bookmark_borderO que é elogio

elogio | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de elogiar
e·lo·gi·o
(latim elogium, -ii, epitáfio )
nome masculino

Conjunto de palavras em favor de alguém ou de algo. = ENCÓMIO , LOUVOR, PANEGÍRICO
e·lo·gi·ar e·lo·gi·ar – Conjugar
(latim elogio, -are, descrever brevemente; declarar, expor )
verbo transitivo

1. Fazer o elogio ou manifestar opinião favorável em relação a algo ou alguém. = GABAR, LOUVAR ≠ CENSURARverbo transitivo e intransitivo

2. Encontrar virtudes ou qualidades; avaliar positivamente (ex.: elogiar as medidas tomadas; ele sabe criticar, mas também elogia, quando as coisas estão bem feitas).

Antónimo Antônimo Geral: CRITICAR


substantivo masculino Discurso favorável em louvor a alguém: elogio aos professores.
[Por Extensão] Opinião agradável, que demonstra admiração ou ressalta as boas qualidades de uma coisa ou pessoa: estava feliz com os elogios do chefe; sua exposição artística recebeu muitos elogios.
Manifestação discursiva em louvor, exaltando algo ou alguém; louvor: elogio à solidão.
Etimologia (origem da palavra elogio). Do latim elogium.Ii, pelo grego e + lógion.ou.


Elogio é o enaltecimento de uma qualidade ou virtude de algo ou alguém. É uma ferramenta educacional utilizada também para motivar outras pessoas, aumentar sua auto-estima ou corrigir um defeito. No âmbito empresarial, o elogio é a ação que reconhece, de modo não financeiro, formal e geralmente publicamente, desempenho e atos de destaque da pessoal e/ou grupo de trabalho.


bookmark_borderO que é sarcasmo

sarcasmo | s. m.
sar·cas·mo
(grego sarkasmós, -ou )
nome masculino

1. Ironia que deixa entender uma crítica dura e mordaz, por vezes considerada insultuosa.

2. Atitude ou dito em relação a algo ou alguém que serve para fazer rir ou é assim entendido. = ESCÁRNIO, MOFA, TROÇA, ZOMBARIA


substantivo masculino Zombaria que busca ofender; ironia insultuosa.
Ação de dizer o oposto do que se quer de maneira mordaz e amarga.
Ironia insultuosa, penosa, mordaz ou cáustica: o sarcasmo estava presente em toda a sua obra literária.
Etimologia (origem da palavra sarcasmo). Do grego sarkasmós.ou.


Sarcasmo (do grego antigo σαρκασμός, “sarkasmos” ou “Sarkázein”; Sarx=”carne”, Asmo= queimarː “queimar a carne”) designa um escárnio ou uma zombaria, intimamente ligado à ironia (muitas vezes essa ligação é feita graças a tragédia vivida da pessoa sarcástica em si em comparação a vida de outras pessoas de melhor sorte), com um intuito mordaz quase cruel, muitas vezes ferindo a sensibilidade da pessoa que o recebe. A origem da palavra está ligada ao fato de muitas vezes mordermos os lábios quando alguém se dirige a nós com um sarcasmo mordaz.
O sarcasmo é uma figura de estilo muito utilizada nas artes orais e escritas, designadamente na literatura e na oratória.


bookmark_borderO que é tese

tese | s. f.
te·se
nome feminino

1. Proposição que alguém expõe propondo-se discuti-la ou defendê-la.

2. [Figurado]   [Figurado]   Assunto, tema.

3. Trabalho escrito que um aluno deve elaborar, apresentar e defender perante um júri para a obtenção do grau académico de doutor.

em tese • Em geral.


substantivo feminino Assunto ou tema; o que se propõe discutir ou debater; proposição que se faz para ser defendida caso haja contestação.
Proposição acerca de um princípio artístico ou científico que, exposta de modo escrito, deve ser defendida publicamente; a discussão sobre essa proposição.
[Por Extensão] O documento ou obra que contém essa proposição.
Trabalho apresentado para a obtenção de uma pós-graduação, geralmente, para a obtenção do título de doutor.
[Filosofia] Termo inicial do sistema dialético que antecede a síntese e a antítese.
Etimologia (origem da palavra tese). Do grego thesis.eos.


Uma tese (literalmente ‘posição’, do grego θέσις) é uma proposição intelectual. Atualmente, é considerado principalmente o trabalho acadêmico que apresenta o resultado de investigação complexa e aprofundada sobre temas mais ou menos amplos, com abordagem teórica definida. “É um texto que se caracteriza pela defesa de uma ideia, de um ponto de vista, ou pelo questionamento acerca de um determinado assunto. O autor do texto dissertativo trabalha com argumentos, com factos, com dados, que utiliza para reforçar ou justificar o desenvolvimento de suas ideias”.
Na linguagem coloquial, é comum o emprego da locução adverbial “em tese” ou “em teoria” quando se pretende evidenciar a falta de validade de uma afirmação que é questionável ou falha quando vista sob uma ótica particular.
Por exemplo: Em tese, todo homem é igual perante a lei. Mas há leis que beneficiam uns e não outros.
Tal expressão faz referência às frequentes diferenças obtidas nos resultados de formulações teóricas sem experimentação (teoria) e sua efetiva reprodução e experimentação (prática).


bookmark_borderO que é falácia

falácia | s. f. falácia | s. f.
fa·lá·ci·a 1
(latim fallacia, -ae, engano, ardil, logro, encantamento, bruxedo )
nome feminino

1. Acção de enganar com má intenção. = ENGANO, LOGRO

2. Qualidade do que é falaz ou falso. = FALSIDADE

3. Sofisma ou engano que se faz com razões falsas ou mal deduzidas.
fa·lá·ci·a fa·lá·ci·a 2
(de falar )
nome feminino

[Informal]   [Informal]   Ruído de vozes de muitas pessoas que falam em simultâneo. = FALATÓRIO, VOZEARIA, VOZERIO


substantivo feminino Discurso falso que se passa por verdadeiro; engano.
Modo errado de se conceber alguma coisa; erro: a falácia de que toda mulher é sensível atrapalha a vida de muitas.
Qualidade do que é falaz, capaz de enganar; ilusão: é uma falácia, uma fantasia, mas o mundo da arte é o mundo da fantasia.
[Filosofia] Todo enunciado ou raciocínio de teor falso, mas que se tenta passar por verdadeiro; sofismo.
[Filosofia] Termo que expressa um raciocínio que aparenta ser verdadeiro, mas não é; silogismo sofístico aristotélico.
Etimologia (origem da palavra falácia). Do latim fallacia.ae.
substantivo feminino Barulho produzido pelo excesso de vozes que se propagam ao mesmo tempo; falatório.
Etimologia (origem da palavra falácia). Relacionado ao verbo falar.


O termo falácia deriva do verbo latino fallere, que significa enganar. Designa-se por falácia um raciocínio errado com aparência de verdadeiro. Na lógica e na retórica, uma falácia é um argumento logicamente incoerente, sem fundamento, inválido ou falho na tentativa de provar eficazmente o que alega. Argumentos que se destinam à persuasão podem parecer convincentes para grande parte do público apesar de conterem falácias, mas não deixam de ser falsos por causa disso.
Reconhecer as falácias é por vezes difícil. Os argumentos falaciosos podem ter validade emocional, íntima, psicológica, mas não validade lógica. É importante conhecer os tipos de falácia para evitar armadilhas lógicas na própria argumentação e para analisar a argumentação alheia. As falácias que são cometidas involuntariamente designam-se por paralogismos e as que são produzidas de forma a confundir alguém numa discussão designam-se por sofismas.É importante observar que o simples fato de alguém cometer uma falácia não invalida toda a sua argumentação. Ninguém pode dizer: “Li um livro de Rousseau, mas ele cometeu uma falácia, então todo o seu pensamento deve estar errado”. A falácia invalida imediatamente o argumento no qual ela ocorre, o que significa que só esse argumento específico será descartado da argumentação, mas pode haver outros argumentos que tenham sucesso. Por exemplo, se alguém diz:
“O fogo é quente e sei disso por dois motivos:

ele é vermelho; e
medi sua temperatura com um termômetro”.Nesse exemplo, foi de fato comprovado que o fogo é quente por meio da premissa 2. A premissa 1 deve ser descartada como falaciosa, mas a argumentação não está de todo destruída. O básico de um argumento é que a conclusão deve decorrer das premissas. Se uma conclusão não é consequência das premissas, o argumento é inválido. Deve-se observar que um raciocínio pode incorrer em mais de um tipo de falácia, assim como que muitas delas são semelhantes.


bookmark_borderO que é persuasão

persuasão | s. f.
per·su·a·são
nome feminino

1. Acto ou efeito de persuadir.

2. Crença, convicção.


substantivo feminino Ação de fazer com que alguém acredite ou passe a acreditar em: convenceu o chefe com o poder de persuasão de seus argumentos.
Ação de persuadir, de convencer alguém sobre alguma coisa ou fazer com que essa pessoa mude de comportamento e/ou opinião.
Que demonstra convicção; convencimento: usou de toda a sua persuasão para fazer com que o filho mudasse de ideia.
Etimologia (origem da palavra persuasão). Do latim persuasio.onis.


Persuasão é uma estratégia de comunicação que consiste em utilizar recursos emocionais ou simbólicos pra induzir alguém a aceitar uma ideia, uma atitude, ou realizar uma ação.
É o emprego de argumentos, legítimos ou não, com o propósito de conseguir que outro(s) indivíduo(s) adote(m) certa(s) linha(s) de conduta, teoria(s) ou crença(s).
Segundo Aristóteles, a retórica é a arte de descobrir, em cada caso particular, os meios disponíveis de persuasão.


bookmark_borderO que é peroração

peroração | s. f. derivação fem. sing. de perorar
pe·ro·ra·ção
(latim peroratio, -onis )
nome feminino

1. Acto ou efeito de perorar.

2. [Retórica]   [Retórica]   Parte final de um discurso que se pode dividir em anacefaleose e epílogo. = CONCLUSÃO

3. Discurso breve.
pe·ro·rar pe·ro·rar – Conjugar
verbo intransitivo

1. Concluir ou fechar a oração ou discurso.

2. Falar em estilo oratório.

3. [Figurado]   [Figurado]   Pedir com instância ou eficazmente.


substantivo feminino [Linguística] Última parte; conclusão de um discurso: a peroração resume de forma sucinta e emocionante os principais argumentos do discurso.
[Linguística] Discurso proferido brevemente.
[Música] O fim de uma sinfonia.
plural Perorações.
Etimologia (origem da palavra peroração). Do latim peroratio.onis.


Em retórica clássica, uma peroração é a parte final de um discurso, sendo um dos quatro ou cinco componentes de sua parte dispositiva.
A peroração tem dois propósitos principais: lembrar à audiência os pontos principais do discurso (recapitulatio) e influenciar suas emoções (affectus). O papel da peroração foi definido por autores gregos que escreveram sobre retórica, que os chamavam de epílogos; mas está mais frequentemente associado com oradores romanos, que faziam uso frequente de apelos emocionais. Um famoso exemplo é o discurso de Marco Antônio Orador em defesa de Aquílio, durante o qual Antônio rasgou a túnica de Aquílio para revelar suas cicatrizes de guerra.
No século I a.C. era comum que dois ou mais oradores aparecessem em cada lado no principais casos dos tribunais. Nestas oportunidades, era considerado um sinal de honra ser escolhidos para realizar a peroração.


bookmark_borderO que é eloquência

eloquência eloqüência eloquência | s. f.
e·lo·quên·ci·a |qüen| e·lo·qüên·ci·a |qüen| e·lo·quên·ci·a |qüen|
(latim eloquentia, -ae )
substantivo feminino

1. Arte de bem falar.

2. Talento de convencer, exaltar ou comover, falando.• Grafia no Brasil: eloqüência. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:eloquência. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:eloqüência
• Grafia em Portugal:eloquência.


substantivo feminino Competência para discursar, falar, argumentar ou se expressar desembaraçadamente: discursou com eloquência.
Habilidade para convencer através do uso das palavras: o prefeito usava a eloquência para persuadir seus eleitores.
[Retórica] Aptidão para falar ou discursar muito bem; refere-se à arte de bem falar.
[Figurado] Em que há expressividade: a eloquência do seu comportamento; gesticula com eloquência.
Etimologia (origem da palavra eloquência). Do latim eloquentia.ae.


Eloquência (do original em latim: eloquentia) é, na oratória e redação, a forma de falar ou escrever fluente, preciso, elegante e persuasivo. Passa-se, com a eloquência, a compreensão de grandes emoções com uma linguagem marcante, mas adequada. Os gregos antigos tinham em Calíope a musa da eloquência, cujo patrono era o deus Hermes. Na Roma Antiga houve a figura de Cícero, considerado o mais eloquente orador da Antiguidade.


bookmark_borderO que é apotegma

apotegma | s. m.
a·po·teg·ma
(grego apófthegma, -atos )
nome masculino

Dito breve e memorável de pessoa ilustre. = MÁXIMA


substantivo masculino Dito ou palavra memorável; pensamento conciso, sentença breve; aforismo; provérbio.


Apotegma (do grego αποφθεγμα, translit. apóphthegma: ‘preceito’; derivado do verbo apophthéggomai: ‘declarar alto, enunciar uma sentença, enunciar uma resposta em forma definitiva, proferir um oráculo’) é uma sentença breve, de caráter aforístico. Tem como objetivo enunciar um conteúdo de natureza moral de maneira extremamente sintética e eficaz. O apotegma tem traços comuns com a anedota e com o provérbio, embora não sendo completamente redutível a essas formas. Assim como o aforismo (do grego ἀφορισμός, translit. aphorismós,oû: ‘delimitação, distinção, definição’, der. de apphorízó: ‘separar, definir’), o apotegma é, geralmente, de autoria conhecida, atribuída a um personagem célebre, distinguindo-se do provérbio, que é de origem desconhecida e faz parte da cultura popular .


bookmark_borderO que é equívoco

equívoco | s. m. | adj. Será que queria dizer equivoco?
e·quí·vo·co
(latim aequivocus, -a, -um )
substantivo masculino

1. Segundo sentido que transparece através do sentido literal em que parece empregar-se qualquer termo. = TROCADILHO

2. Interpretação errada de algo.

3. Engano não propositado.

4. Mal-entendido.adjectivo adjetivo

5. Que parece não estar empregado no sentido que aparenta. = DUVIDOSO

6. Suspeito.

7. De que se deve desconfiar.

8. Ambíguo.


substantivo masculino Mal-entendido ou consequência de se equivocar, de cometer um engano.
O que é definido pelo erro: houve equívoco e o bandido não foi preso.
Interpretação incorreta; engano por má interpretação; erro: sua análise do texto foi um equívoco.
adjetivo Que pode possuir mais de uma significação; que tem duplo sentido; dúbio: palavra equívoca; expressão equívoca.
Que origina comentários ou críticas morais cujo teor é diferente; duvidoso: reputação equívoca.
Que estimula desconfiança: discursava utilizando sinal equívoco; enganoso.
De difícil categorização; cuja definição é complicada.
Etimologia (origem da palavra equívoco). Do latim aequivocus.


Equívoco é uma falácia que consiste em usar uma afirmação com significado diferente do que seria apropriado ao contexto, ou seja, é a utilização da mesma palavra, mas com um sentido diferente


bookmark_borderO que é tautologia

tautologia | s. f.
tau·to·lo·gi·a
(grego tautología, -as )
nome feminino

Repetição inútil da mesma ideia em termos diferentes. = PLEONASMO, REDUNDÂNCIA


substantivo feminino Repetição de uma mesma ideia por meio de palavras diferentes; redundância: “entrar para dentro” é uma tautologia.
[Lógica] Proposição que, dada como esclarecimento ou prova, está sempre verdadeira pela repetição dos mesmos conceitos mencionados anteriormente.
[Lógica] Proposição em que o predicado repete o sujeito, através de palavras iguais ou semelhantes.
Etimologia (origem da palavra tautologia). Do latim tautología.as “repetição de palavras”.


Tautologia (do grego ταὐτολογία “dizer o mesmo”) é a denominação, na retórica, a um termo ou texto que é a mesma ideia expressa de formas diferentes, dizer a mesma coisa em termos diferentes. Vem de tautó (o mesmo) e logos (assunto). Como um vício de linguagem pode ser considerada um sinônimo de pleonasmo ou redundância.
Em filosofia e outras áreas das ciências humanas, diz-se que um argumento é tautológico quando se explica por ele próprio, às vezes redundante ou falaciosamente. Por exemplo, dizer que “o mar é azul porque reflete a cor do céu e o céu é azul por causa do mar” é uma afirmativa tautológica. Um exemplo de dito popular tautológico é “tudo o que é demais sobra”. Da mesma forma, um sistema é caracterizado como tautológico quando não apresenta saídas à sua própria lógica interna.