bookmark_borderO que é spam

spam | s. m.
spam |spâme|
(palavra inglesa, redução de spiced ham, presunto condimentado )
nome masculino

[Informática]   [Informática]   Tipo de mensagem de correio electrónico , geralmente com intuito publicitário ou fraudulento, enviada para grande número de destinatários que não forneceram o seu endereço para esse fim.


substantivo masculino [Informática] Mensagem enviada ao correio eletrônico (email) de muitas pessoas sem que elas tenham fornecido seus respectivos endereços; o conteúdo dessas mensagens (geralmente) pode ser de teor publicitário e/ou fraudulento.
Etimologia (origem da palavra spam). Forma Red. do inglês spice ham.


O termo Spam pode ser um acrónimo derivado da expressão em inglês “Sending and Posting Advertisement in Mass”, traduzido em português “Enviar e Postar Publicidade em Massa”, ou também Stupid Pointless Annoying Messages que significa mensagem ridícula, sem propósito, e irritante. No entanto, existem diversas versões a respeito da origem da palavra spam. A versão mais aceita, e endossada pela RFC 2635, afirma que o termo originou-se da marca SPAM, um tipo de carne suína enlatada da Hormel Foods Corporation, e foi associado ao envio de mensagens não-solicitadas devido a um quadro do grupo de humoristas ingleses Monty Python.Na sua forma mais popular, spam é sinónimo de lixo de correio eletrónico e designa mensagens de correio eletrônico com fins publicitários. O termo, no entanto, pode ser aplicado a mensagens enviadas por outros meios e noutras situações até modestas. Geralmente os spams têm caráter apelativo e na maioria das vezes são incômodos e inconvenientes.
Simultaneamente ao desenvolvimento e popularização da Internet, ocorreu o crescimento de um fenômeno que, desde seu surgimento, se tornou um dos principais problemas da comunicação eletrônica em geral: o envio em massa de mensagens não-solicitadas. Esse fenômeno ficou conhecido como spamming, as mensagens em si, como spam, e os seus autores, como spammers.
Apesar da existência de mensagens não-eletrônicas que podem ser comparadas a spam, como por exemplo folhetos promocionais não-solicitados, o termo é reservado aos meios eletrônicos devido a motivações que os tornam muito mais propícios ao crescimento do fenômeno do que outros.
Alguns países aprovaram uma legislação para regular a prática de envio de mensagens publicitárias não solicitadas, mas a sua eficácia é discutível. Apesar disso, diversas entidades governamentais, comerciais e independentes declaram que o spam é um dos maiores problemas atuais da comunicação eletrônica.
No Brasil ainda não é crime enviar spam, mas esta prática está sendo atualmente discutida no Senado e pode virar lei de acordo com o projeto PLS 21/04. Mesmo sua proibição ainda não sendo oficial, sua prática acaba sendo autorregulamentada, pois o spammer é mal visto, seu produto ou empresa é desacreditado, seu provedor, domínio ou IP pode ser incluído nas listas de bloqueio dos administradores de rede. Por este motivo quase sempre o spam está ligado a práticas criminosas ou a ingenuidade do empreendedor.
Em Portugal a Diretiva n.º 2002/58/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, foi transposta para a lei nacional pelo Decreto-Lei n.º 7/2004 de 7 de Janeiro, através do seu Capítulo IV que regula as Comunicações publicitárias em rede e marketing directo. O artigo 22.º determina que “o envio de mensagens para fins de marketing directo”, nomeadamente por correio electrónico, “carece de consentimento prévio do destinatário”. O consentimento prévio só é exigido se o destinatário não for uma pessoa colectiva. A violação desta norma é considerada uma contra-ordenação sancionável com coima de €2.500 a €50.000, agravada em um terço se o acto for cometido por pessoa colectiva. Posteriormente, foi transposta a Diretiva n.º 2009/136/CE para a Lei 46/2012 – Dados pessoais e privacidade nas comunicações electrónicas, que regula presentemente o envio de comunicações não solicitadas.
Os raros casos de prisão ou citação de spammers são provenientes do crime cometido por eles e não do envio do spam em si. Exemplos: enviar spam se fazendo passar por outra pessoa ou empresa, enviar spam com programas maliciosos, destinados a invadir sistemas ou capturar senhas. Nestes casos a prisão se deu pelo crime cometido e não pelo spam (que ainda não é considerado crime).
Este artigo fornece uma visão geral do spam, abordando características que independem do tipo ou meio de envio, exceto quando especificado.


bookmark_borderO que é establishment

establishment | s. m.
establishment |estâblichemãte|
(palavra inglesa )
nome masculino

1. Ordem social estabelecida.

2. Grupo de pessoas com grande influência ou poder.


substantivo masculino Grupo sociopolítico que exerce sua autoridade, controle ou influência, defendendo seus privilégios; ordem estabelecida, sistema.
Etimologia (origem da palavra establishment). Palavra inglesa.


O termo inglês establishment refere-se à ordem ideológica, econômica e política que constitui uma sociedade ou um Estado.Em sentido depreciativo, designa uma elite social, econômica e política que exerce forte controle sobre o conjunto da sociedade, funcionando como base dos poderes estabelecidos. O termo se estende às instituições controladas pelas classes dominantes, que decidem ou cujos interesses influem fortemente sobre decisões políticas, econômicas, culturais, etc., e que portanto controlam, no seu próprio interesse e segundo suas próprias concepções, as principais organizações públicas e privadas de um país, em detrimento da maioria dos eleitores, consumidores, pequenos acionistas, etc.Em sentido mais restrito, pode referir-se a um grupo de indivíduos com poder e influência sobre determinada organização ou campo de atividade.Na origem, o termo dizia respeito a uma aliança entre a burguesia urbana e grupos da aristocracia rural britânica, que tradicionalmente concentrava os meios de ação no país, sendo pouco aberta a inovações em todos os campos e hostil ao compartilhamento do poder com outros grupos.


bookmark_borderO que é gateway

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. gatitas gatita gateada baterá bateram baterás bateras batera baterão (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico) gateai (norma brasileira) gatear (norma brasileira) gateia (norma brasileira) gateiam (norma brasileira) gateias (norma brasileira) gateza (norma brasileira) gatezas (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino [Informática] Dispositivo que liga duas redes distintas.
Dispositivo de tradução de protocolo de software permitindo que usuários de uma rede acessem outra.
No correio eletrônico, programa que permite que mensagens sejam enviadas por uma rota diferente ou para uma outra rede.
Gateway para fax: computador ou programa que permite aos usuários enviarem informações como transmissão de fax e não como arquivo armazenado em disco.
Etimologia (origem da palavra gateway). Do inglês gateway.


Em telecomunicações, o termo em inglês Gateway (em português Ponte de ligação) refere-se a um pedaço de hardware de rede que possui os seguintes significados:

Em uma rede de comunicações, um nó de rede equipado para interfacear com outra rede que usa protocolos diferentes.
Um gateway pode conter dispositivos como tradutores de protocolo, dispositivos de comparação de impedância, conversores de taxas, isoladores de falhas ou tradutores de sinais quando necessário para fornecer interoperabilidade de sistemas.
Um gateway de tradução / mapeamento de protocolo interconecta redes com diferentes tecnologias de protocolo de rede, por meio da realização de conversões de protocolos requeridas.
Um computador ou programa de computador configurado para realizar as tarefas de um gateway.Gateways, também chamados de conversores de protocolo, podem operar em qualquer camada de rede. As atividades de um gateway são mais complexas que aquelas do roteador ou switch, uma vez que se comunicam usando mais de um protocolo.
Os computadores dos usuários de Internet e os computadores que servem páginas para usuários são nós de rede, uma vez que os nós que conectam as redes entre elas são gateways. Por exemplo, os computadores que controlam o tráfego entre redes de empresas ou os computadores usados pelos provedores de serviço de internet para conectar usuários à Internet são nós de gateway.
Na rede para uma empresa, um computador servidor que age como um nó de gateway está frequentemente agindo também como um servidor proxy e um servidor firewall. Um gateway é frequentemente associado com um roteador, que conhece onde direcionar um determinado pacote de dados que é recebido no gateway e comutá-lo, o que fornece o caminho de entrada e saída real do gateway para um determinado receptáculo.
Exemplos de gateway podem ser os routers (ou roteadores) e firewalls, já que ambos servem de intermediários entre o utilizador e a rede. Um proxy também pode ser interpretado como um gateway (embora em outro nível, aquele da camada em que opera), já que serve de intermediário também.


bookmark_borderO que é remake

remake | s. m.
remake |rimêique|
(palavra inglesa )
nome masculino

Nova versão de um filme, de uma obra literária, teatral, etc.


substantivo masculino Nova versão de um filme, de uma novela, de um programa de televisão etc.: todos estão esperando pelo remake do filme mais premiado da história.
Etimologia (origem da palavra remake). Do inglês remake.

bookmark_borderO que é fanzine

fanzine | s. m.
fan·zi·ne
(inglês fanzine, de fan, fã + [maga]zine, revista )
nome masculino

Publicação periódica alternativa, destinada aos fãs de determinada manifestação cultural (ex.: fanzine de banda desenhada).


substantivo masculino Publicação elaborada por e para amantes de ficção científica, histórias em quadrinhos, cinema etc.


Um fanzine (aglutinação de fã e magazine ou zine) é uma publicação não profissional e não oficial, produzido por entusiastas de uma cultura particular, para o prazer de outros que compartilham seu interesse. O termo foi cunhado em outubro de 1940 por Russ Chauvenet e popularizado dentro de fãs de ficção científica, posteriormente adotado por outras comunidades. Fanzines podem ser dedicados a uma determinada franquia, podendo trazer informações e até mesmo fanfics.Normalmente, editores, escritores e outros contribuidores de artigos ou ilustrações para fanzines não são pagos. Fanzines são tradicionalmente divulgados gratuitamente ou por um custo nominal para custear as despesas postais ou de produção. As cópias muitas vezes são oferecidas em troca de publicações similares, ou por contribuições de arte, artigos ou cartas, que são então publicadas.
Alguns fanzines são digitados e fotocopiados por amadores que utilizam equipamentos caseiros. Alguns fanzines têm se desenvolvido em publicações profissionais (às vezes, conhecidas como prozines), e muitos escritores profissionais foram publicados pela primeira vez em fanzines; alguns continuam a contribuir para eles depois de estabelecer uma reputação profissional. O termo “fanzine”, por vezes, é confundido com a expressão “revista de fãs” (fan magazine), mas a última expressão, na maioria das vezes, refere-se a publicações comercialmente produzidos para (em vez de por) fãs.
Embora essa manifestação midiática seja comumente relacionada aos jovens, há produtores e leitores de fanzines em quase todas as faixas etárias.
Na opinião do teórico Antonio Lara, os fanzines desempenharam “um papel fundamental na evolução geral da mídia e, mais especificamente, das formas culturais marginalizadas pelas instituições oficiais”, como “quadrinhos, álbuns de figurinhas, animação, literatura popular, telefilmes e outros “.O termo fanzine deu origem a outros neologismos: zine, corruptela difundida pelo movimento punk, semiprozine, fanzine de qualidade profissional, adzine, criado com a junção das palavras advertising (publicidade) e zine, um fanzine criado para anunciar outros fanzines,splitzine, um fanzine dividido em dois, slimzine, um fanzine pequeno, graphzine, um fanzine com dedicado a artes gráficas e ilustrações, fanálbum, um álbum de quadrinhos independente, sendo álbum, um termo para histórias em quadrinhos publicado no formato de livro, podendo ser uma edição encadernada ou um romance gráfico. Uma biblioteca de fanzines é chamada de fanzinoteca ou fanzineteca. Um editor de fanzines pode ser chamado de fanzineiro ou faneditor. Hoje, graças ao advento da editoração eletrônica e da autopublicação, muitas vezes há poucas diferenças entre a aparência de um fanzine e uma revista profissional.


bookmark_borderO que é hacker

hacker | s. 2 g.
hacker |équèr| ou |áquèr|
(palavra inglesa )
nome de dois géneros

[Informática]   [Informática]   Pessoa com grandes conhecimentos de informática e programação, que se dedica a encontrar falhas em ou a aceder ilegalmente a sistemas e redes computacionais.Plural: hackers. Plural: hackers.


substantivo masculino e feminino Quem invade sistemas computacionais ou computadores para acessar informações confidenciais ou não autorizadas, apontando possíveis falhas nesses sistemas.
[Informal] Pessoa com um vasto conhecimento na área informática, excessivamente proficiente em programar ou usar computadores.
Pessoa especialista em alterar computadores ou programas, invadindo remotamente outros computadores.
[Pejorativo] Indivíduo que invade outros computadores ou programas com propósitos ilegais; cracker.
Etimologia (origem da palavra hacker). Do inglês hacker.


Em informática, hacker AFI: [ʁakɚɹ] é um indivíduo que se dedica, com intensidade incomum, a conhecer e modificar os aspectos mais internos de dispositivos, programas e redes de computadores. Hackers podem ser motivados por uma infinidade de razões, tais como lucro, protesto, coleta de informações, desafio, recreação, ou para avaliar as fraquezas do sistema para auxiliar na formulação de defesas contra hackers em potencial.Graças a esses conhecimentos, um hacker frequentemente consegue obter soluções e efeitos extraordinários, que extrapolam os limites do funcionamento “normal” dos sistemas como previstos pelos seus criadores; incluindo, por exemplo, contornar as barreiras que supostamente deveriam impedir o controle de certos sistemas e acesso a certos dados.O termo (pronunciado “háquer” com “h” expirado) é importado da língua inglesa, e tem sido traduzido por decifrador (embora esta palavra tenha outro sentido bem distinto) ou aportuguesado para ráquer. Os verbos “hackear” e “raquear” costumam ser usados para descrever modificações e manipulações não triviais ou não autorizadas em sistemas de computação.
Hackers são necessariamente programadores habilidosos (mas não necessariamente disciplinados). Muitos são jovens, especialmente estudantes (desde nível médio a pós-graduação). Por dedicarem muito tempo a pesquisa e experimentação, hackers tendem a ter reduzida atividade social e se encaixar no estereótipo do nerd. Suas motivações são muito variadas, incluindo curiosidade, necessidade profissional, vaidade, espírito competitivo, patriotismo, ativismo ou mesmo crime. Hackers que usam seu conhecimento para fins ilegais ou prejudiciais são chamados crackers.Muitos hackers compartilham informações e colaboram em projetos comuns, incluindo congressos, ativismo e criação de software livre, constituindo uma comunidade hacker com cultura, ideologia e motivações específicas. Outros trabalham para empresas ou agências governamentais, ou por conta própria. Hackers foram responsáveis por muitas importantes inovações na computação, incluindo a linguagem de programação C e o sistema operacional Unix (Kernighan e Ritchie), o editor de texto emacs (Stallman), o sistema GNU/Linux (Stallman e Torvalds) e o indexador Google (Page e Brin). Hackers também revelaram muitas fragilidades em sistemas de criptografia e segurança, como, por exemplo, urnas digitais (Gonggrijp e Haldeman), cédula de identidade com chip, discos Blu-ray, bloqueio de telefones celulares, etc.


bookmark_borderO que é squash

squash | s. m.
squash |squáche|
(palavra inglesa )
nome masculino

[Desporto]   [Esporte]   Jogo próximo da pelota basca e do ténis praticado num espaço mais restrito.


substantivo masculino Esporte que se assemelha ao tênis, sendo praticado num local fechado, cujos dois jogadores estão lado a lado batendo com a raquete numa bola, arremessando-a contra a parede.
Etimologia (origem da palavra squash). Do inglês squash.


Squash [squóch] é um esporte praticado com raquetes e com uma pequena bola oca preta de borracha por dois jogadores (ou quatro jogadores para disputa de duplas) em uma quadra/campo fechada por quatro paredes, sendo a traseira de vidro. Nas competições de profissionais, as quatro paredes são de vidro e a bola é branca.
Quando a bola atinge a parede, ela é esmagada (em inglês, squashed), o que originou o nome do esporte.


bookmark_borderO que é hashtag

hashtag | s. m. ou f.
hashtag |èchetégue|
(palavra inglesa )
substantivo masculino ou feminino

[Informática]   [Informática]   Palavra ou sequência de palavras unidas antecedida do sinal cardinal (#), usada geralmente para identificar assuntos nas redes sociais.Plural: hashtags. Plural: hashtags.


substantivo feminino Recurso de agrupamento que identifica grupos ou conteúdos específicos, através do símbolo “#” antes de uma palavra ou expressão, com o objetivo de facilitar a pesquisa pelo assunto com o qual esse símbolo se relaciona: algumas hashtags espalham boas ideias pelas redes sociais.
Etimologia (origem da palavra hashtag). Do inglês hash + tag.


Tags são palavras-chave (relevantes) ou termos associados a uma informação, tópico ou discussão que se deseja indexar de forma explícita no aplicativo Twitter, e também adicionado ao Facebook, Google+, Youtube e Instagram.
Hashtags são compostas pela palavra-chave do assunto antecedida pelo símbolo cerquilha (#). As hashtags viram hiperlinks dentro da rede, indexáveis pelos mecanismos de busca. Sendo assim, outros usuários podem clicar nas hashtags (ou buscá-las em mecanismos como o Google) para ter acesso a todos que participaram da discussão. As hashtags mais usadas no Twitter ficam agrupadas no menu Trending Topics, encontrado na barra lateral do microblog.
Já no Instagram, as hashtags mais usadas são as que contém um número maior de publicações e podem ser encontradas no campo de busca Explorar do aplicativo.
Por exemplo, quando um utilizador partilha algo com a hashtag #bluesky permite que os utilizadores dessa rede social, ao pesquisarem a hashtag #bluesky, encontrem esse conteúdo. As hashtags devem ser curtas, isoladas e descrever a publicação da melhor forma possível.
Devido ao seu uso difundido, o termo foi incorporado ao dicionário de língua inglesa Oxford, em junho de 2014, sendo definido como:hashtag n. (nas mídias sociais de sites e aplicativo) uma palavra ou frase após uma cerquilha usada para identificar mensagens relacionadas a um tópico específico; [também] o próprio símbolo da cerquilha quando utilizado desta maneira.


bookmark_borderO que é e-mail

e-mail | s. m.
e-mail |iméile|
(palavra inglesa, redução de electronic mail, correio electrónico )
substantivo masculino

1. [Informática]   [Informática]   Sistema electrónico de comunicação que permite a troca de correspondência a partir de equipamento ligado em rede. = CORREIOELECTRÓNICO

2. Mensagem enviada ou recebida por correio electrónico .Plural: e-mails. Plural: e-mails.
Nota: Também se escreve sem hífen: email.



Um correio eletrônico (pt-BR) ou correio eletrónico (pt) ou, ainda, e-mail, é um método que permite compor, enviar e receber mensagens através de sistemas eletrônicos de comunicação. O Correio Eletrônico é tipicamente um modo assíncrono de comunicação. O termo “e-mail” é aplicado tanto aos sistemas que utilizam a Internet e que são baseados nos protocolos POP3, IMAP e SMTP, como àqueles sistemas conhecidos como intranets, que permitem a troca de mensagens dentro de uma empresa ou organização e que são, normalmente, baseados em protocolos proprietários.
O correio eletrônico é mais antigo que a internet, e foi, de fato, uma ferramenta crucial para criá-la, mas, na história moderna, os serviços de comunicação globais iniciaram no início da ARPANET. Padrões para codificação de mensagens de e-mail foram propostas em 1973 (RFC 561). A conversão da ARPANET à internet no início de 1980 produziu o núcleo dos serviços atuais. Um e-mail enviado no início
parece muito semelhante a uma mensagem de texto dos dias atuais.


bookmark_borderO que é internet

internet | s. f.
internet
(palavra inglesa )
substantivo feminino

1. [Informática]   [Informática]   Rede informática utilizada para interligar computadores a nível mundial, à qual pode aceder qualquer tipo de utilizador , e que possibilita o acesso a toda a espécie de informação. (Geralmente com inicial maiúscula.)

Internet das coisas • [Informática]   • [Informática]   Rede que tem a capacidade de ligar, de identificar, de controlar e de comunicar com aparelhos, dispositivos ou objectos do quotidiano através da Internet, geralmente com uso de protocolos de comunicação e microchipes ou sensores electrónicos .
Ver também dúvida linguística: internet vs. Internet.


substantivo feminino Rede mundial que, pela troca virtual de dados e mensagens, une computadores particulares, organizações de pesquisa, institutos de cultura, institutos militares, bibliotecas, corporações de todos os tamanhos; rede mundial de computadores.
[Gramática] Geralmente grafada com a inicial em maiúscula: Internet.
Etimologia (origem da palavra internet). Do inglês internet.


A Internet é um sistema global de redes de computadores interligadas que utilizam um conjunto próprio de protocolos (Internet Protocol Suite ou TCP/IP) com o propósito de servir progressivamente usuários no mundo inteiro. É uma rede de várias outras redes, que consiste de milhões de empresas privadas, públicas, acadêmicas e de governo, com alcance local e global e que está ligada por uma ampla variedade de tecnologias de rede eletrônica, sem fio e ópticas. A internet traz uma extensa gama de recursos de informação e serviços, tais como os documentos inter-relacionados de hipertextos da World Wide Web (WWW), redes ponto-a-ponto (peer-to-peer) e infraestrutura de apoio a correio eletrônico (e-mails). As origens da internet remontam a uma pesquisa encomendada pelo governo dos Estados Unidos na década de 1960 para construir uma forma de comunicação robusta e sem falhas através de redes de computadores. Embora este trabalho, juntamente com projetos no Reino Unido e na França, tenha levado a criação de redes precursoras importantes, ele não criou a internet. Não há consenso sobre a data exata em que a internet moderna surgiu, mas foi em algum momento em meados da década de 1980.
O financiamento de uma nova estrutura principal de informática (dita backbone) para os Estados Unidos pela Fundação Nacional da Ciência nos anos 1980, bem como o financiamento privado para outros similares backbones comerciais, levou a participação mundial no desenvolvimento de novas tecnologias de rede e da fusão de muitas redes distintas. Embora a internet seja amplamente utilizada pela academia desde os anos 1980, a comercialização da tecnologia na década de 1990 resultou na sua divulgação e incorporação da rede internacional em praticamente todos os aspectos da vida humana moderna. Em junho de 2012, mais de 2,4 bilhões de pessoas — mais de um terço da população mundial — usaram os serviços da internet; cerca de 100 vezes mais do que em 1995. O uso da internet cresceu rapidamente no Ocidente entre da década de 1990 a início dos anos 2000 e desde a década de 1990 no mundo em desenvolvimento. Em 1994, apenas 3% das salas de aula estadunidenses tinham internet, enquanto em 2002 esse índice saltou para 92%.A maioria das comunicações tradicionais dos meios de comunicação (ou mídia), como telefone, música, cinema e televisão estão a ser remodeladas ou redefinidas pela internet, dando origem a novos serviços, como o protocolo de internet de voz (VoIP) e o protocolo de internet de televisão (IPTV). Jornais, livros e outras publicações impressas estão-se adaptando à tecnologia web ou têm sido reformulados para blogs e feeds. A internet permitiu e acelerou a criação de novas formas de interações humanas através de mensagens instantâneas, fóruns de discussão e redes sociais. O comércio on-line tem crescido tanto para grandes lojas de varejo quanto para pequenos artesãos e comerciantes. Business-to-business e serviços financeiros na internet afetam as cadeias de abastecimento por meio de indústrias inteiras. A essa agregação de funcionalidades por meio dum núcleo comum (Internet, no caso), tem-se usado chamar convergência tecnológica ou, simplesmente, quando não for ambíguo, convergência.
A internet não tem governança centralizada em qualquer aplicação tecnológica ou políticas de acesso e uso; cada rede constituinte define suas próprias políticas. Apenas as definições de excesso dos dois principais espaços de nomes na internet — o espaço de endereçamento Protocolo de Internet e Domain Name System — são dirigidos por uma organização mantenedora, a Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (ICANN). A sustentação técnica e a padronização dos protocolos de núcleo (IPv4 e IPv6) é uma atividade do Internet Engineering Task Force (IETF), uma organização sem fins lucrativos de participantes internacionais vagamente filiados, sendo que qualquer pessoa pode se associar contribuindo com a perícia técnica.