bookmark_borderO que é assertividade

assertividade | s. f.
as·ser·ti·vi·da·de
(assertivo + -idade )
nome feminino

Qualidade do que é assertivo.


substantivo feminino Particularidade ou condição do que é assertivo.
Etimologia (origem da palavra assertividade). Assertivo + (i)dade.


Em língua portuguesa esse termo tem um significado literal diferente do que possui em língua inglesa.


bookmark_borderO que é êxtase

êxtase | s. m.
êx·ta·se |eis| êx·ta·se |eis|
substantivo masculino

Arrebatamento do espírito; enlevo; contemplação do que é divino, sobrenatural, maravilhoso.


substantivo masculino Condição daquele que está emocionalmente fora de si ou tomado por sensações adversas, intensas e contundentes como: prazer, alegria, medo etc.
Prazer vivíssimo, gozo íntimo, causado por uma grande admiração, enlevo ou pasmo.
[Patologia] Estado nervoso caracterizado pela perda de consciência da própria existência e pela abolição da sensibilidade a toda e qualquer ação externa.
Estado de alma absorta na contemplação de Deus e das coisas do mundo sobrenatural: os êxtases de Santa Teresinha.
Palavra parônima de estase.
Etimologia (origem da palavra êxtase). Do grego ekstasis.


Êxtase, literalmente quer dizer arrebatar-se, desprender-se subitamente, sair de si, elevar-se (do grego ékstasis, pelo latim tardio ecstase, exstase) , corresponde ao sentimento de prazer, expressão tanto utilizada para descrever o orgasmo como o transe, resultado da meditação, sendo que em algumas manifestações culturais, a exemplo do Yôga tântrico, há relação do orgasmo com o êxtase religioso a ser aprendida. Referindo-se ao “transe” religioso pode ser também descrito como ” consciência cósmica” (ampliada), “comunhão com a natureza”; “iluminação” e ainda vocábulos de religiões específicas como nirvana que, no budismo, significa paz, estado de ausência total de sofrimento.

Por se derivar de uma palavra grega (ékstasis) poderia se ter como padrão o transe profético e visões talvez causadas por inalações do vapor (etileno? ou dióxido de carbono de origem vulcânica?) respirado por Pítia a Sacerdotisa de Apolo do oráculo de Delfos ou e as experiências de possessão do culto de Dioniso e por extensão das religiões pagãs , utilizando a classificação católica que se distingue das não cristãs com seus transes associados ao jejum, orações, abstinência sexual e/ou auto-flagelação e exorcismos. Um livro clássico e esclarecedor sobre o tema foi escrito por William James, (1842 – 1910) Variedades da experiência religiosa (1914). Uma reflexão sobre a ampla possibilidade de definições do êxtase ou transe na realidade traduz a diversidade de religiões e crenças humanas.