bookmark_borderO que é trigo

substantivo masculino Planta herbácea anual, da família das gramíneas, que produz o grão (cariopse) de que se extrai a farinha usada especialmente para o fabrico do pão: o trigo é o cereal por excelência, a planta alimentar mais cultivada no mundo.


O trigo (Triticum spp.) é a gramínea cultivada em todo o mundo. Mundialmente, é a segunda maior cultura de cereais, sendo a primeira o arroz e a terceira o milho. O grão de trigo é um alimento básico usado para fazer farinha e, com esta, o pão, na alimentação dos animais domésticos e como ingrediente na fabricação de cerveja. O trigo é também plantado estritamente como forragem para animais domésticos, como a palha.


bookmark_borderO que é arroz

substantivo masculino [Botânica] Planta da família das gramíneas, cujo grão constitui excelente alimento.
O grão dessa planta.
Qualquer prato preparado com tais grãos.


O arroz (constituído por sete espécies, Oryza barthii, Oryza glaberrima, Oryza latifolia, Oryza longistaminata, Oryza punctata, Oryza rufipogon e Oryza sativa) é uma planta da família das gramíneas que alimenta mais da metade da população humana do mundo. É a terceira maior cultura cerealífera do mundo, apenas ultrapassada pelas de milho e trigo. É rico em hidratos de carbono.
Para poder ser cultivado com sucesso, o arroz necessita de água em abundância, para manter a temperatura ambiente dentro de intervalos adequados, e, nos sistemas tradicionais, de mão-de-obra intensiva. Desenvolve-se bem mesmo em terrenos muito inclinados [carece de fontes?] e é costume, nos países do sudeste asiático, encontrarem-se socalcos onde é cultivado. Em qualquer dos casos, a água mantém-se em constante movimento, embora circule a velocidade muito reduzida.


bookmark_borderO que é taquara

taquara | s. f.
ta·qua·ra
(tupi ta’kwara )
nome feminino

1. [Brasil]   [Brasil]   Espécie de bambu encontrado no Brasil. = TABOCA

2. [Brasil]   [Brasil]   Espécie de lagarta que vive no tronco dessa espécie de bambu.

taquara rachada • [Brasil]   • [Brasil]   Voz desafinada ou desagradável ao ouvido. = CANA RACHADA, TABOCA RACHADA


substantivo feminino [Brasil] Nome comum de várias espécies de bambu. (O mesmo que taboca.).
Ripa ou lasca de bambu.


Taquara é a denominação comum a várias espécies de gramíneas nativas da América do Sul, a maioria com caules ocos e segmentados em gomos, em cujas intersecções se prendem as folhas.


bookmark_borderO que é espelta

espelta | s. f.
es·pel·ta |é| es·pel·ta |é|
(espanhol espelta )
nome feminino

[Botânica]   [Botânica]   Planta da família das gramíneas (Triticum spelta) que é uma espécie de trigo de grão avermelhado. = TRIGO-VERMELHO


substantivo feminino Trigo, de qualidade inferior, cujo grão, pequeno e escuro, adere fortemente à gluma.


A espelta ou trigo-vermelho (Triticum spelta) é uma espécie da família das gramíneas, próxima do trigo. Muito consumida em partes da Europa desde a Idade do Bronze até a Idade Média, hoje é pouco plantada, embora ainda seja cultivada na Europa Central e na Itália e tenha encontrado um novo mercado na área de alimentos saudáveis. Algumas classificações consideram a espelta uma subespécie do trigo comum (T. aestivum), dando-lhe o nome científico Triticum aestivum subsp. spelta.


bookmark_borderO que é aveia

aveia | s. f.
a·vei·a
(latim avena, -ae )
nome feminino

1. [Botânica]   [Botânica]   Designação dada a várias plantas da família das gramíneas, do género Avena, em especial à Avena sativa. = AVENA

2. Grão dessa planta (ex.: farinha de aveia; flocos de aveia).


substantivo feminino Cereal de grãos farináceos de grande valor nutritivo. (Família das gramíneas.).
Aveia-doida, espécie de aveia selvagem, comum nos campos e lugares incultos.


Aveia (Avena L.) é um género botânico pertencente à família Poaceae, subfamília Pooideae, tribo Aveneae. É composto por aproximadamente 450 espécies. As espécies de Avena mais cultivadas são Avena sativa e Avena byzantina.


bookmark_borderO que é farelo

farelo | s. m.
fa·re·lo |é| ou |ê| fa·re·lo |é| ou |ê|
(latim vulgar *farellum, diminutivo de far, farris, espécie de trigo )
nome masculino

1. Parte mais grosseira que fica na peneira depois de se peneirar a farinha (ex.: farelo de trigo).

2. Conjunto de resíduos grosseiros de cereais moídos (ex.: farelo de aveia; farelo de arroz).

3. [Figurado]   [Figurado]   Insignificância; bagatela. = FARELAGEM

4. [Regionalismo]   [Regionalismo]   Jactância; bazófia.

farelo de madeira • Conjunto de partículas finas de madeira que caem ao serrar ou que são provocados pela atividade de térmites ou caruncho.
Ver também dúvida linguística: pronúncia de farelo.


substantivo masculino Parte periférica dos grãos dos cereais, depois de separada pela moagem: o farelo contém a maior percentagem das vitaminas.
Serradura de madeira; serragem.
[Medicina] Escama, caspa.
[Figurado] Cacos, migalhas: o espelho ficou reduzido a farelo.
substantivo e masculino plural [Figurado] Insignificâncias, bagatelas, restos: para nós sobram os farelos.


Farelo é um resíduo da fabricação da farinha de gramíneas – trigo, arroz, milho, cevada, centeio, aveia, milhete e outros cereais – para o consumo humano. É constituído prevalentemente pelos tegumentos das sementes, ou seja, a dura camada externa do grão do cereal, que consiste da combinação de aleurona e pericarpo.
Quando o farelo é removido, perde-se uma porção do valor nutricional do grão.
Farelos de trigo, milho, soja, algodão e de outros cereais também são utilizados na nutrição de animais, particularmente na alimentação de equinos.


bookmark_borderO que é cana-de-açúcar

cana-de-açúcar | s. f.
ca·na·-de·-a·çú·car
nome feminino

[Botânica]   [Botânica]   Planta (Saccharum officinarum) da família das poáceas, de cujo caule se extrai açúcar. = CANA-DOCEPlural: canas-de-açúcar. Plural: canas-de-açúcar.



Cana-de-açúcar é um grupo de espécies de gramíneas perenes altas do gênero Saccharum, tribo Andropogoneae, nativas das regiões tropicais do sul da Ásia e da Melanésia e utilizadas principalmente para a produção de açúcar e etanol. Tem caules robustos, fibrosos e articulados que são ricos em sacarose. A planta tem entre dois e seis metros de altura. Todas as espécies de cana-de-açúcar mestiças e as principais cultivares comerciais são híbridos complexos. A cana pertence à família Poaceae, uma família de plantas economicamente importantes, como milho, trigo, arroz e sorgo e muitas culturas forrageiras.
A sacarose, extraída e purificada em fábricas especializadas, é utilizada como matéria-prima na indústria de alimentos humanos ou é fermentada para produzir etanol, que é produzido em escala pela indústria da cana do Brasil. A planta representa a maior colheita do mundo em quantidade de produção. Em 2012, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) estimou que foi cultivado em cerca de 26,0 milhões de hectares de cana, em mais de 90 países, com uma colheita mundial de 1,83 bilhões de toneladas. O Brasil foi o maior produtor de cana-de-açúcar do mundo. Os próximos cinco maiores produtores foram Índia, China, Tailândia, Paquistão e México.
A demanda mundial de açúcar é o principal condutor do cultivo de cana. A planta é responsável por 80% do açúcar produzido; a maior parte do restante é feito a partir da beterraba. A cana cresce predominantemente nas regiões tropicais e subtropicais (a beterraba cresce em regiões temperadas). Com exceção do açúcar, os produtos derivados da cana incluem melaço, rum, cachaça (bebida tradicional do Brasil), bagaço e etanol. Em algumas regiões, as pessoas usam palhetas de cana para fazer canetas, tapetes, telas e palha. A inflorescência de plantas jovens é consumida crua, cozida no vapor ou torrada, e preparado de várias maneiras em determinadas comunidades insulares da Indonésia.Os persas, seguidos pelos gregos, descobriram os famosos “juncos que produzem mel sem abelhas” na Índia entre os séculos VI e IV a.C. Eles adotaram e depois espalharam a agricultura da cana pelo mundo. Os comerciantes começaram a negociar açúcar da Índia, que era considerado uma especiaria luxuosa e cara. No século XVIII, plantações de cana começaram a ser cultivadas no Caribe, América do Sul, Oceano Índico e nações insulares do Pacífico e a necessidade de trabalhadores para a sua produção tornou-se um dos principais motores de grandes migrações humanas, incluindo trabalho escravo e servos contratados.