bookmark_borderO que é máxima

máxima | s. f. fem. sing. de máximo
má·xi·ma |ss| má·xi·ma |ss|
substantivo feminino

1. Preceito importante para servir de norma na vida.

2. Dito sentencioso; axioma; conceito.

3. Nota musical equivalente a oito semibreves.
má·xi·mo |ss| má·xi·mo |ss|
(latim maximus, -a, -um )
adjectivo adjetivo

1. Muito grande. ≠ ÍNFIMO, MÍNIMO

2. Que é o maior de todos. = SUMO ≠ ÍNFIMO, MÍNIMOsubstantivo masculino

3. O maior, o mais alto grau.

4. [Automóvel]   [Automóvel]   Cada um dos faróis destinados a iluminar a via à frente do veículo automóvel num mínimo de 100 metros. (Mais usado no plural.)

no máximo • Até ao limite superior de (ex.: no máximo, a viagem de carro demora um dia). = QUANDO MUITO, SE TANTO ≠ NO MÍNIMO

• Na melhor das hipóteses (ex.: a resposta é, no máximo, um disparate). = QUANDO MUITO ≠ NO MÍNIMO


substantivo feminino Princípio admitido em qualquer arte ou ciência; axioma.
Preceito que serve, ou pode servir, de regra de conduta; aforismo.
Ditado popular que traz um preceito moral; provérbio: “mais vale um pássaro na mão do que dois voando”.
Afirmação geralmente feita sob a forma de conceito.
[Música] Nota de música que tem valor de duas longas, ou quatro breves, ou oito semibreves.
Etimologia (origem da palavra máxima). Do latim maxima, “a maior proposição”.


Máxima é a Nota musical que tem duração de 8 vezes mais que a semibreve. Por ser tão longa, seu uso restringiu-se até o século XVII, e depois foi abandonado. Usada nos compassos 16/2, 32/4….


bookmark_borderO que é tropo

tropo | s. m. tropo | adj.
tro·po |ô| ou |ó| tro·po |ó| 1
(grego trópos, -ou, direcção )
nome masculino

1. [Retórica]   [Retórica]   Emprego de uma palavra ou expressão em sentido figurado. = FIGURA

2. [Filosofia]   [Filosofia]   Cada um dos vários argumentos com que os filósofos cépticos gregos da Antiguidade pretendiam provar a impossibilidade de alcançar a verdade. (Mais usado no plural.)

3. [Música]   [Música]   Na Grécia Antiga, determinação da altura absoluta na escala musical.

4. [Música]   [Música]   Processo de ampliação usado no canto gregoriano, com intercalações de partes com melodia e texto.

5. [Teatro]   [Teatro]   Pequeno diálogo ou recitativo incluído na liturgia da missa, que foi umas das primeiras manifestações teatrais medievais.Plural: tropos |ô|. Plural: tropos |ô|.
tro·po |ô| tro·po |ô| 2
(redução de trôpego )
adjectivo adjetivo

[Informal]   [Informal]   Que sente dificuldade em movimentar-se ou a mover algum membro. = TRÔPEGOPlural: tropos |ô|. Plural: tropos |ô|.


substantivo masculino [Retórica] Emprego de uma palavra no sentido figurado, atribuindo-lhe uma significação não literal nem habitual, geralmente transferindo o sentido de uma palavra para outra: a metáfora é um tipo de tropo.
[Gramática] Figura de linguagem em que se emprega uma palavra com um sentido diferente do habitual.
[Teatro] Diálogo breve que, fazendo parte da liturgia de uma missa, pode ser definido como umas das primeiras manifestações do teatro na Idade Média.
[Filosofia] Premissas gregas de natureza cética, incrédula, descrente, que visam provar ser impossível e inútil a busca pela verdade (mais usado no plural: tropos).
[Música] Na Grécia antiga, determinação da altura absoluta de uma escala musical; tom.
[Música] No canto gregoriano, ato de intercalar partes com melodia e textos ditos melodicamente.
Etimologia (origem da palavra tropo). Do grego trópos, “volta” + do latim tropu.


Um tropo (do grego τρόπος, transl. trópos, ‘direção’, ‘giro’, do verbo trépo, “girar”), é uma figura de linguagem ou da retórica onde ocorre uma mudança de significado, seja interna (em nível do pensamento) ou externa (em nível da palavra). No primeiro caso e quando ocorre apenas uma associação de ideias, dá-se o nome de perífrase; se a associação de ideias é de caráter comparativo, produz-se uma metáfora, que é o tropo por excelência. A palavra também é usada para definir clichês em obras de ficção.A retórica clássica, segundo Lausberg, somente classifica como tropos a sinédoque, a antonomásia, a ênfase, a lítotes (“atenuação”), a hipérbole, a metonímia, a metáfora, a perífrase, a ironia e a metalepse (um tipo raro de metonímia).
Na música da Grécia Antiga, indicava a altura baseada na oitava média das vozes e que dava forma ao elemento principal da estrutura musical. Na música medieval, significava a ampliação do canto litúrgico através da inserção de textos curtos que facilitavam a memorização da música e que deram origem ao drama musical a partir do século IX.


bookmark_borderO que é tenso

tenso | adj.
ten·so
adjectivo adjetivo

1. Estendido com força; retesado; esticado.

2. [Figurado]   [Figurado]   Muito aplicado.


adjetivo Preocupado; em situação difícil; em estado de tensão.
Ansioso; que está sob o efeito de tensão.
Compenetrado; extremamente concentrado.
Estirado; cuja força foi estendida.
Etimologia (origem da palavra tenso). Do latim tensus.a.um.


Um tenso é um estilo de música de trovador. Toma a forma de um debate em que cada voz defende uma posição; tópicos comuns dizem respeito ao amor ou à ética. Normalmente, o tenso é escrito por dois poetas diferentes, mas existem vários exemplos em que uma das partes é imaginária, incluindo Deus Peire de Vic), o cavalo do poeta (Gui de Cavalhon) ou seu manto (Bertran Carbonel). ] Os gêneros intimamente relacionados, e às vezes sobrepostos, incluem:
o partimen, no qual mais de duas vozes discutem um assunto
a cobla esparsa ou cobla exchange, um tenso de apenas duas estrofes
a contenson, onde a questão é eventualmente julgada por um terceiro.


bookmark_borderO que é neuma

neuma | s. f.
neu·ma
(latim tardio *neuma, do grego pneûma, -atos, sopro, vento )
nome feminino

1. [Música]   [Música]   Melodia, no cantochão, vocalizada sem palavras ou no fim da palavra.

2. [Música]   [Música]   Cada um dos sinais de notação usados outrora no cantochão.

3. Gesto de assentimento ou de recusa.


substantivo feminino Música Na Idade Média, sinal empregado como meio mnemônico para indicar a curva da melodia.
Sinal de notação que engloba várias notas, empregado nas edições de cantochão.


Neumas são os elementos básicos do sistema de notação musical antes da invenção da notação de pautas de cinco linhas.
A notação musical começou por surgir primeiro com a função de auxiliar a memória de quem cantava e só mais tarde se tornou cada vez mais precisa. Primeiramente, eram colocadas pequenas marcas junto das palavras indicando o tipo de movimento sonoro a cantar. Essas marcas chamavam-se neumas e dividiam-se em dois grupos:

virga, quando o movimento musical era ascendente,
tractulus, quando o movimento musical era descendente
o raramente usado gravis quando era muito descendente,
e o punctum, utilizado muitas vezes no meio de neumas menos simples como o os de dois sons (podatus e clivis) e de três ou mais sons (torculus, porrectus, scandicus e climacus).Existiam também algumas alterações aos neumas, como o subpunctis, o resupinus, e o flexus. Existiam também vários sinais de pequenas alterações rítmicas, melódicas, ou interpretativas, assinaladas com letras. Neste sistema, o cantor tinha de conhecer previamente as músicas. Mais tarde, foram sendo implantadas linhas, no sistema musical, até chegar a um conjunto de quatro. Esta forma musical foi muito utilizada na Idade Média. Só mais tarde foram implantadas cinco linhas.


bookmark_borderO que é menestrel

menestrel | s. m.
me·nes·trel
nome masculino

1. Poeta medieval.

2. [Figurado]   [Figurado]   Cantor e músico ambulante.Plural: menestréis. Plural: menestréis.


substantivo masculino Na Idade Média, artista que, a serviço da corte ou autonomamente, trabalhava recitando ou cantando poemas em versos, normalmente esse artista não os compunha, apenas os declamava.
[Por Extensão] Trovador; artista, poeta ou músico, que recita poemas através da música ou por declamação.
Etimologia (origem da palavra menestrel). Do francês ménestrel; pelo latim ministerialis, ministerium.


Menestrel (do francês antigo ménestrel; do latim ministerialis, minister), na Idade Média, era o poeta e bardo cujo desempenho lírico referia-se a histórias de lugares distantes ou sobre eventos históricos reais ou imaginários. Embora criassem seus próprios contos, muitas vezes memorizavam e floreavam obras de outros. À medida que as cortes foram ficando mais sofisticadas, os menestréis eram substituídos por trovadores, e vários deles tornaram-se errantes, apresentando-se para a população comum, tornando-se assim os divulgadores das obras de outros autores. O menestrel exercia, predominantemente, as funções de músico e cantor. Podia ficar vinculado a uma corte ou viajar de cidade a cidade, ora exercendo o seu mister junto aos fidalgos, ora em meio ao povo rude.


bookmark_borderO que é bardo

bardo | s. m.
bar·do
nome masculino

1. Barda.

2. Curral de ovelhas e carneiros.

3. Estaca para empar videiras.

4. Terreno cultivado.

5. Renque de videiras ligadas por varas, canas ou arame, que serve de apoio em forma de grade.

6. Poeta celta que exaltava o valor dos heróis.

7. [Por extensão]   [Por extensão]   Poeta lírico. = TROVADORConfrontar: brado.


substantivo masculino Sebe de silvado para proteger cerrados e defesas.
Espécie de curral mudável, onde ficam de noite as ovelhas, para estercarem a terra.


Um bardo, ou aedo, na Europa antiga, era uma pessoa encarregada de transmitir histórias, mitos, lendas e poemas de forma oral, cantando as histórias do seu povo em poemas recitados. Era simultaneamente músico, poeta, historiador e acessoriamente moralista.
Mais tarde seriam designados de trovadores e as tradições musicais e literárias que transmitiram às gerações sucessivas dão origem às canções de gesta.
O bardo usava frequentemente um alaúde para tocar suas melodias e músicas, que contavam na maioria das vezes uma história triste ou poemas épicos, com acompanhamento de liras, de crwth ou de harpas.
A música tradicional irlandesa tem nos bardos a sua principal raiz. Também se encontram vestígios da sua arte entre os contadores ou cantores de gwerziou bretões e nos eisteddfodau do País de Gales.