bookmark_borderO que é araucária

araucária | s. f.
a·rau·cá·ri·a
(latim científico Araucaria, de Arauco, topónimo [província chilena] )
nome feminino

[Botânica]   [Botânica]   Designação dada a várias espécies de árvores coníferas da família das araucariáceas, do género Araucaria, encontradas em regiões tropicais.


substantivo feminino Árvore da América ou da Austrália, também chamada pinheiro-do-brasil ou pinheiro-do-paraná. (Ordem das coníferas.).


A araucária (nome científico: Araucaria angustifolia) é a espécie arbórea dominante da floresta ombrófila mista, ocorrendo majoritariamente na região Sul do Brasil, mas também sendo encontrada no leste e sul do estado de São Paulo, sul do estado de Minas Gerais, principalmente na Serra da Mantiqueira, na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro e em pequenos trechos da Argentina e Paraguai, sendo conhecida por muitos nomes populares, entre eles pinheiro-brasileiro e pinheiro-do-paraná; é também chamada pelo nome de origem indígena, curi. A espécie foi inicialmente descrita como Columbea angustifolia Bertol. 1819.
Sua origem remonta a mais de 200 milhões de anos, desde que os continentes americanos e africano eram unidos, e posteriormente foi disseminada pela América do Sul, desde a Argentina até o Nordeste brasileiro.Conífera dioica, perenifólia, heliófita, pode atingir alturas de 50 m, com um diâmetro de tronco à altura do peito de 2,5 m. Sua forma é única na paisagem brasileira, parecendo uma taça ou umbela. Ocupando uma área original de 200 mil km², a partir do século XIX foi intensamente explorada pelo seu alto valor econômico, dando madeira utilíssima e sementes nutritivas, e hoje seu território está reduzido a uma fração mínima, o que segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) coloca a araucária em Perigo Crítico de Extinção.
A araucária, apesar de popular, não é conhecida completamente pela ciência. Diversos estudos vêm sendo feitos recentemente para entendermos melhor a ecologia e biologia desta árvore; também são necessários para orientar as urgentes medidas de proteção que ainda precisam ser tomadas para assegurar a sobrevivência desta espécie sensível e altamente especializada em um ambiente que rapidamente vai sendo invadido e destruído pelo homem, mas ainda persistem muitas incertezas e contradições em vários aspectos. Esse conhecimento imperfeito da matéria, que confunde até a conceituação e aplicação das leis ambientais que deviam protegê-la e ainda não conseguem fazê-lo — veja-se o recuo continuado das áreas onde sobrevive — mais as variadas exigências que a planta impõe no cultivo planejado para que possa render bem, desanimam muitos reflorestadores, que preferem espécies mais bem conhecidas, de crescimento mais rápido e que não demandem tantos cuidados. Entretanto, os estudiosos são unânimes em declarar a necessidade de sua salvação, tanto por sua importância econômica e ecológica como paisagística e cultural. Tornou-se, não por acaso, símbolo do estado do Paraná, deu o nome a Curitiba, e aparece nos brasões das cidades de Apiaí, Araucária, Caçador, Campos do Jordão, Canoinhas, Itapecerica da Serra, Ponta Grossa, Santo Antônio do Pinhal, São Carlos, São José dos Pinhais e Taboão da Serra.


bookmark_borderO que é pequi

pequi | s. m.
pe·qui
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   [Botânica]   [Botânica]   Árvore do Brasil. = PEQUISEIRO

2. [Brasil]   [Brasil]   [Botânica]   [Botânica]   Fruto dessa árvore.

Sinónimo Sinônimo Geral: PEQUIÁ, PIQUI


substantivo masculino Árvore brasileira, de cujo fruto se faz um licor apreciado. (Família das cariocaráceas.) O mesmo que pequizeiro.


Pequi (Caryocar brasiliense), também chamado de pequizeiro, piqui, piquiá e pequiá, é uma árvore da família das cariocaráceas nativa do cerrado brasileiro. Seu fruto é muito utilizado na culinária sertaneja. Dele, é extraído um óleo denominado “azeite de pequi”. Seus frutos são, também, consumidos cozidos, puros ou juntamente com arroz e frango. Seu caroço é dotado de muitos espinhos, e há necessidade de muito cuidado ao se roer o fruto, evitando-se nele cravar os dentes, o que pode causar sérios ferimentos nas gengivas e no palato. O sabor e o aroma dos frutos são muito marcantes e peculiares. O fruto pode ser conservado tanto em essência quanto em conserva.


bookmark_borderO que é castanha

castanha | s. f. fem. sing. de castanho
cas·ta·nha
(latim castanea, -ae )
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Fruto do castanheiro.

2. Fruto do cajueiro.

3. [Botânica]   [Botânica]   Semente do fruto do cajueiro. = CASTANHA-DE-CAJU

4. Pancada dada na cabeça com a mão.

5. [Veterinária]   [Veterinária]   Excrescência córnea na face interna da canela ou do antebraço dos equídeos .

6. [Marinha]   [Marinha]   Peça saliente onde engata ou por onde passa algum cabo.

7. [Pouco usado]   [Pouco usado]   Roda de cabelo atado no alto da cabeça.

8. [Popular]   [Popular]   Pancada.

9. Excremento de burro ou cavalo.

10. [Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]   Alcalóide sucedâneo da morfina. = HEROÍNA

11. [Brasil]   [Brasil]   Isolador de porcelana ou vidro para as antenas dos rádios.

12. [Brasil]   [Brasil]   Peça que reúne as lâminas das molas dos vagões de caminho-de-ferro .
cas·ta·nho cas·ta·nho
adjectivo adjetivo

1. Que tem a cor da casca de castanha.nome masculino

2. A cor da casca da castanha.

3. Madeira do castanheiro (ex.: mesa em castanho).

4. Tempo das castanhas.

5. [Popular]   [Popular]   Castanheiro.

6. Boi cuja cor se aproxima da castanha.


substantivo feminino Fruto do castanheiro, comestível, muito rico em amilo.
Castanha de caju, fruto do cajueiro.
[Brasil] Quebrar a castanha, a alguém, humilhar, tirar-lhe a fama, ou a prosa.


As castanhas são os aquénios (geralmente três) do ouriço, o fruto capsular epinescente do castanheiro-da-europa (Castanea sativa).
Presume-se que a castanha seja oriunda da Ásia Menor, Balcãs e Cáucaso, acompanhando a história da civilização ocidental desde há mais de 100 mil anos. A par com o pistácio, a castanha constituiu um importante contributo calórico ao homem pré-histórico que também a utilizou na alimentação dos animais.
Os gregos e os romanos colocavam castanhas em ânforas cheias de mel silvestre. Este conservava o alimento e impregnava-o com o seu sabor. Os romanos incluíam a castanha nos seus banquetes. Durante a Idade Média, nos mosteiros e abadias, monges e freiras utilizavam frequentemente as castanhas nas suas receitas. Por esta altura, a castanha, era moída, tendo-se tornado mesmo um dos principais farináceos da Europa.
Com o Renascimento, a gastronomia assume novo requinte, com novas fórmulas e confecções. Surge o marron glacé, passando de França para Espanha e daí, com as Invasões Francesas, chega a Portugal.
A castanha que comemos é, de facto, uma semente que surge no interior de um ouriço (o fruto do castanheiro). Mas, embora seja uma semente, como as nozes, tem muito menos gordura e muito mais amido (um hidrato de carbono), o que lhe dá outras possibilidades de uso na alimentação. As castanhas têm mesmo cerca do dobro da percentagem de amido das batatas. São também ricas em vitaminas C e B6 e uma boa fonte de potássio. Consideradas, actualmente, quase como uma “guloseima” de época, as castanhas, em tempo idos, constituíram um nutritivo complemento alimentar, substituindo o pão na ausência deste, quando os rigores e escassez do Inverno se instalavam. Cozidas, assadas ou transformadas em farinha, as castanhas sempre foram um alimento muito popular, cujo aproveitamento remonta à Pré-História.


bookmark_borderO que é pinhão

pinhão | s. m.
pi·nhão
(espanhol piñon )
nome masculino

1. Semente de pinheiro manso. = PENISCO

2. [Botânica]   [Botânica]   Planta anonácea de Cabo Verde.

3. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Ornamento triangular sobre portais, portas, janelas, etc. = GABLETE


substantivo masculino Cada uma das sementes contidas na pinha; semente do pinheiro.
Peça do diferencial dos automóveis.


Pinhão é a designação genérica da semente de várias espécies de pinaceaes e araucariaceaes, plantas gimnospérmicas, isto é, cuja semente não se encerra num fruto. O pinhão se forma dentro de uma pinha, fechada, que com o tempo vai-se abrindo até liberar o pinhão. Nas pináceas (a exemplo do Pinus elliottii), as sementes são dotadas de uma película, como uma espécie de asa, que se descola da pinha madura e possibilita que as sementes sejam espalhadas pelo vento, iniciando-se assim o processo de crescimento de um novo pinheiro.
No Brasil, o termo “pinhão” geralmente designa as sementes da Araucaria angustifolia, árvore de destacada importância cultural, econômica e ambiental no sul e em algumas partes do sudeste do Brasil. Já em Portugal, o termo “pinhão” (ou penisco) designa o que no Brasil se chama de “pinhão miúdo” (ou pinolo, em italiano), que vem do pinheiro-manso e é bem menor que o pinhão brasileiro.


bookmark_borderO que é noz

noz | s. f.
noz |ó| noz |ó|
(latim nux, nucis, fruto de casca dura )
nome feminino

1. Fruto da nogueira.

2. Pequena porção, geralmente do tamanho desse fruto (ex.: noz de manteiga).

3. Saliência em que se entesa a corda do arco ou da besta.

4. [Informal]   [Informal]   A cabeça.Plural: nozes. Plural: nozes.Confrontar: nos.


substantivo feminino Fruto da nogueira, de casca rugosa e dura coberta por outra casca verde, que cai assim que o fruto amadurece. (Quando fresca, tem uma carne macia; seca, fornece óleo comestível.).
Gír. A cabeça.
[Portugal] Deus dá nozes a quem não tem dentes, há pessoas que não sabem aproveitar os meios ou aptidões que possuem, ou não sabem aproveitar as ocasiões.


Um fruto de casca rija, em botânica, é um fruto seco com apenas uma semente (raramente duas) no qual a parede do ovário ou parte dela torna-se muito dura na maturidade. A maioria dos frutos de casca rija vem dos pistilos com ovários inferiores (veja flor) e não abrem na maturidade.
Exemplos de frutos de casca rija verdadeiras são os frutos dos carvalhos (bolotas), das avelaneiras, das faias, das castanheiras, das nogueiras e a castanha-de-caju.