bookmark_borderO que é gato

gato | s. m. | adj. s. m.
ga·to
(latim cattus, -i )
nome masculino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero (Felis catus) digitígrado, da ordem dos carnívoros, tipo da família dos felídeos, de que há várias espécies, uma das quais é o gato doméstico.

2. Vergalhão de ferro com espigões (grampo) para manter unidas as pedras das paredes.

3. Pedacinho de arame com que se conserta louça partida.

4. Peça de ferro em forma de grampo, entre a qual e a madeira da porta joga a tranqueta da aldraba.

5. Utensílio de tanoeiro para arquear as vasilhas.

6. Peça de ferro com que se endireitam as aduelas.

7. [Caça]   [Caça]   Ferro com um gancho para caçar.

8. Excesso de carne na parte superior do pescoço das cavalgaduras. (Também se diz gato carnoso.)

9. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]   Erro, engano.

10. Troca de uma palavra ou de uma letra por outra, num texto escrito.

11. [Portugal: Alentejo]   [Portugal: Alentejo]   Pele preparada, em forma de odre, para levar vinho.

12. Pedaço de fazenda que o alfaiate furta ao freguês.

13. [Marinha]   [Marinha]   Gancho de que se dependura um moutão.

14. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]   Mentira.

15. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Desvio ou prolongamento ilegal de um ponto de fornecimento de energia eléctrica (ex.: fazer um gato). = GAMBIARRAadjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

16. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Que ou o que é fisicamente atraente (ex.: ela é muito gata; o namorado é um gato).

aqui há gato • Expressão que indica suspeitas ou dúvidas relativamente a alguma coisa. = AQUI HÁ COISA

como gato por brasas • Ao de leve, superficialmente.

gato escondido com o rabo de fora • [Informal]   • [Informal]   Coisa que se quer escondida, mas que é descoberta por um pormenor, um descuido.

não poder com um gato pelo rabo • [Informal]   • [Informal]   Estar exausto, sem força física. = NÃO PODER COM UMA GATA PELO RABO


substantivo masculino Nome comum dado ao pequeno mamífero da família dos felídeos Felis Catus, carnívoro e doméstico, muito popular como animal de estimação; gato caseiro: meu gato adora se aninhar no meu colo.
[Popular] Homem muito bonito, de boa aparência; gatão, galã: meu namorado é um gato.
[Gíria] Ligação clandestina e ilegal de serviços como energia elétrica, internet e tevê a cabo; gambiarra.
[Construção] Peça que serve para unir dois blocos de pedra; grampo.
[Construção] Peça de metal que fica embutida na alvenaria e serve como elemento de fixação para corrimões e caixilhos; grapa.
[Gíria] Indivíduo que realiza pequenos furtos; gatuno, ladrão.
Peça de metal que serve para unir as partes de uma louça espedaçada.
[Náutica] Gancho de aço preso a uma corrente e que serve para suspender e movimentar cargas.
[Tipografia] Erro tipográfico com a troca de uma palavra por outra; erro, lapso.
[Popular] Serviço feito por fora durante o horário do expediente, sem autorização do chefe.
[Esporte] Goleiro muito hábil, muito flexível; goleiraço.
[Esporte] Nas corridas de cavalo, o cavalo sem pedigree que é colocado irregularmente entre os puros-sangues.
[Esporte] Cavalo de corrida que, por erro de registro, é tido como tendo sangue inferior ao que de fato tem.
[Brasil: NE] Mulher que vive com um homem como se fosse casada com ele, mas não o sendo perante a lei; concubina.
Etimologia (origem da palavra gato). Do latim cattus.


O gato (Felis silvestris catus), também conhecido como gato caseiro, gato urbano ou gato doméstico, é um mamífero carnívoro da família dos felídeos, muito popular como animal de estimação. Ocupando o topo da cadeia alimentar, é predador natural de diversos animais, como roedores, pássaros, lagartixas e alguns insetos. Segundo pesquisas realizadas por instituições norte-americanas, os gatos consistem no segundo animal de estimação mais popular do mundo, estando atrás apenas dos peixes de aquário. Dados censitários apontam que nos Estados Unidos existem mais gatos domésticos do que cachorros.A primeira associação com os humanos da qual se tem notícia ocorreu há cerca de 9.500 anos, período superior ao estimado anteriormente, que oscilava entre 3500 e 8000 anos. A subfamília Felinae, que agrupa os gatos domésticos, surgiu há cerca de 12 milhões de anos, expandindo-se a partir da África subsariana até alcançar as terras do atual Egito. Acredita-se que o gato-selvagem-africano (Felis silvestris lybica) era seu antepassado imediato e evidencias genéticas assinalam que os gatos domésticos atuais partilham uma procedência direta com os gatos selvagens do Oriente Médio.
Existem cerca de 250 raças de gato doméstico, cujo peso variável entre 2.5 a 12 kg classifica a espécie como animal doméstico de pequeno a médio porte. Assim como ocorre com as raças de cães que apresentam esta mesma faixa de peso, o gato doméstico pode viver entre quinze e vinte anos. Devido à sua personalidade independente, tornou-se um animal de companhia em diversos lares ao redor do mundo, agradando pessoas dos mais variados estilos de vida. Na cultura humana, figura da mitologia às superstições, passando por personagens de desenhos animados, tiras de jornais, filmes e contos de fadas. Entre suas mais conhecidas representações, estão os gatos: Tom, Frajola, Manda-Chuva, Gato Félix, Gaturro, O Gato de Botas e Garfield.


bookmark_borderO que é rena

rena | s. f.
re·na |ê| re·na |ê|
nome feminino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero ruminante da família dos cervídeos que vive na Sibéria, na Escandinávia, na Gronelândia e no Canadá.

2. O mesmo que rangífer. (A rena atinge 1,50 m de altura. As suas pontas ramificam-se em esgalhos achatados, que lhe servem para descobrir debaixo da neve os líquenes de que se alimentam. Os lapões e os esquimós empregam-na para puxar trenós e utilizam o seu sangue, a carne, o leite, as pontas e o couro.)


substantivo feminino Mamífero ruminante da família dos cervídeos que vive no norte da Europa e da Ásia, na Groenlândia e no Canadá, aparentado com o caribu.
Pode ser domesticada e tornou-se muito valiosa nas regiões árticas. A rena e o caribu diferem dos outros membros da família porque têm cascos profundamente fendidos e grandes, focinho peludo e galhos bastante largos, que existem tanto no macho como na fêmea. A rena atinge 1,50 m de altura e pesa em torno de 140kg. Seus chifres têm esgalhos achatados, em forma de palheta, que lhe facilitam a tarefa de escavar na neve os líquens de que se alimenta. Provavelmente por ser menor e ter as pernas mais curtas que o caribu, o homem a escolheu como animal próprio para ser domesticado.


Rena (Rangifer tarandus; do nórdico antigo hreinn pelo francês renne) ou caribu (na América do Norte) é um cervídeo de grande porte que habita a tundra e florestas boreais da Groenlândia, Escandinávia, Rússia, Alasca e Canadá. Se divide em dois ecotipos (a da tundra e a da floresta); a primeira anualmente migra cerca de 5 000 quilômetros entre a tundra e floresta em grandes manadas de mais de meio milhão de animais, enquanto a segunda é bem menos numerosa. Na Europa, foi domesticada.Os machos atingem 1,2 metro de altura e excedem 250 quilos, enquanto as fêmeas são um pouco menores. Seus cascos são muito fechados e as permitem andar na neve e em solo macio, bem como são boas nadadoras. Sua pelagem é esbranquiçada no inverno e marrom no verão e seus pelos são ocos, o que aumenta suas propriedades isolantes. Seus chifres podem ter 44 pontos e crescer até 1,4 metro de comprimento nos machos. É a única espécie de cervídeo em que as fêmeas também tem chifres.


bookmark_borderO que é girafa

girafa | s. f.
gi·ra·fa
(italiano giraffa, do árabe zarafa )
nome feminino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero ruminante da família dos girafídeos, notável pelo comprimento do pescoço, de corpo amarelado com manchas acastanhadas.

2. [Figurado]   [Figurado]   Pessoa alta e de pescoço comprido.

3. [Cinema, Televisão]   [Cinema, Televisão]   Percha fixa a um pé articulado e suportando um microfone. = PERCHA, PERCHE


substantivo feminino Gênero de mamíferos ruminantes, originário da África, de grande altura.
É o mamífero mais alto de todos os animais. Os machos adultos podem alcançar aproximadamente 5m de altura, 1,5m mais do que o elefante-africano, o segundo animal em altura. A girafa alcança essa grande altura em razão das pernas, que têm cerca de 1,8 m de comprimento, e do pescoço, que pode ser até mais comprido. Entretanto, embora a girafa supere os outros animais em altura, um macho grande pesa somente cerca de 900kg. Um elefante-africano macho pode pesar seis vezes mais.


O termo girafa (do árabe zarAfa(t), pelo italiano giraffa) é a designação dada a mamíferos artiodátilos, ruminantes, do gênero Giraffa, da família dos girafídeos, no qual constam quatro espécies (até 2016 considerava-se uma única espécie, a Giraffa camelopardalis, ou camelo-leopardo, como eram chamadas pelos romanos quando elas existiam no norte da África, pois acreditava-se que vinham de uma mistura de uma fêmea camelo, com um macho leopardo)[carece de fontes?]. São ungulados com número par de dedos.
As girafas são os únicos membros de seu gênero e, juntas com os ocapis, formam a família Giraffidae. Atualmente estão listadas quatro espécies de girafa existentes e nove já extintas (ver abaixo), diferenciadas também pela distribuição geográfica e pelo padrão das manchas. Essas várias subespécies de girafas agora habitam as terras secas ao sul do Saara. As girafas se distribuem em dois grupos: girafa-do-norte que são tricornes, isto é, com um corno nasal interocular e dois frontoparietais, apresentando pelagem predominantemente reticulada; e girafa-do-sul, sem corno nasal e a pelagem tem predominantemente malhas irregulares.
Os machos chegam a 5 metros de altura e com suas línguas preênseis que alcançam até 50 centímetros são capazes de pegar as folhas de acácias, por entre pontiagudos espinhos nos altos dos galhos, que são sua principal fonte de alimentação. Elas são capazes de comer as folhas das árvores até 6 metros de altura. Para poderem pastar, têm de afastar uma da outra as pernas dianteiras. Devido ao baixo teor nutritivo das folhas, as girafas precisam comer grandes quantidades e passam quase 20 horas por dia comendo. O comprimento do corpo pode ultrapassar os 2,25 metros e ainda possui uma cauda com oitenta centímetros de comprimento, não contando com o pincel final. O seu peso pode ultrapassar os 500 quilogramas. Apesar do seu tamanho, a girafa pode atingir a velocidade de 56 km/h, suficiente para fugir de seus predadores.
As girafas, como todos os mamíferos, possuem sete vértebras cervicais. Os seus pescoços, entretanto, são os maiores dos animais atuais, pelo que é pouco flexível. Por causa de seu pescoço comprido e rígido, seu sistema vascular possui a fama de ser o responsável pela maior pressão sanguínea do reino animal. O coração tem dois orifícios: um que bombeia sangue para o pulmão e membros e outro que alimenta o cérebro com o líquido vermelho. Este último é fino, visto que os músculos são maiores, assim a força necessária para o bombeamento não é tão grande como se imagina. No entanto, quando a girafa tem de beber água, a pressão sanguínea da cabeça aumenta muito e só não a mata devido a duas particularidades excepcionais. Próximo ao cérebro, existe uma rede de vasos capilares que se ramificam em inúmeras veias menores dentro do crânio do animal. Eles servem para amortecer e distribuir essa sobrecarga de sangue jorrada pelo coração quando a girafa está com o pescoço abaixado. Além disso, uma veia grossa repleta de válvulas que retorna ao coração recebe parte do sangue bombeado. Quando o sangue pressiona demasiadamente os vasos da cabeça da girafa, ele é desviado para essa veia. Repleta de válvulas que se fecham com a passada do sangue, a veia alivia a pressão da cabeça e não deixa que o animal morra cada vez que deseja matar a sede.
Ambos os sexos possuem dois a quatro cornos curtos e recobertos por pele. O pelo da girafa é fulvo (amarelo-tostado, alourado) ou rosado, com grandes manchas de cor amarronzada (exceto no ventre, onde o pelo é branco). As manchas pardas possuem um padrão único para cada indivíduo e o auxilia a se mimetizar por entre as sombras das árvores onde habita. Essas manchas também concentram, debaixo da pele, vasos sanguíneos e são responsáveis pela manutenção da temperatura corporal adequada das girafas. Elas possuem pernas longas, sendo as dianteiras mais altas que as traseiras, e número reduzido de costelas. O tempo de vida de uma girafa é de aproximadamente 15 a 20 anos. O couro das pernas é mais rijo e comprime mais os membros da girafa do que no restante do corpo. Isso permite que o sangue não se espalhe pelo tecido e músculos das patas, fazendo-o retornar ao coração. Caso isso não acontecesse, as pernas da girafa acumulariam muito sangue por serem longas demais e acabariam matando o animal.
Leões, hienas e leopardos são predadores dos filhotes de girafas, mas os adultos possuem porte e velocidade suficientes para limitar o número de predadores. As girafas quase não emitem sons. A gestação dura 420 a 450 dias, nascendo só uma cria de cada vez com uma altura que oscila entre 1,5 e 1,7 metros. Seus chifres nascem soltos no crânio para que não machuquem a mãe durante sua saída do útero. Os chifres se fundem com o osso durante a infância e adolescência. Os filhotes de girafas caem de uma altura de quase 2 metros quando a mãe está de pé durante o nascimento, o que é frequente. A vegetação da savana africana, entretanto, amortece a queda.
É um animal gregário constituindo rebanhos ou bandos pouco numerosos, andando rapidamente, a passo travado e associando-se aos antílopes e avestruzes nas savanas africanas ao sul do Saara.
As girafas dormem aproximadamente duas horas por dia e um pouco de cada vez. Elas dormem em pé e, apenas em ocasiões muito especiais, quando se sente completamente segura, se deita no chão para descansar.
A girafa só se deita se estiver segura pois, caso um predador se aproxime, ela demora muito tempo para se levantar devido a seu tamanho. A girafa é bem grande, devido a um osso de seu pescoço e de suas pernas, que são bem alongadas.


bookmark_borderO que é humano

humano | adj. | s. m. | s. m. pl.
hu·ma·no
(latim humanus, -a, -um )
adjectivo adjetivo

1. Do homem ou a ele relativo.

2. Bondoso, benfazejo, compassivo.substantivo masculino

3. O homem.
humanossubstantivo masculino plural

4. Os homens, o género humano.


adjetivo Relacionado com o homem, indivíduo dotado de inteligência e linguagem articulada, pertencente à espécie humana; próprio, característico de homem; desenvolvido por homens.
Bondoso; que é piedoso, indulgente, compreensivo: mostrou-se humano.
[Por Extensão] Sem teor divino; que não provém de Deus: comportamento humano.
substantivo masculino Homem; o ser humano; o indivíduo que pertence à espécie humana.
Etimologia (origem da palavra humano). Do latim humanus.a.um.


Humano (taxonomicamente Homo sapiens), termo que deriva do latim “homem sábio”, ser humano, ser pessoa, gente ou homem, é a única espécie animal de primata bípede do género Homo ainda viva. A espécie surgiu há cerca de 350 mil anos na região leste da África e adquiriu o comportamento moderno há cerca de 50 mil anos. Entretanto, evidências arqueológicas publicadas em 2017 sugerem que a humanidade pode ter se espalhado por todo o continente africano ainda antes, cerca de 300 mil anos atrás.Os membros dessa espécie têm um cérebro altamente desenvolvido, com inúmeras capacidades como o raciocínio abstrato, a linguagem, a introspecção e a resolução de problemas complexos. Esta capacidade mental, associada a um corpo ereto, possibilitou o uso dos braços para manipular objetos, fator que permitiu aos humanos a criação e a utilização de ferramentas para alterar o ambiente à sua volta mais do que qualquer outra espécie de ser vivo. Outros processos de pensamento de alto nível, como a autoconsciência, a racionalidade e a sapiência, são considerados características que definem uma “pessoa”.O Homo sapiens surgiu na África Oriental por volta de 300 mil anos atrás, depois se espalhou para o leste do Mediterrâneo em torno de 100 mil a 60 mil anos atrás e pode ter chegado na China há 80 mil anos. Atualmente os seres humanos estão distribuídos em toda a Terra. Em novembro de 2011, a população humana foi estimada em cerca de 7 bilhões de indivíduos pela Organização das Nações Unidas. Desde o surgimento da civilização, os humanos são uma forma dominante de vida biológica, em termos de distribuição espacial e efeitos sobre a biosfera do planeta.
Como a maioria dos primatas superiores, os seres humanos são sociais por natureza, sendo particularmente hábeis em utilizar sistemas de comunicação, principalmente verbal, gestual e escrita, para se expressar, trocar ideias e se organizar. Os humanos criaram complexas estruturas sociais compostas de muitos grupos cooperantes e concorrentes, de famílias até nações. As interações sociais entre os humanos criaram uma variedade extremamente grande de tradições, rituais, normas sociais e éticas, leis e valores, que em conjunto formam a base da sociedade humana. A cultura humana é marcada pelo apreço pela beleza e estética, o que, combinado com o desejo de expressão, levou a inovações como a arte, a escrita, a literatura e a música. O Homo sapiens, como espécie, tem como característica o desejo de entender e influenciar o ambiente à sua volta, procurando explicar e manipular os fenômenos naturais através da filosofia, artes, ciências, mitologia e da religião. Esta curiosidade natural levou ao desenvolvimento de ferramentas e habilidades avançadas. O ser humano é a única espécie conhecida capaz de criar o fogo, cozinhar seus alimentos, vestir-se, além de utilizar várias outras tecnologias. Os humanos passam suas habilidades e conhecimentos para as próximas gerações e, portanto, são considerados dependentes da cultura.


bookmark_borderO que é asno

asno | s. m. | adj.
as·no
(latim asinus, -i, burro, jumento )
substantivo masculino

1. Mamífero quadrúpede (Equus asinus) da família dos equídeos . = BURRO, JUMENTO

2. [Depreciativo]   [Depreciativo]   Pessoa estúpida. = BURRO, JUMENTOadjectivo adjetivo

3. Parvo, ignorante, pedante.

4. [Popular]   [Popular]   Atrevido.Confrontar: asmo.


substantivo masculino Mamífero. Aspecto comum de alguns mamíferos da família dos equídeos; burro ou jumento.
[Figurado] Pessoa que não possui inteligência; quem não é inteligente; burro.
Peixes. Tipo de peixe cuja coloração amarelada possui manchas esverdeadas ou azul-escuras; cangulo-da-parede.
Etimologia (origem da palavra asno). Do latim asinus.i.


O Asno (nome científico: Equus africanus asinus) é uma subespécie doméstica do Asno-selvagem-africano. É um mamífero perissodáctilo da família Equidae, cujo nome popular é jumento, jegue, jerico, burro ou ainda asno-doméstico. De tamanho médio (conforme a raça), focinho e orelhas compridas, é utilizado desde a Pré-história como animal de carga. Os ancestrais selvagens dos asnos foram domesticados por volta de 5 000 a.C., praticamente ao mesmo tempo que os cavalos, e, desde então, têm sido utilizados pelos homens como animais de carga e montaria.No Brasil, o termo “burro” pode designar não a espécie Equus africanus asinus, mas o cruzamento entre essa espécie e a Equus ferus caballus (cavalo) quando resulta num animal de gênero macho, aquilo que em Portugal se designa como “macho”; quando esse mesmo cruzamento resulta num espécime fêmea, é designado como “mula”.Os asnos classificam-se dentro da ordem dos Perissodáctilos, e à família Equidae, à qual também pertencem os cavalos, pertencendo ambos a um único gênero, os Equídeos (Equus).


bookmark_borderO que é lhama

lhama | s. f. lhama | s. m. ou f.
lha·ma 1
(espanhol llama, chama )
nome feminino

Tecido brilhante de fio de ouro ou de prata.
lha·ma lha·ma 2
(espanhol llama, do quíchua )
nome masculino ou feminino

[Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero ruminante da família dos camelídeos encontrado nos Andes, na América do Sul. = LAMA


substantivo masculino e feminino Mamífero ruminante da cordilheira dos Andes, pertence à família dos camelídeos, com 2,50 metros de comprimento, chega a viver 20 anos, sendo utilizado como animal de carga ou por sua carne e lã.
Etimologia (origem da palavra lhama). Do quíchua llma.
substantivo masculino Tecido brilhoso, feito com fios de ouro ou prata.
Etimologia (origem da palavra lhama). Do espanhol llama.


A lhama (português brasileiro) ou o lama (português europeu) (Lama glama), do quíchua llama, é um mamífero ruminante da América do Sul, da família dos camelídeos, género Lama. É um animal de pelagem longa e lanosa, domesticado para a utilização no transporte de carga e na produção de lã, carne e couro.
A lhama é relacionada com o guanaco, a vicunha e a alpaca. Foram domesticadas pelo povo inca, tendo sido muito importantes para o desenvolvimento desse povo.As lhamas vivem na cordilheira dos Andes, onde as temperaturas são baixas. Assim, as pelagens servem para protegê-las do frio, além de arranhões e outros ferimentos. A lhama é conhecida pelo seu estilo calmo, muitas vezes andando devagar, porém pode se irritar facilmente: por este motivo, foi considerada o oitavo animal mais irritável do mundo segundo o canal Animal Planet. Quando irritada ou para chamar a atenção, espirra seu muco na direção do objeto de sua irritação.
As palavras lama e lhama são substantivos uniformes, comuns de dois gêneros, portanto tanto se pode dizer a lhama, o lhama, a lama ou o lama.
A Bolívia é o país em que se concentra o maior número de lhamas, com mais de 2 milhões de indivíduos. Estes animais conseguem sobreviver em locais onde não são encontrados outros animais. Muitas vezes os lhamas são associados a ovelhas e com elas são colocados para pastar em locais onde não é possível haver agricultura. Além disso, os lhamas são usados para transporte de mercadorias, e também são utilizadas a sua carne, o couro, as fibras e o estrume para cozinhar alimentos e como fertilizante natural.
O uso têxtil das fibras retiradas desses animais é cultural e acredita-se que se iniciou há 2.500 anos. Os produtos deste mamífero doméstico constituem o principal meio de apoio para produtores e com a escassez de recursos nos países centrais da América do Sul incluindo Equador, Peru, Bolívia, Argentina e Chile, tornou-se uma fonte de sobrevivência. O uso de fibras produzidas pelos espécimes selvagens ainda é limitado, mas é potencialmente importante para a sobrevivência de algumas populações. Estima-se que a produção de lhamas beneficia 37.000-50.000 famílias de produtores em locais escassos de recursos. No entanto, esta produção ainda não representa uma forma direta de reduzir a pobreza e marginalização dos seus produtores.
O lhama tem pelagem longa e lanosa, a coloração varia bastante indo desde o branco, marrom e chegando a tons mais escuros, alimenta-se de capim e mato. Estes animais medem de 1,40 m a 2,40 m contando com a cauda de 25 cm e chegam a pesar 150 Kg. A gestação dura 11 meses e nasce normalmente 1 filhote chegando a pesar 11 kg. Os adultos chegam a viver até 24 anos.


bookmark_borderO que é cachalote

cachalote | s. m.
ca·cha·lo·te |ó| ca·cha·lo·te |ó|
(alteração de *cacholote, de cachola + -ote )
substantivo masculino

[Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero cetáceo (Physeter macrocephalus) dentado, de comprimento até 20 metros, encontrado em mares temperados e tropicais.


substantivo masculino Mamífero da ordem dos cetáceos, de dimensões comparáveis às da baleia, mas das quais difere por ter dentes no maxilar inferior.
O cachalote é carnívoro, alimentando-se de grandes presas. Sua enorme cabeça está cheia de um óleo chamado espermacete, chegando a pesar 5 toneladas. Os resíduos da digestão do cachalote formam em seu intestino a substância denominada âmbar cinzento.


O cachalote ou cacharréu (Physeter macrocephalus) é o maior dos cetáceos com dentes bem como o maior animal com dentes existente. Mede até 20 metros de comprimento. Este cetáceo (grande animal marinho) tem, como característica distintiva, possuir na cabeça uma substância cerosa de cor leitosa (óleo): o espermacete. A enorme cabeça e a forma distintiva do cachalote, bem como o seu papel na obra Moby Dick de Herman Melville, levaram muitos a descreverem o cachalote como o arquétipo de “baleia”.
O cachalote foi caçado nas águas dos arquipélagos portugueses da Madeira e Açores até 1981 e 1984 respectivamente.


bookmark_borderO que é orca

orça | s. f. orca | s. f. Será que queria dizer orça?
or·ça
nome feminino

1. Acto de orçar ou calcular. = ORÇADA

2. [Náutica]   [Náutica]   Cabo.

3. O mesmo que bolina.

à orça • Calculado a olho, aproximadamente.

meter à orça • Ir à orça, bolinar.Confrontar: orca.

or·ca |ó| or·ca |ó|
(latim orca, -ae )
nome feminino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero cetáceo (Orcinus orca) da família dos delfinídeos, encontrado em águas profundas, que se distingue pelo dorso negro, com zona ventral e manchas laterais brancas, e por ter as barbatanas peitorais muito prolongadas. (É predador da foca e da baleia.) = BALEIA-ASSASSINA, ROAZ-DE-BANDEIRA

2. [Informal, Depreciativo]   [Informal, Depreciativo]   Pessoa muito gorda. = BALEIA

3. Vaso de barro semelhante a uma ânfora.

4. [Portugal: Beira]   [Portugal: Beira]   Monumento megalítico funerário, datado da Idade Neolítica e da Idade do Bronze, caracterizado por duas ou mais grandes pedras verticais a sustentar uma grande pedra horizontal, formando uma câmara sepulcral. = ANTA, DÓLMENConfrontar: orça.


substantivo feminino Zoologia Mamífero cetáceo marinho da família dos delfinídeos, carnívoro, muito agressivo, caracterizado por uma barbatana dorsal alta, cauda vigorosa e dentes fortes e agudos.


A Orca (Orcinus orca) é o membro da família dos golfinhos de maior porte e é um superpredador versátil, que inclui na sua dieta presas como peixes, moluscos, aves, tartarugas, focas, tubarões e animais de tamanho maior quando caçam em grupo, como por exemplo baleias. Apesar de “baleia-assassina” ser uma designação incorreta, por ser uma tradução direta do inglês “killer whale”, e pelo facto de o animal não ser uma baleia, ela é comumente usada. É o segundo mamífero de maior área de distribuição geográfica – logo a seguir ao homem – é encontrada em todos os oceanos e pode chegar a pesar nove toneladas.
Têm uma vida social complexa, baseada na formação e manutenção de grupos familiares extensos. Comunicam-se através de sons e costumam viajar em formações que assomam ocasionalmente à superfície. A primeira descrição da espécie foi feita por Plínio, o Velho o qual já a descrevia como um monstro marítimo feroz.


bookmark_borderO que é lobo

lobo | s. m. lobo | s. m.
lo·bo |ó| lo·bo |ó| 2
(grego lóbos, -oû )
nome masculino

1. [Anatomia]   [Anatomia]   Parte arredondada e saliente de um órgão.

2. [Anatomia]   [Anatomia]   Parte inferior da orelha humana, de tecido mole. = LÓBULO

3. Jogo popular.Plural: lobos |ô|. Plural: lobos |ô|.
lo·bo |ô| lo·bo |ô| 1
(latim lupus, -i )
nome masculino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero carnívoro (Canis lupus) da família dos canídeos, com pelagem cinzenta amarelada, que vive nas florestas da Europa, da Ásia e da América.

2. Máquina de abrir a lã (nas fábricas de lanifícios).

3. Homem de maus instintos.

comer como um lobo • Comer muito.

lobo do mar • Marinheiro experimentado e valente.

quem não quer ser lobo não lhe veste a pele • Expressão usada para dizer que quem não quer sofrer contrariedades, não se mete em perigos.Plural: lobos |ô|. Plural: lobos |ô|.


substantivo masculino Parte arredondada e saliente de qualquer órgão: os lobos do cérebro.
[Anatomia] Parte inferior, flexível, pendente da orelha; lobo da orelha.
[Odontologia] Uma das principais divisões da coroa do dente.
[Botânica] Porção mais arredondada da folha.
Etimologia (origem da palavra lobo). Talvez do francês lobe, ao grego lobós.
substantivo masculino Mamífero que se alimenta de carne, Canis lupus, que vive em grupos, pode chegar aos dois metros de comprimento, com pelagem cinza.
[Figurado] Aquele que expressa perversidade, maldade.
[Figurado] Pessoa que prefere se esquivar do convívio social.
Etimologia (origem da palavra lobo). Do latim lupus, i.


Lobo-cinzento (nome científico: Canis lupus) é uma espécie de mamífero canídeo do gênero Canis. É um sobrevivente da Era do Gelo, originário do Pleistoceno Superior, cerca de 300 mil anos atrás. É o maior membro remanescente selvagem da família canidae. O sequenciamento de DNA e estudos genéticos reafirmam que o lobo-cinzento é ancestral do cão doméstico (Canis lupus familiaris), contudo alguns aspectos desta afirmação têm sido questionados recentemente. Uma série de outras subespécies do lobo-cinzento foram identificadas, embora o número real de subespécies ainda esteja em discussão. Os lobos-cinzentos são tipicamente predadores ápice nos ecossistemas que ocupam. Embora não sejam tão adaptáveis à presença humana como geralmente ocorre com as demais espécies de canídeos, os lobos se desenvolveram em diversos ambientes, como florestas temperadas, desertos, montanhas, tundras, taigas, campos e até mesmo em algumas áreas urbanas. O lobo-cinzento (Canis lupus), o lobo-vermelho (Canis rufus) e o lobo-etíope (Canis simensis) são as únicas três espécies classificadas como lobos. Os demais lobos correspondem a subespécies derivadas das três espécies citadas anteriormente.


bookmark_borderO que é argali

argali | s. m.
ar·ga·li
nome masculino

Carneiro bravo da Sibéria.


substantivo masculino Ruminante selvagem, semelhante ao carneiro, encontrado na Sibéria meridional, Índia e Mongólia.


O argali ou carneiro-da-montanha (Ovis ammon) é uma das ovelhas selvagens mais ameaçadas de extinção, e vagueiam pelas terras altas da Ásia Central (Himalaia, Tibete, Altai). É a maior ovelha selvagem, possui altura de 120 cm e pesa 140 kg. O argali de Pamir (de vez em quando chamado de ovelha de Marco Polo, porque foi primeiramente descrito pelo comerciante) pode alcançar mais de 183 centímetros no comprimento.
A coloração varia para cada animal, de um amarelo claro para um cinza marrom-escuro. A face é mais clara. Os machos possuem um pescoço esbranquiçado, uma crina dorsal, dois grandes chifres em forma espiral, alguns medindo 190 centímetros em comprimento. Machos usam os chifres para competir um com o outro. As fêmeas também possuem chifres, mas muito menores.
Os argalis vivem em rebanhos entre dois e cem animais, segregados por sexo, a não ser durante a estação do acasalamento. Já foram relatados rebanhos migratórios, especialmente de machos. Com pernas longas, os rebanhos podem viajar rapidamente de lugar a lugar. Os argalis também tendem a viver à grandes altitudes no verão.
Os argalis são considerados em perigo ou ameaçados de extinção em sua totalidade, devido à perda do habitat para o pastoreio de ovelhas domésticas e pela caça. São caçados pela sua carne e pelos seus chifres, usados na medicina chinesa tradicional. A caça legal por trófeus adicionou-se também às causas da mortalidade.
Subespécies tradicionais:

Ovis ammon ammon
Ovis ammon collium
Ovis ammon hodgsonii
Ovis ammon karelini
Ovis ammon polii, Carneiro de Marco Polo
Ovis ammon darwini
Ovis ammon severtzovi
Ovis ammon jubata
Ovis ammon nigrimontana