bookmark_borderO que é epifania

epifania | s. f.
e·pi·fa·ni·a
(grego epifáneia, -as, aparição, manifestação )
nome feminino

1. [Religião]   [Religião]   Manifestação de Jesus aos gentios, nomeadamente aos Reis Magos.

2. [Religião]   [Religião]   Festa religiosa cristã que celebra essa manifestação. = DIA DE REIS

3. Qualquer representação artística dessa manifestação.

4. [Religião]   [Religião]   Aparecimento ou manifestação divina.

5. Apreensão, geralmente inesperada, do significado de algo.


substantivo feminino Revelação manifestada a partir de algo inesperado; percepção intuitiva: aquela ideia genial resultou de uma epifania.
[Religião] Revelação de Deus ou sua manifestação em Jesus: epifania do Senhor.
[Religião] Revelação do que é divino ou de qualquer divindade.
[Religião] Festa comemorada no dia 6 de janeiro, em louvor aos reis magos; primeiro indício da vinda de Cristo.
Etimologia (origem da palavra epifania). Do latim epipháneia.as.


Epifania (do termo do latim tardio epiphanīa, por sua vez do grego ἐπιϕάνεια, de ἐπιϕανής, “visível”, derivado de ἐπιϕαίνομαι, “aparecer”) é um sentimento que expressa uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo. Também pode ser um termo usado para a realização de um sonho com difícil realização. O termo é usado nos sentidos filosófico e literal para indicar que alguém “encontrou finalmente a última peça do quebra-cabeças e agora consegue ver a imagem”. O termo é aplicado quando um pensamento inspirado e iluminante acontece, que parece ser divino em natureza (este é o uso em língua inglesa, principalmente, como na expressão “I just had an epiphany”, o que indica que ocorreu um pensamento, naquele instante, que foi considerado único e inspirador, de uma natureza quase sobrenatural).
Também pode significar aparição ou manifestação de algo, normalmente relacionado com o contexto espiritual e divino. Do ponto de vista filosófico, a epifania significa uma sensação profunda de realização, no sentido de compreender a essência das coisas, tendo significado similar ao termo insight.


bookmark_borderO que é surpresa

surpresa | s. f. | adj. 2 g. 2 núm. fem. sing. de surpreso
sur·pre·sa |ê| sur·pre·sa |ê|
(francês surprise )
nome feminino

1. Acto ou efeito de surpreender ou de ser surpreendido.

2. Espanto (causado por algo inesperado).

3. Sobressalto; perturbação; pasmo.

4. Sucesso inesperado, facto ou incidente inopinado.

5. Acção calculada pela qual se pretende agradar ou ser útil a alguma pessoa sem esta o prever.

6. Prazer inesperado.adjectivo de dois géneros e de dois números adjetivo de dois géneros e de dois números

7. Que acontece ou surge de repente; que não está previsto (ex.: ataque surpresa, efeito surpresa, festa surpresa). [Como adjectivo , pode ser ligado por hífen ao substantivo que qualifica.] = IMPREVISTO, INESPERADO
sur·pre·so |ê| sur·pre·so |ê|
adjectivo adjetivo

1. Apanhado em flagrante.

2. Surpreendido; perplexo.


substantivo feminino O que provoca espanto; aquilo capaz de surpreender, de espantar.
Coisa ou situação que causa admiração: minha promoção foi uma surpresa.
Circunstância imprevista, inesperada, repentina; o que não se sabe por antecipação; imprevisto: não gosto de surpresas.
Aquilo que é agradável ou provoca um prazer não esperado; presente: meu pai comprou uma surpresa no meu aniversário.
Trabalho coletivo de pessoas ou chegada imprevista de pessoas que se dispõem a auxiliar, geralmente com música e dança; mutirão.
locução adverbial De surpresa. De modo inesperado: essa gravidez apareceu de surpresa.
Etimologia (origem da palavra surpresa). Do francês surprise.


A surpresa pode ser um sentimento de reação relativo a um acontecimento inesperado. Pode se manifestar a partir de impulsos nervosos com manifestações químicas (com a liberação de adrenalina) e físicas, aumentando o ritmo cardíaco e impulsionando a pessoa ter alguma reação corporal.
A surpresa é uma emoção básica, que tem a especificidade de poder ser percpecionada pelo indivíduo como positiva ou negativa, dependendo da forma e conteúdo que lhe deu origem por um lado e das expectativas ou situação concreta em que o indivíduo se encontra, por outro.


bookmark_borderO que é tédio

tédio | s. m.
té·di·o
substantivo masculino

Estado ou sensação vaga de desprazer e até de certa repugnância. = ABORRECIMENTO, DESGOSTO, ENFADO, FASTIO, NOJO


substantivo masculino Sentimento de aborrecimento, nojo, desgosto: o tédio dos longos dias de isolamento.
Sentimento enfadado provocado pela demora no desenvolvimento de alguma coisa.
Sentimento de aversão, de desgosto sem causas aparentes.
Etimologia (origem da palavra tédio). Do latim taedium.


O tédio é um sentimento humano descrito como um estado de falta de estímulo, ou do presenciamento de uma ação ou estado repetitivo — por exemplo, falta de coisas interessantes para fazer, ouvir, sentir etc. As pessoas afetadas por tédio em caráter temporário consideram este estado muitas vezes como perdido, perda de tempo, mas geralmente, não mais do que isto. Alternativamente, alguns acham que ter tempo de sobra também causa tédio. Para as pessoas entediadas, o tempo parece passar mais lentamente do que quando elas estão entretidas. Tédio também pode ser um sintoma de depressão.
O tédio pode levar a atitudes impulsivas e às vezes mesmo excessivas, que não servem para nada e podem causar danos. Por exemplo, estudos mostram que acionistas da Bolsa de Valores podem vender ou comprar ações sem nenhuma razão objetiva para tal, simplesmente porque eles sentem-se entediados por não terem nada para fazer, onde o tédio é desencadeado por uma situação de saída de uma atividade rotineira de fazer contas, verificar investimentos etc.


bookmark_borderO que é inveja

inveja | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de invejar 2ª pess. sing. imp. de invejar
in·ve·ja |â| ou |ê| ou |âi| in·ve·ja |ê|
(latim invidìa, -ae )
nome feminino

1. Desgosto pelo bem alheio.

2. Desejo de possuir o que outro tem, geralmente acompanhado de ódio pelo possuidor.

não ter inveja a • Não ser somenos; não ficar atrás de.

Sinónimo Sinônimo Geral: INVÍDIA, ZELOTIPIA
in·ve·jar in·ve·jar – Conjugar
verbo transitivo

1. Ter inveja de.

2. Olhar com inveja.


substantivo feminino Sentimento de cobiça à vista da felicidade, da superioridade de outrem: ter inveja de alguém.
Sensação ou vontade indomável de possuir o que pertence a outra pessoa: ela tem inveja do marido da outra; ele tem inveja do seu chefe.
O objeto, os bens, as posses que são alvos de inveja: seu carro importado era a inveja dos vizinhos todos.
Etimologia (origem da palavra inveja). Do latim invidia.


Inveja ou invídia, é um sentimento de angústia, ou mesmo raiva, perante o que o outro tem. Este sentimento pode gerar o desejo de ter exatamente o que o outro tem (tanto coisas materiais como qualidades inerentes ao ser), sendo isso uma possível consequência da inveja e não a inveja em si, podendo essa ter outras demais consequências ou não. Esse sentimento é comum na espécie humana e pode ser encontrado em outros animais além deste, demonstrando ter um marco biológico por trás de sua evolução através das espécies.A inveja pode ser definida como o sentimento de frustração e rancor gerado perante uma vontade não realizada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual. Além disso, pode ser considerada um sintoma em certos transtornos de personalidade, como no Transtorno de Personalidade Borderline, no Transtorno de Personalidade Passivo-Agressiva e no Transtorno de Personalidade Narcisista.A inveja é um dos sete pecados capitais na tradição católica (CIC, número 1866).


bookmark_borderO que é ódio

ódio | s. m.
ó·di·o
(latim odium, -ii, ódio, aversão, ressentimento, má vontade, animosidade, irritação, desagrado, insolência )
substantivo masculino

1. Sentimento de intensa animosidade relativamente a algo ou alguém, geralmente motivado por antipatia, ofensa, ressentimento ou raiva. = AVERSÃO, REPULSA ≠ AMIZADE, AMOR

2. Objecto desse sentimento.


substantivo masculino Sentimento de profunda inimizade.
Aversão instintiva direcionada a; antipatia, repugnância.
Paixão que conduz ao mal que se faz ou se deseja a outrem.
Ira contida; rancor violento e duradouro.
Sentimento de repulsão; horror.
expressão Ódio mortal ou ódio figadal. Sentimento de ódio muito intenso e leva uma pessoa a desejar a morte de outra.
Etimologia (origem da palavra ódio). Do latim odium.


O ódio (do latim odiu), também chamado de execração, raiva, rancor e ira, é um sentimento intenso de raiva e aversão. Traduz-se na forma de antipatia, aversão, desgosto, rancor, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo. O ódio pode se basear no medo, justificado ou não. É descrito com frequência como o contrário do amor ou da amizade; outros, no entanto, como Elie Wiesel, consideram a indiferença como o oposto do amor.


bookmark_borderO que é decepção

decepção deceção decepção | s. f.
de·cep·ção |èç| de·ce·ção |èç| de·cep·ção |èpç|
(latim deceptio, -onis )
nome feminino

1. Ilusão perdida.

2. Desapontamento.

3. Malogro de uma esperança.

4. Desilusão.• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: deceção. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:decepção.
• Grafia no Brasil: decepção. • Grafia em Portugal:deceção.


substantivo feminino Sentimento de desgosto, de mágoa ou de desalento; sensação de tristeza; circunstância emocional de melancolia; ausência de alegria: ele teve uma grande decepção afetiva.
Desapontamento que, causado por uma circunstância imprevista, caracteriza um mal: decepção amorosa; decepção profissional.
P.metonímia. Aquilo que pode ter causado essa decepção: o casamento foi uma decepção.
[Por analogia] Informal. Quem se comporta de maneira censurável; que realiza sem perfeição alguma coisa: aquele jovem é uma decepção como publicitário.
plural Decepções.
Etimologia (origem da palavra decepção). Do latim deceptio.onis.


A decepção (AO 1990: decepção ou deceção), desapontamento ou desilusão é o sentimento de insatisfação que surge quando as expectativas sobre algo ou alguém não se concretizam. É semelhante ao arrependimento, mas difere deste na medida em que o arrependimento está focado nas escolhas pessoais que levaram a um resultado negativo, enquanto que a decepção está focada no próprio resultado.É uma fonte de estresse psicológico. O estudo da decepção- suas causas, impacto, e o grau em que decisões individuais são motivadas pelo desejo de evitá-la – é um foco no campo de análise de decisões, já que a decepção é uma de duas emoções envolvidas em tomadas de decisão.Geralmente está associada com a tristeza e com a frustração. A intensidade da decepção é proporcional ao tempo, valor simbólico e intensidade da expectativa.[carece de fontes?]


bookmark_borderO que é compaixão

compaixão | s. f.
com·pai·xão
substantivo feminino

1. Sentimento benévolo e solidário que nos inspira a infelicidade ou o mal alheio.

2. Dó; lástima; piedade.


substantivo feminino Sentimento de pesar, de tristeza causado pela tragédia alheia e que desperta a vontade de ajudar, de confortar quem dela padece.
Sentimento de piedade com o sofrimento alheio; comiseração, piedade.
Sentimento de pena; dó: sentia compaixão pelos pobres.
Etimologia (origem da palavra compaixão). Do latim compassio.onis.


Compaixão (do termo latino compassione) pode ser descrito como uma compreensão do estado emocional de outra pessoa. Não deve ser confundida com empatia. A compaixão frequentemente combina-se a um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outro ser senciente, bem como demonstrar especial gentileza para com aqueles que sofrem.
A compaixão pode levar alguém a sentir empatia pelo outro. A compaixão é, frequentemente, caracterizada através de ações, quando uma pessoa, agindo com espírito de compaixão, busca ajudar aqueles pelos quais se compadece.
Ter compaixão é permanecer num estado emotivo positivo, enquanto tenta-se compreender o outro, sem invadir, no entanto, o seu espaço.A compaixão diferencia-se de outras formas de comportamento prestativo humano no sentido de que seu foco primário é o alívio da dor e sofrimento alheios. Atos de caridade que busquem principalmente conceder benefícios em vez de aliviar a dor e o sofrimento existentes, são mais corretamente classificados como atos de altruísmo, embora, neste sentido, a compaixão possa ser vista como um subconjunto do altruísmo, sendo definida como o tipo de comportamento que busca beneficiar os outros minorando o sofrimento destes.


bookmark_borderO que é pudor

pudor | s. m.
pu·dor |ô| pu·dor |ô|
(latim pudor, -oris )
substantivo masculino

1. Sentimento de vergonha. = CONSTRANGIMENTO, EMBARAÇO, PEJO

2. Sentimento de recato, castidade. = PUDICÍCIA, PUNDONOR, PUREZA ≠ DESPUDOR, IMPUDÊNCIA, IMPUDOR


substantivo masculino Sentimento de vergonha; sensação de mal-estar e de timidez provocadas pelo que se opõe aos bons costumes, à inocência.
Constrangimento causado pelo desrespeito à decência, à honestidade; pejo.
Sentimento e comportamento resultantes de uma educação severa que, geralmente baseada em preceitos religiosos, faz com que alguém se sinta envergonhado ao mostrar certas partes do corpo em público.
Excesso de vergonha que, normalmente causada por um fator cultural, provoca um constrangimento ao ter que falar e/ou praticar certas ações relacionadas com sexualidade, funções corporais, sentimentos particulares, sensações; recato.
Etimologia (origem da palavra pudor). Do latim pudor.oris.


Pudor (do grego, aidos) é a tendência a proteger a intimidade do indivíduo de invasão e comprometimento. O direito penal brasileiro entende como violação do pudor público a manufatura, exposição ou distribuição públicas de um objeto “obsceno”. A interpretação do que necessariamente é o “obsceno” é subjetiva. Enquanto nos Estados Unidos a nudez para fins de protesto foi reconhecida perante a corte, na Escandinávia a população age de forma permissiva em relação à nudez e genitais e mamilos não são considerados obscenos ou indecentes e em Barcelona a nudez pública era legalizada até 2011.O pudor como impedimento em tratar de assuntos relacionados ao sexo pode ser um fator de risco na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis como a AIDS; um inibidor da produção artística, como na literatura; e também uma barreira nas relações médico-paciente dentro da prática clínica.


bookmark_borderO que é culpa

culpa | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de culpar 2ª pess. sing. imp. de culpar
cul·pa
substantivo feminino

1. Falta voluntária contra o dever; omissão; desleixo.

2. Causa (de mal ou dano).

3. Imputação.

4. Delito; crime; pecado.

ter culpas no cartório • Ter cometido acções condenáveis.
cul·par cul·par – Conjugar
(latim culpo, -are, censurar, criticar, acusar )
verbo transitivo

1. Deitar a culpa a. ≠ ILIBAR, INOCENTAR

2. Incriminar; acusar.verbo pronominal

3. Acusar-se, confessar-se culpado.


substantivo feminino Responsabilidade por uma ação que ocasiona dano ou prejuízo a outra pessoa: não assumiu a culpa pelo atraso dos pagamentos.
[Jurídico] Ato ou omissão repreensível ou criminosa; falta voluntária, delito, crime: pagar por uma culpa.
[Jurídico] Ação que ocasiona propositalmente danos a outrem.
Sentimento doloroso de quem se arrependeu de suas ações: estou sofrendo porque tenho culpa.
[Religião] Não cumprimento de algum mandamento ou preceito religioso; pecado.
Motivo ou razão que dá origem a algo ruim: a culpa das enchentes é o acúmulo de água nos boeiros.
Etimologia (origem da palavra culpa). Do latim culpa.


Culpa se refere à responsabilidade dada à pessoa por ter criado ou produzido algo, ou que provocou um prejuízo material, moral ou espiritual a si mesma ou a outrem.
Direito-penal: Ser o culpado de um crime significa que se praticaram factos que preenchem um tipo de crime e ao mesmo tempo numa das formas de culpa (autoria, cumplicidade, comparticipação ou aproveitamento). Culpado é quem dá causa, auxilia ou aproveita, mas ainda assim só pode ser condenado o agente com aqueles pressupostos e que tenha agido com dolo (intenção, como consequência necessária da sua conduta ou por conformação).
As formas de culpa provam a ilicitude, o dolo é que confirma se a culpa é punível ou não porque até a verdade tem de ser justa. O mal propriamente dito é a culpa ser efectivamente punível ou reprovável.
Para a constituição de arguido, medida de coação, pena ou medida de segurança só interessa se a culpa é punível; ou seja, com uma das formas de dolo. Porque não se pode acusar o inocente, nem mesmo como medida de segurança porque isso não está previsto na lei, o que está previsto é que se pode acusar quando há fundamentos de facto e de direito e pro se ter a certeza de que alguém vai ser condenado.
O processo de identificação e atribuição de culpa refere-se à descoberta de quem determinou o primeiro acto ilícito ou prejudicial e quem auxiliou o autor ou aproveitou o facto, e pode se dar no plano subjetivo, intersubjetivo e objetivo.
No sentido subjetivo, a culpa é um sentimento que se apresenta à consciência quando o sujeito avalia seus atos de forma negativa, sentindo-se responsável por falhas, erros e imperfeições. O processo pelo qual se dá essa avaliação é estudado pela Ética e pela Psicologia (ver Culpa (sentimento)).
No sentido objetivo, ou intersubjetivo, a culpa é um atributo que um grupo aplica a um indivíduo, ao avaliar os seus atos, quando esses atos resultaram em prejuízo a outros ou a todos. O processo pelo qual se atribui a culpa a um indivíduo é discutido pela Ética, pela Sociologia e pelo Direito.


bookmark_borderO que é prazer

prazer | s. m. | v. intr.
pra·zer |ê| pra·zer |ê|
(latim placeo, -ere, agradar, aprazer )
substantivo masculino

1. Sentimento agradável que alguma coisa faz nascer em nós.

2. Deleite, gozo, delícia.

3. Gosto, desejo.

4. Alegria, contentamento.

5. Boa vontade, agrado.

6. Distracção , divertimento.verbo intransitivo

7. Agradar, aprazer, comprazer.
Ver também dúvidas linguísticas: conjugação do verbo prazer, aprazer/aprouver.


substantivo masculino Sensação agradável de contentamento ou de alegria, normalmente relacionada à satisfação de um desejo, vontade ou necessidade; divertimento, diversão.
Demonstração de afabilidade; cortesia: temos o prazer de lhe entregar este prêmio.
Sensação de satisfação sexual.
Ação de se divertir; em que há divertimento.
verbo transitivo indireto, intransitivo e pronominal Provocar ou sentir uma sensação agradável.
Etimologia (origem da palavra prazer). Do latim placere.


Prazer (do latim placere) é uma sensação de bem-estar. Uma pessoa pode ter prazer sem demonstrar alegria e vice-versa, mas socialmente as pessoas costumam demonstrar alegria ao sentir prazer. Em geral, o prazer é uma resposta do organismo ou da mente indicando que nossas ações estão sendo benéficas a nossa saúde. O prazer pode ser atingido através de várias maneiras, tais como praticando exercícios físicos, comendo, tendo relações sexuais, escutando música, lendo, conversando, trabalhando etc.
A dor, que é, geralmente, tida como oposta ao prazer, pode servir como fonte de prazer para algumas pessoas, num fenômeno conhecido como masoquismo. Já o prazer obtido pela dor de outras pessoas é um fenômeno conhecido como sadismo.