí. As áreas ou tipos de textos traduzidos são muitos, e por isso um bom tradutor de romances não é necessariamente um bom tradutor de textos científicos, e vice-versa.
Tradicionalmente, a tradução sempre foi uma atividade humana, embora haja tentativas de se automatizar e informatizar a tradução de textos em língua natural (tradução automática) ou usar computadores em auxílio à tradução (tradutores on-line).
Ao contrário do que pensa a maioria das pessoas, os tradutores não são apenas tradutores de livros. A tradução de livros ou editorial, erroneamente chamada de “tradução literária”, é um segmento minoritário do mercado de tradução em todo o mundo. Outros segmentos mais volumosos são os de tradutores jurídicos (entre eles os tradutores juramentados), os tradutores de manuais de equipamentos industriais, os tradutores de artigos jornalísticos, os tradutores de textos de medicina, entre outros.


bookmark_borderO que é bordão

bordão | s. m.
bor·dão
(latim burdo, -onis, macho, mula )
substantivo masculino

1. Pau que serve para apoio de quem caminha (ex.: um dos peregrinos passou agarrado a um bordão). = CAJADO, VARAPAU

2. [Figurado]   [Figurado]   Aquilo que ajuda. = ARRIMO, AUXÍLIO

3. [Armamento]   [Armamento]   Corda de arco de atirar.

4. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]   Palavra ou locução esvaziada de sentido e sem função morfossintáctica , que se usa ou repete no discurso, geralmente de forma inconsciente ou automática, por vezes como forma de apoio em momentos de hesitação, esquecimento ou reformulação do pensamento (ex.: os bordões portanto e é assim são característicos do registo coloquial).

5. [Música]   [Música]   Corda grossa de certos instrumentos.

6. [Música]   [Música]   Tom invariável que serve de baixo na gaita-de-foles , sanfona, etc.

7. [Música]   [Música]   Cano de gaita-de-foles que é geralmente colocado sobre o ombro do gaiteiro. = RONCÃO

8. [Música]   [Música]   Registo de diapasão grave do órgão.

9. [Botânica]   [Botânica]   Espécie de palmeira de que se faz o maluvo.


substantivo masculino Palavra, expressão ou frase que alguém repete excessivamente.
[Por Extensão] Dito repetido para ser engraçado ou emotivo.
Vara com extremidade em formato de gancho, usado para dar apoio.
[Figurado] Algo ou alguém que presta ajuda, ampara ou socorre.
Etimologia (origem da palavra bordão). Do latim burdo.onis.
substantivo masculino [Música] Corda espessa que produz um som grave; o som grave.
[Música] Corda que, em instrumentos musicais, emite o som mais grave.
[Música] Corda localizada na parte inferior dos tambores.
[Por Extensão] Corda que atira as flechas, num arco.
Etimologia (origem da palavra bordão). Do francês bourdon.
substantivo masculino Palmeira de seiva doce usada para produzir maluvo (bebida fermentada).
Etimologia (origem da palavra bordão). Talvez de bordo.


Bordão é uma expressão comumente repetida por alguém, ou algo, sempre em uma determinada situação. Na música, bordão refere-se a determinado tema musical, marcado por notas graves, recorrente em determinada melodia.O termo também pode se referir as cordas vibrantes da sanfona que emitem continuamente a mesma nota ou o apoia ombral utilizado pelos gaiteiros, também conhecido por ronco.