bookmark_borderO que é piscina

piscina | s. f.
pis·ci·na
(latim piscina, -ae, viveiro de peixes, piscina, cisterna, reservatório )
nome feminino

1. Grande tanque usado para fins recreativos ou desportivos .

2. Viveiro ou reservatório de água onde se criam peixes.

3. Nome dado em alguns conventos à fonte onde os religiosos lavavam as mãos depois da comida.

4. Vaso de pedra onde se fazem baptismos . = PIABAPTISMAL

5. [Figurado]   [Figurado]   [Religião]   [Religião]   Sacramento que consiste na revelação dos pecados feita ao confessor, tendo em vista a absolvição. = PENITÊNCIA

6. Tudo o que purifica.

fazer piscinas • Percorrer, nadando, a extensão de uma piscina (ex.: fez 40 piscinas hoje).

• [Portugal, Informal]   • [Portugal, Informal]   Fazer percursos repetitivos ou de ida e volta (ex.: fiz muitas piscinas para fazer a mudança de casa).


substantivo feminino Tanque artificial com água tratada para natação ou para outras atividades esportivas e recreativas.
[Religião] Pia em que se realiza o sacramento do batismo; pia batismal.
[Religião] Arrependimento dos pecados; sacramento da penitência.
Reservatório com água para lavar roupa ou tanque específico com água para o gado.
[Antigo] Depósito com água reservada para a criação de peixes; viveiro.
Etimologia (origem da palavra piscina). Do latim piscina.ae.


Uma piscina (do latim piscina, derivado de piscis “peixe”) é um tanque de água próprio para natação, mergulhos, saltos ornamentais e outras práticas desportivas, como polo aquático e hidroginástica, tratamento de doenças e reabilitação física, ou simplesmente para recreação. Geralmente é equipada com uma estação de tratamento de água própria para piscinas, como bomba de água para o bombeamento de água da mesma.


bookmark_borderO que é campainha

campainha | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de campainhar 2ª pess. sing. imp. de campainhar
cam·pa·i·nha |a-í| cam·pa·i·nha |a-í|
(campa + -inha )
nome feminino

1. Pequeno sino de mão. = SINETA, TINTINÁBULO

2. Dispositivo acústico de chamada ou de alarme, accionado de forma eléctrica ou mecânica.

3. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Ornato dórico em forma de sineta.

4. [Informal]   [Informal]   Apêndice carnudo, móvel e contráctil , em forma de bago de uva, que pende do véu palatino, à entrada da garganta. = ÚVULA

5. [Informal, Figurado]   [Informal, Figurado]   Pessoa que divulga tudo o que ouve.

6. [Botânica]   [Botânica]   Designação comum a várias plantas da família das campanuláceas. = CAMPÂNULA

7. Flor dessas plantas. = CAMPÂNULA
cam·pa·i·nha·r |a-í| cam·pa·i·nha·r |a-í| – Conjugar
(campainha + -ar )
verbo intransitivo

Fazer tocar uma campainha.


substantivo feminino Dispositivo conectado a portões ou portas que, emitindo um som, avisa quem está no interior da existência de alguém do lado de fora, querendo entrar.
Alarme; dispositivo sonoro conectado a despertadores, telefones utilizado para acordar alguém ou chamar a atenção dessa pessoa.
Sineta; pequeno sino de mão.
[Figurado] Quem não guarda segredo; pessoa que fala tudo aquilo que ouve.
[Anatomia] Úvula; nome comum de algumas massas carnosas que, no corpo humano, se apresentam dependuradas; apêndice em forma de cone do véu palatino, situado na parte posterior da boca.
[Botânica] Designação comum a várias plantas da família das campanuláceas, geralmente usadas como plantas ornamentais.
Etimologia (origem da palavra campainha). Campa + inha.


Uma campainha elétrica é um dispositivo constituído por um interruptor, um eletroíman, uma armadura, um martelo, uma campânula e um gerador de corrente contínua ou alterna.
O interruptor do circuito utilizado neste tipo de campainhas foi inventado em 1837 por Johann Philipp Wagner e conhece-se também pelo nome de martelo de Wagner.
O funcionamento de uma campainha elétrica baseia-se numa peça fundamental: o eletroíman.
Assim, ao ligar-se o interruptor, a corrente que passa no circuito faz com que o eletroíman adquira propriedades magnéticas atraindo a armadura e arraste com ela um martelo de mola que bate numa caixa metálica em forma de sino ou semiesfera, fazendo-a ressoar.
No momento do choque o eletroíman deixa de ter propriedades magnéticas e a armadura volta à sua posição inicial estabelecendo-se novamente o circuito.
Este processo repete-se rapidamente e ouve-se a campainha tocar até que seja desligado o interruptor.
Nalguns casos, quando se usa corrente alterna existem duas caixas metálicas ressoadoras e o martelo bate alternadamente em cada uma delas.


bookmark_borderO que é corda

corda | s. f. | s. f. pl.
cor·da
(latim chorda, -ae, do grego khordê, -ês, intestino, tripa )
nome feminino

1. Conjunto de fios de cânhamo ou de qualquer matéria filamentosa, torcidos juntos uns sobre os outros.

2. Fio onde se coloca a roupa para secar ou arejar (ex.: deixei os lençóis na corda).

3. [Figurado]   [Figurado]   Enfiada, série.

4. [Geometria]   [Geometria]   Linha recta (menor que o diâmetro) que liga as duas extremidades de um arco.

5. [Música]   [Música]   Fio, geralmente de tripa, de seda ou de metal, que é posto em vibração para produzir som em certos instrumentos musicais.

6. [Técnica]   [Técnica]   Espiral metálica enrolada que quando se desenrola dá movimento a certos maquinismos.
cordasnome feminino plural

7. [Música]   [Música]   Conjunto dos instrumentos de uma orquestra cujo som é produzido por vibração de fios ou cordas, como o violino, o violoncelo, etc.

com a corda ao pescoço • [Informal]   • [Informal]   O mesmo que com a corda na garganta.

com a corda na garganta • [Informal]   • [Informal]   Em apertos; com dificuldades (ex.: no último encontro, jogaram com a corda na garganta).

com a corda no pescoço • [Informal]   • [Informal]   O mesmo que com a corda na garganta.

corda bamba • Corda tensa, presa em dois pontos, na qual os equilibristas se deslocam e fazem exercícios. = MAROMA, MAROMBA

• [Figurado]   • [Figurado]   Situação perigosa ou instável.

corda dorsal • [Zoologia]   • [Zoologia]   O mesmo que notocórdio.

corda vocal • [Anatomia]   • [Anatomia]   Cada uma das pregas membranosas da laringe, com grande influência na produção da voz. (Mais usado no plural.)

dar corda aos sapatos • [Informal]   • [Informal]   Ir embora depressa.

estar com a corda toda • [Informal]   • [Informal]   Estar muito falador ou muito entusiasmado.

fazer cordas de areia • Tentar impossíveis.

roer a corda • [Informal]   • [Informal]   Não cumprir o prometido; faltar à promessa. = DAR O DITO POR NÃO DITO

• [Informal]   • [Informal]   Desfazer combinação, acordo ou negócio prestes a concretizar-se.

tocar na corda sensível • Dizer a alguém coisa que o atinja no seu ponto fraco.


substantivo feminino Conjunto de fios torcidos juntos que formam uma peça resistente de aplicação variada.
Fio de tripa ou de arame que vibra, produzindo som em certos instrumentos.
Lâmina de aço que faz mover o maquinismo dos relógios, brinquedos etc.
[Matemática] Segmento de reta que une dois pontos de uma circunferência, ou de uma curva qualquer.
Corda bamba, corda suspensa pelas extremidades, não muito retesada, sobre a qual os funâmbulos fazem malabarismos.
[Anatomia] Cordas vocais, membranas da glote.
Estar com a corda no pescoço, estar em apertos ou apuros (geralmente financeiros) de solução improvável a curto prazo.
Dar corda a (alguém), incentivar (alguém) a falar; dar trela a.


Uma corda ou cabo (ou ainda, barbante, no caso de uma fina trança de fios) é um feixe de fibras ou arames trançados ou enrolados entre si, para permitir a tração de cargas, a fixação de objetos ou a segurança de pessoas durante a prática de esportes, como a escalada e o rapel, ou ainda em trabalhos em altura.
As cordas podem ser compostas de um único material ou uma associação de materiais, como fibras naturais (algodão, juta, sisal, linho, seda), sintéticas (nylon, polietileno, polipropileno, poliéster ou fibras de carbono) ou metálicas.A bordo de uma embarcação, contudo, o termo corda é reservado para a corda do relógio, sendo as cordas existentes a bordo designadas exclusivamente como cabos.


bookmark_borderO que é vaso

vaso | s. m. vaso- | elem. de comp.
va·so
(latim vulgar *vasum, do latim vas, vasis, vaso )
substantivo masculino

1. Toda e qualquer peça côncava que pode conter sólidos ou líquidos.

2. Peça côncava usada para cultivar plantas ou para adornar jardins, edifícios, etc.

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Tudo o que é susceptível de conter alguma coisa. = RECEPTÁCULO

4. O mesmo que vaso sanitário.

5. O mesmo que vaso de noite.

6. [Informal]   [Informal]   Vagina.

7. [Pouco usado]   [Pouco usado]   [Marinha]   [Marinha]   Navio.

8. [Anatomia]   [Anatomia]   Canal para transportar fluidos (ex.: vaso arterial, vaso linfático).

9. [Astronomia]   [Astronomia]   Constelação austral. (Geralmente com inicial maiúscula.)

vaso canópico • Recipiente usado pelos antigos egípcios para guardar vísceras embalsamadas dos corpos mumificados. = CANOPO

vaso de guerra • [Marinha]   • [Marinha]   Navio de guerra.

vaso de noite • Recipiente portátil para urina ou dejectos humanos. = BACIO, BISPOTE, PENICO

vaso sanitário • Peça fixa, geralmente de loiça, que recebe os dejectos humanos. = LATRINA, RETRETE,RETRETE, SANITA
vaso- vaso-
(latim vulgar *vasum, do latim vas, vasis, vaso )
elemento de composição

Exprime a noção de vaso (ex.: vasogénico).


substantivo masculino Recipiente côncavo, para líquidos, sólidos, flores etc.
Navio de grandes proporções, geralmente de guerra.
O mesmo que urinol.
[Anatomia] Canal em que circula o sangue ou a linfa. (Distinguem-se três espécies de vasos: as artérias, os capilares e as veias.).
[Botânica] Tubo condutor da seiva bruta.
[Física] Vasos comunicantes, conjunto de vasos interligados, nos quais um líquido se eleva à mesma altura, qualquer que seja a forma de cada um deles.


Vaso ou jarra é uma peça em forma de jarro que é utilizado para decorar salas, recepções, corredores ou ainda para decorar espaços abertos, como escadas ou jardins. Sua função é meramente ornamental, sendo utilizado para armazenar flores.
Vasos, assim como as urnas decorativas, foram conhecidos e usados pelos gregos. Entretanto, são introduzidos como artigos de decoração nos salões da época moderna no início do século XVII, quando eram fabricados de mármore, bronze, prata, porcelana e louça (principalmente os vasos chineses).
Alguns vasos se colocam flores artificiais, cuja indústria começara no século XVI, e se entende ao longo do século seguinte, sendo aperfeiçoado desde o século XVIII ou um recipiente, tradicionalmente feito de barro, onde se criam plantas ornamentais.


bookmark_borderO que é lustre

lustre | s. m. 1ª pess. sing. pres. conj. de lustrar 3ª pess. sing. imp. de lustrar 3ª pess. sing. pres. conj. de lustrar
lus·tre
nome masculino

1. Lampadário, candelabro pendente com muitas luzes.

2. Brilho.

3. Polimento.

4. [Figurado]   [Figurado]   Fama, resplendor, glória, brilhantismo.
lus·trar lus·trar – Conjugar
verbo transitivo

1. Dar lustre a.

2. Envernizar, polir, engraxar.

3. Examinar minuciosamente.

4. Visitar.

5. Tornar culto.

6. Purificar (por meio de água).verbo intransitivo

7. Luzir, brilhar.


substantivo masculino Brilho; O mesmo que lustro.
[Figurado] Brilhantismo, glória.
Candelabro de vários braços que se suspende do teto.


Um lustre, candelabro ou lampadário é um candeeiro suspenso com mais de um foco luminoso, como velas ou lâmpadas. Os lustres modernos são frequentemente bastante decorados, com dezenas de lâmpadas e arranjos complexos de vidro ou outros materiais que iluminam um espaço interior com padrões intrincados.Existem alguns cuidados ao utilizar o lustre na decoração, como produzir luz suave e distanciar a peça da mesa, para não incomodar os olhos, também pode ser utilizado para destacar moveis como uma mesa de apoio, mesa principal, em casos que se tenham uma luz ambiente geral efetiva. Por isso é sempre importante pensar se vale ou não a pena fazer um projeto luminotécnico.


bookmark_borderO que é novelo

novelo | s. m.
no·ve·lo |ê| no·ve·lo |ê|
(latim tardio lobellus, do latim globellus, -i, diminutivo de globus, -i, globo, bola )
nome masculino

1. Bola de fio enrolado.

2. Floco.

3. [Figurado]   [Figurado]   Enredo, intriga.

4. [Figurado]   [Figurado]   Coisa emaranhada ou confusa. = EMBRULHADA

5. [Portugal: Açores, Madeira]   [Portugal: Açores, Madeira]   [Botânica]   [Botânica]   Hortênsia, em especial o corimbo das flores. (Mais usado no plural.)


substantivo masculino Bola de fio enrolado.
[Figurado] Embrulhada, enredo.


Novelo é um emaranhado de fios enrolados. São confeccionados com lã e, frequentemente, usados no tricô. Os novelos ficaram conhecidos popularmente por serem um objeto de diversão para gatos.


bookmark_borderO que é vela

vela | s. f. vela | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de velar 2ª pess. sing. imp. de velar
ve·la |é| ve·la |é| 2
(derivação regressiva de velar )
substantivo feminino

1. Acto de velar. = VELADA, VELADURA, VIGÍLIA

2. Privação de sono durante a noite. = INSÓNIA , VIGÍLIA

3. Pessoa que vela ou vigília. = SENTINELA

4. Peça de cera, sebo ou estearina, com uma torcida ou pavio no centro e que serve para dar luz.

5. [Cirurgia]   [Cirurgia]   Aparelho, em forma de cilindro, empregado como sonda.

6. [Farmácia]   [Farmácia]   Fórmula farmacêutica que tem como excipiente uma substância gorda destinada a fundir ao calor do organismo e que, introduzida no ânus, na uretra ou em outros canais estreitos, serve de veículo a diversos medicamentos.

7. [Física]   [Física]   Unidade de medida de intensidade luminosa.

8. [Mecânica]   [Mecânica]   Peça dos motores de explosão onde se produz a faísca eléctrica , destinada a queimar os vapores da essência motriz.

segurar a vela • Fazer companhia a um casal de namorados.

vela eléctrica • [Antigo]   • [Antigo]   Conjunto de carvões que, em aparelhos de iluminação, produzem a luz eléctrica .
ve·la |é| ve·la |é| 1
(latim vela, -orum, plural de velum, -i, pano, reposteiro, cortina, véu; máscara )
substantivo feminino

1. Pano forte e resistente que se prende aos mastros para fazer andar as embarcações, ou aos braços dos moinhos de vento para os fazer girar.

2. [Figurado]   [Figurado]   Embarcação dotada desse pano e movida pela força do vento.

3. [Desporto]   [Esporte]   Modalidade desportiva que compreende disciplinas com embarcações dotadas de vela.

4. [Astronomia]   [Astronomia]   Constelação austral. (Geralmente com inicial maiúscula.)

à vela • Com as velas desfraldadas.

• [Informal]   • [Informal]   Em fralda de camisa.

• [Informal]   • [Informal]   Sem roupa. = DESCOBERTO, DESPIDO

ir de vela • [Informal]   • [Informal]   Ir embora, desaparecer.

vela de balão • [Náutica]   • [Náutica]   Grande vela de proa triangular, leve e côncava, utilizada em veleiros de recreio nas mareações a partir de bolina folgada. = BALÃO

vela latina • [Náutica]   • [Náutica]   Vela, triangular ou quadrangular, que tem um dos lados preso ao mastro ou mastaréu.

vela redonda • [Náutica]   • [Náutica]   Vela de verga.
ve·lar ve·lar 1- Conjugar
(latim vigilo, -are )
verbo transitivo

1. Estar de vigia a, estar de guarda a, geralmente durante as horas habitualmente dadas ao sono. = VIGIAR

2. [Figurado]   [Figurado]   Proteger.

3. Proteger.

4. Não abandonar.

5. Interessar-se com vigilante zelo.

6. Exercer vigilância sobre.verbo intransitivo

7. Passar a noite ou parte dela sem dormir.

8. Fazer serão prolongado.

9. Conservar-se aceso (ex.: uma luz velava).

10. Estar sempre vigilante.

11. [Figurado]   [Figurado]   Conservar-se no constante exercício das suas funções.verbo pronominal

12. Vigiar-se, acautelar-se.
ve·lar ve·lar 2- Conjugar
(latim velo, -are )
verbo transitivo

1. Cobrir com véu.

2. Tapar com alguma coisa a modo de véu.

3. Não deixar ver, interceptar .

4. [Pintura]   [Pintura]   Cobrir com cor leve para deixar transparecer a superfície ou a tinta inferior.verbo pronominal

5. Cobrir-se com véu.

6. Encobrir-se, ocultar-se.

7. Anuviar-se.

8. Toldar-se, perder a sonoridade.
ve·lar ve·lar 3
(latim velum, -i, pano, cortina, máscara, véu + -ar )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. [Anatomia]   [Anatomia]   Relativo ao palato mole ou véu palatino.

2. [Fonética]   [Fonética]   Que se articula com aproximação da língua ao palato mole (ex.: [g] e [k] são consoantes oclusivas velares). = LINGUOVELAR


substantivo feminino Peça de cera, ou composta por outras substâncias gordurosas, que possui um pavio e se utiliza para iluminar.
Filtro; objeto poroso utilizado para filtrar água.
Segurar Vela. Servir de companhia a um casal de namorados.
Etimologia (origem da palavra vela). Forma regressiva de velar.
substantivo feminino Peça de tecido que, geralmente em linho, náilon ou algodão, se utiliza para levar uma embarcação para frente.
A embarcação ou navio que se move com a ajuda desse tecido.
Etimologia (origem da palavra vela). Do latim vela.ae.


Vela ou candeia é uma fonte de luz que consiste tipicamente num pavio inserido num combustível sólido, tipicamente parafina. A função do pavio é ser queimado no intuito de produzir fogo, e este, por sua vez, iluminar o ambiente. Além da parafina, existem outros combustíveis que podem ser utilizados, como o azeite e outros óleos vegetais.
A vela é uma fonte de luz utilizada desde tempos remotos, quer na sua forma simples ou acopladas em lanternas, utilizadas muito antes da descoberta da lâmpada e outros sistemas de iluminação eléctricos.
Durante a preparação da vela, previamente à ignição, o pavio é saturado com o combustível na forma sólida. O calor do fósforo ou outra fonte de fogo vai derreter e vaporizar uma pequena porção de combustível que, no estado gasoso vai combinar-se com o oxigénio da atmosfera para formar a chama. A chama vai então providenciar calor suficiente para manter a vela acesa, numa típica reacção em cadeia auto-sustentável: o calor da chama derrete a superfície do combustível sólido, liquefazendo-o e fazendo-o deslocar-se em direcção ao pavio e subi-lo, por capilaridade; o líquido passará, com o calor, para o estado gasoso, que vai ser consumido pela chama.

O combustível é queimado em várias e distintas regiões (como evidenciado pelas diferentes cores produzidas pela chama da vela). No interior das regiões mais quentes, azuladas (1), o hidrogénio está sendo separado do combustível e queimado, formando vapor de água. A zona mais clara da chama, amarelada (4), é explicada pela oxidação do carbono residual, produzindo dióxido de carbono.
À medida que o combustível sólido é derretido e consumido, a vela vai diminuindo de tamanho. As porções do pavio que não estão a provocar a evaporação do líquido combustível são consumidas pela chama, limitando o comprimento do pavio exposto.


bookmark_borderO que é barril

barril | s. m.
bar·ril
(origem controversa )
nome masculino

1. Vasilha de aduela, em forma de pipa, que leva de cem litros para baixo. = BARRICA

2. Recipiente semelhante a esse (ex.: barril de cerveja).

3. [Física, Metrologia]   [Física, Metrologia]   Medida de capacidade (símbolo: bbl) equivalente a cerca de 159 litros, utilizado sobretudo para os produtos petrolíferos.

4. Vasilha de barro, usada para conservar a água fresca, com uma pega e um ou dois gargalos estreitos.

5. [Pesca]   [Pesca]   Certa parte de armação de pesca do atum.

6. [Informal, Depreciativo]   [Informal, Depreciativo]   Pessoa gorda e geralmente baixa. = BARRICAConfrontar: baril.


substantivo masculino Pequeno tonel de madeira semelhante a um cilindro, usado para conservar ou para o transporte de alimentos, especialmente líquidos; tonel: barril de vinho, de pinga, de chope.
Medida de líquidos que corresponde a 42 galões, aproximadamente 159 litros.
[Por Extensão] Qualquer recipiente semelhante ao barril, embora confeccionado em outros materiais: barril de petróleo.
Etimologia (origem da palavra barril). De origem questionável; talvez do provençal baril.


Barril é um recipiente cilíndrico oco, tradicionalmente feito de varas de madeira vertical e ligadas por aros de madeira ou metal, usado para colocar líquidos. A profissão de fabricante de barris é a tanoaria.


bookmark_borderO que é cetro

ceptro cetro | s. m.
cep·tro |ét| ce·tro |ét| ce·tro |ét|
nome masculino

1. Bastão curto que é uma das insígnias do poder soberano.

2. [Figurado]   [Figurado]   O monarca, a autoridade soberana.

3. Superioridade, proeminência.

empunhar o ceptro • Principiar a reinar.• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: cetro. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:ceptro.
• Grafia no Brasil: cetro. • Grafia em Portugal:ceptro.


substantivo masculino Bastão curto encimado por um ornato que os soberanos trazem na mão direita em certas cerimônias: coroa, cetro e globo são as insígnias da realeza.
[Figurado] O poder ou a dignidade real; seu exercício, o próprio soberano.
Etimologia (origem da palavra cetro). Do latim sceptrum.


Cetro ou ceptro (esta última forma usada apenas em português europeu) é um bastão usado por autoridades reais, geralmente empunhado pelo monarca na mão direita e uma das insígnias do poder soberano. Simbolicamente, é considerado o portador das forças divinas além de um atributo dos deuses.


bookmark_borderO que é envelope

envelope | s. m. 1ª pess. sing. pres. conj. de envelopar 3ª pess. sing. imp. de envelopar 3ª pess. sing. pres. conj. de envelopar
en·ve·lo·pe
(francês enveloppe )
nome masculino

Envoltório para cartas ou outros documentos ou papéis. = SOBRECARTA, SOBRESCRITO
en·ve·lo·par en·ve·lo·par – Conjugar
(envelope + -ar )
verbo transitivo

Colocar em envelope.


substantivo masculino Pedaço de papel dobrado em forma de bolsinha, destinado a conter carta, cartão etc.; sobrecarta.


Um envelope ou sobrescrito é uma coberta de papel ou outro material para guardar cartas, documentos ou impressos de qualquer outra natureza para enviar pelos correios. O envelope é feito de forma para que possa se colocar as informações referentes ao destinatário (na frente do envelope, lado sem aba) e ao remetente (atrás do envelope, lado com aba). Por isso a parte frontal é lisa, com as dobras do papel sempre para trás.
Comumente a cultura de cada país adota envelopes com bordas nas principais cores nacionais. No Brasil, por exemplo, o padrão principal é o modelo de envelope com bordas nas cores amarelo e verde alternadas sobre o branco de uso precípuo para correspondências internacionais. Outras observações também caracterizam o modelo brasileiro como envelope cartão-postal, devido a ornamentação conferida pelas cores da borda.