bookmark_borderO que é surto

surto | adj. | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de surtir
sur·to
(latim *surctus )
adjectivo adjetivo

1. Fundeado; ancorado.substantivo masculino

2. Ambição, elevação; voo .

3. Manifestação súbita de alguma coisa. = ACOMETIMENTO, ARRANCO, IMPULSO

4. Aparecimento rápido ou aumento súbito de casos de doença (ex.: surto de gripe).

5. Crise psicótica.Confrontar: curto.

sur·tir sur·tir – Conjugar
(latim *sortire )
verbo transitivo

1. Ter como resultado (ex.: surtir efeito). = CAUSAR, ORIGINAR, RESULTARverbo intransitivo

2. Ter consequência boa ou má.Confrontar: sortir.


adjetivo Ancorado, fundeado: navio surto no porto.
substantivo masculino [Figurado] Tendência para engrandecer-se.
Impulso, arrancada.
Epidemia, irrupção: surto de gripe.


Surto é um termo usado na epidemiologia para identificar quantidades acima do normal de doenças contagiosas ou de ordem sanitária.


bookmark_borderO que é vacina

vacina | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de vacinar 2ª pess. sing. imp. de vacinar
va·ci·na
(francês vaccine, do latim científico [variola] vaccina, varíola das vacas )
substantivo feminino

1. Doença da vaca ou do cavalo que se pode transmitir ao homem e que confere a este a imunidade variólica.

2. Qualquer substância que, inoculada num indivíduo, lhe confere imunidade contra uma determinada doença.

3. Em especial, líquido seroso, proveniente de uma pústula, que se desenvolve nas tetas da vaca, e que se emprega por meio de inoculação para preservar da varíola.

4. Vacinação.
Ver também dúvida linguística: pronúncia de vacina.

va·ci·nar va·ci·nar – Conjugar
verbo transitivo

Inocular a vacina em.


substantivo feminino Substância que, contendo certos agentes patológicos, mortos ou atenuados, é introduzida no organismo para provocar a formação de anticorpos, desenvolvendo imunidade às doenças por eles causadas.
[Informática] Antivírus; programa cuja função é proteger o computador do ataque de vírus.
Etimologia (origem da palavra vacina). Do francês vaccine.


Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. O agente estimula o sistema imunológico do corpo para reconhecê-lo como uma ameaça, destruí-lo e a manter um registro dele para que o sistema imunológico possa mais facilmente reconhecer e destruir qualquer um desses microrganismos que mais tarde encontre. As vacinas podem ser profilácticas (exemplo: para prevenir ou melhorar os efeitos de uma futura infecção por qualquer patógeno natural ou “selvagem”), ou terapêuticas (por exemplo, vacinas contra o câncer estão a ser pesquisadas).
A administração de vacinas é chamada vacinação e sua eficácia tem sido amplamente estudada e verificada; por exemplo, a vacina contra a gripe, a vacina contra o HPV e a vacina contra a varicela. A vacinação é o método mais eficaz de prevenção de doenças infecciosas, a imunidade generalizada devido à vacinação é amplamente responsável pela erradicação mundial da varíola e pela restrição de doenças como poliomielite, sarampo e tétano de grande parte do mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) relata que as vacinas licenciadas estão atualmente disponíveis para prevenir ou contribuir para a prevenção e controle de 25 infecções.Os termos “vacina” e “vacinação” são derivados de Variolae vaccinae (varíola da vaca), o termo inventado por Edward Jenner para denotar a varíola bovina. Em 1881, para homenagear Jenner, Louis Pasteur propôs que os termos fossem estendidos para cobrir as novas inoculações protetoras então em desenvolvimento.


bookmark_borderO que é muscarina

muscarina | s. f.
mus·ca·ri·na
substantivo feminino

Alcalóide extraído de alguns fungos que faz contrair a pupila.


substantivo feminino Alcalóide tóxico extraído do cogumelo venenoso Amanita muscaria.


Muscarina é um alcalóide extraído de alguns fungos, cujo principal efeito sobre o sistema nervoso humano é a contração das pupilas. Sua fórmula química é C9H20NO2+. A inibição de seus receptores (receptores muscarínicos), com antidrepressivos tricíclicos, por exemplo, pode causar efeitos colaterais como a boca seca, constipação, retenção urinária, confusão mental e até visão turva.


bookmark_borderO que é medicina

medicina | s. f.
me·di·ci·na
(latim medicina, -ae, medicina, remédio, mezinha )
substantivo feminino

1. Ciência de debelar ou atenuar as doenças.

2. Sistema médico.

3. Remédio, mezinha.

4. [Figurado]   [Figurado]   Remédio moral.

medicina dentária • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que se dedica ao estudo, prevenção e tratamento de dentes e doenças dentárias e da cavidade bucal. = ODONTOLOGIA

medicina forense • O mesmo que medicina legal.

medicina intensiva • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que trata e tenta recuperar doentes em estado grave ou que têm falha de uma função vital através de um sistema de monitorização, suporte e tratamento contínuos. = INTENSIVISMO

medicina interna • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que trata de doentes adultos e de todos os sistemas do corpo de forma global e integrada.

medicina judiciária • O mesmo que medicina legal.

medicina legal • Aplicação dos conhecimentos médicos às questões criminais.

medicina nuclear • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que utiliza substâncias radioactivas para fins diagnósticos ou terapêuticos.

medicina preventiva • [Medicina]   • [Medicina]   Conjunto de medidas destinadas a manter a saúde ou a prevenir a ocorrência ou agravamento de doenças e afecções .

medicina reprodutiva • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que utiliza tecnologias de reprodução, como a fertilização in vitro.

medicina veterinária • [Medicina]   • [Medicina]   Especialidade médica que se dedica ao estudo, prevenção e tratamento de doenças dos animais que não são humanos. = VETERINÁRIA, ZOOIATRIA


substantivo feminino Ciência que tem como objeto a conservação e o restabelecimento da saúde: estudante de medicina; doutor em medicina.
Profissão do médico: o exercício ilegal da medicina é punido pela lei.
Sistema médico: medicina homeopática; medicina veterinária.
[Medicina] legal, atividade médica aplicada a diferentes questões de Direito, com a intenção de esclarecê-las.
[Medicina] do trabalho, conjunto de medidas preventivas destinadas a evitar os acidentes ou moléstias resultantes das atividades profissionais.


A medicina é uma das muitas áreas do conhecimento ligada à manutenção e restauração da saúde. Ela trabalha, num sentido amplo, com a prevenção e cura das doenças humanas e animais num contexto médico.
Ações de saúde pública e ambiental, incluindo a saúde animal, promoção, prevenção, controle, erradicação e tratamento das doenças, traumatismos ou qualquer outro agravo à integridade e bem-estar animais, além do controlo de sanidade dos produtos e subprodutos de origem animal para o consumo humano e animal compreendem a área da medicina da responsabilidade do profissional de saúde médico veterinário.
Em Portugal, a saúde oral, higiene, integridade dentária, a sua limpeza e profilaxia compreendem a área da medicina da responsabilidade do Médico Dentista, que é um profissional da saúde capacitado na área de odontologia, e apesar de ter um âmbito de acção semelhante, não deve ser confundido com o Médico estomatologista. Porém no Brasil, odontologia e medicina são profissões distintas.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, saúde não é apenas a ausência de doença. Consiste no bem-estar físico, mental, psicológico e social do indivíduo. É um estado cumulativo, que deve ser promovido durante toda a vida, de maneira a assegurar-se de que seus benefícios sejam integralmente desfrutados em dias posteriores. Nesse contexto, diretrizes de organizações supra-nacionais compostas por eminentes intelectuais do globo relacionados à área de saúde estabeleceram um novo paradigma de abordagem em medicina. O santo patrono da medicina é São Lucas.


bookmark_borderO que é patologia

patologia | s. f.
pa·to·lo·gi·a
(pato- + -logia )
substantivo feminino

1. [Medicina]   [Medicina]   Parte da Medicina que estuda as doenças.

2. [Medicina]   [Medicina]   Tratado das doenças.

3. [Medicina]   [Medicina]   Desvio em relação ao que é considerado normal do ponto de vista fisiológico e anatómico e que constitui ou caracteriza uma doença.

4. [Figurado]   [Figurado]   Desvio em relação ao que é considerado normal.


substantivo feminino Ramo da medicina que se dedica ao estudo das doenças, de suas causas, seus sintomas e suas alterações no organismo.
[Medicina] Quaisquer alterações fisiológicas ou anatômicas que podem configurar alguma doença.
Patologia Clínica. De uma maneira geral, refere-se a prática da patologia em suas mais variadas formas; seção da patologia que se dedica ao estudo do diagnóstico de doenças.
Etimologia (origem da palavra patologia). Do francês pathologie.


Patologia (derivado do grego pathos, afetação, doença, e logia, ciência, estudo) é um ramo da biologia e medicina primariamente dedicado à análise e estudo de órgãos, tecidos e fluidos corporais, com a finalidade de fazer um diagnóstico das doenças. Por extensão, pode ser considerada além disso, em geral sob aspectos determinados, tanto na medicina quanto em outras áreas do conhecimento como matemática, arquitetura e engenharias, onde é conhecida como “Patologia das Edificações” e estuda as manifestações anômalas (lesões, danos, defeitos e falhas) que podem vir a ocorrer em uma construção. Na medicina envolve tanto a ciência básica quanto a prática clínica, e é devotada ao estudo das alterações estruturais e funcionais das células, dos tecidos e dos órgãos que estão ou podem estar sujeitos a doenças.
O termo patologia tem sido usado, erroneamente, como sinônimo de doença. Tal uso é decorrente da tradução imprópria do inglês pathology.


bookmark_borderO que é micose

micose | s. f.
mi·co·se |ó| mi·co·se |ó|
(mico- + -ose )
substantivo feminino

Afecção provocada por fungos parasitas.


substantivo feminino Afecção provocada por cogumelos parasitos. (As micoses atingem a pele, dobras cutâneas, dedos do pé, unhas, assim como numerosas vísceras.).


Micose é o nome genérico dado a várias infecções causadas por fungos. Existem cerca de 230 mil tipos de fungos, mas apenas, aproximadamente, 100 tipos que causam infecção.
Visto que os fungos estão em toda a parte, é inevitável a exposição a eles.[carece de fontes?] Em condições favoráveis (como ambientes com muita humidade e calor excessivo), os fungos reproduzem-se e podem dar origem a um processo infeccioso que, dependendo do fungo ou da região afectada, pode ser superficial ou profundo.[carece de fontes?]


bookmark_borderO que é clínica

clínica | s. f. fem. sing. de clínico
clí·ni·ca
(latim clinice, -es, do grego klinikê, -ês, cuidados médicos junto do leito )
nome feminino

1. [Medicina]   [Medicina]   Prática da medicina.

2. [Medicina]   [Medicina]   Estudo prático da medicina no corpo do doente.

3. [Medicina]   [Medicina]   Conjunto formado pelos sintomas, sinais e pela evolução de uma doença (ex.: a paciente não apresenta clínica de parkinsonismo).

4. Conjunto de clientes ou pessoas que são tratadas por um mesmo médico. = CLIENTELA

5. Estabelecimento particular onde se operam e tratam doentes.

clínica geral • [Medicina]   • [Medicina]   Prática da medicina por um médico não especializado.

Especialidade médica que trata de doentes adultos e de todos os sistemas do corpo de forma global e integrada. = MEDICINA INTERNA
clí·ni·co clí·ni·co
(latim clinicus, -a, -um, do grego klinikós, -ê, -ón, relativo ao leito )
adjectivo adjetivo

1. Que se refere à clínica (ex.: análises clínicas). = MÉDICO

2. Que se percebe pela observação directa do doente (ex.: dados clínicos).nome masculino

3. Médico ou cirurgião que exerce a sua profissão.

clínico geral • Médico sem especialização. = GENERALISTA


substantivo feminino [Medicina] Estudo médico feito sobre o corpo de um doente.
A prática da medicina: este médico já exerce clínica.
O conjunto de pessoas que são tratadas por um médico: um médico que tem grande clínica.
Estabelecimento privado destinado à cirurgia ou ao tratamento de doenças: internar-se numa clínica.


Clínica é toda atividade de Medicina, e por extensão, de outros profissionais da área da saúde, atividades estas que envolvem cuidado, promoção de saúde, prevenção e/ou terapia pós dano ou pós adoecimento, envolvendo escuta, diagnóstico e orientação/tratamento.
O termo clínica é usualmente atribuídos ao espaço de trabalho dos profissionais da saúde, tais como ambulatórios ou enfermarias, por isso os médicos costumam ser diferenciados em clínicos e cirurgiões.


bookmark_borderO que é abstinência

abstinência | s. f.
abs·ti·nên·ci·a
(latim abstinentia, -ae, respeito pelo que é dos outros, acção de se abster )
substantivo feminino

1. Privação voluntária de algo.

2. [História natural]   [História natural]   Período durante o qual alguns animais não se alimentam por estarem entorpecidos.

3. [Religião católica]   [Religião católica]   Privação de certos alimentos. = JEJUM

4. Privação de actividade sexual. = CONTINÊNCIA


substantivo feminino Ação de abster, de se privar de alguma coisa, em particular de um alimento, por uma razão religiosa; privação: abstinência de carne.
Ação de se abster do contato ou de ter relações sexuais; continência.
Ação de evitar certos vícios dos quais se é dependente.
[Economia] Diminuição de consumo para acumulação de capital, através da manutenção da receita.
Etimologia (origem da palavra abstinência). Do latim abstinentia.ae.


Abstinência (do latim abstinentĭa,ae: ‘ação de se abster, temperança, domínio dos apetites’) é o ato de se abster ou privar-se de algo. Originalmente, o termo pertence ao vocabulário do estoico (conforme a máxima, atribuída a Epiteto, sustine et abstine: ‘suporta e abstém-te’) e cristão, no sentido de renúncia voluntária à satisfação de uma necessidade ou desejo.
Os motivos que levam uma pessoa a entrar em abstinência podem ser muitos, desde motivos de saúde até questões de ordem filosófica ou religiosa (como a abstenção de comer carne, por parte dos católicos, em todas as sextas-feira do ano). Na atualidade, a palavra adquiriu outros sentidos, aludindo principalmente à abstenção do consumo de álcool (abstemia) ou à abstinência sexual.