bookmark_borderO que é tabu

tabu | s. m. | adj. 2 g. tabu | s. m.
ta·bu 1
(inglês taboo, do polinésio tapu, interdito, proibido, sagrado )
nome masculino

1. [Religião]   [Religião]   Proibição de determinada acção , de aproximação ou contacto com algo ou alguém que é considerado sagrado.

2. [Religião]   [Religião]   Lugar, animal, objecto , coisa ou acção proibidos por temor de castigo divino ou sobrenatural.

3. Medo ou proibição de origem religiosa, social ou cultural.

4. Assunto de que não se pode ou não se deve falar.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

5. Que é proibido. = INTERDITO

6. Que não se pode ou deve proferir ou de que não se pode ou não se deve falar.
ta·bu ta·bu 2
(origem obscura )
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   Açúcar que não coalhou bem na forma.

2. [Botânica]   [Botânica]   Tabua.


substantivo masculino [Etnografia] Instituição religiosa que, atribuindo caráter sagrado a um objeto ou a um ser, proíbe qualquer contato com eles e até mesmo referência a eles.
[Por Extensão] Ação, objeto, pessoa e/ou lugar proibidos por uma lei ou cultura.
[Por Extensão] Proibição que leva alguém a não fazer alguma coisa por medo de castigo divino ou sobrenatural.
[Por Extensão] Comportamento cuidadoso que não tem justificação nem fundamento: sujeito cheio de tabus infundados.
Proibição religiosa ou controle social que restringe o uso de uma linguagem, de um gesto, comportamento: tabus sexuais.
adjetivo Sobre algo ou alguém que não se pode tocar.
Que não se pode fazer uso, dizer, comentar por crença, religião, fé, pudor, respeito etc.: palavras tabus.
Diz-se da pessoa que é alvo de adoração cujo mérito não pode ser questionado.
Etimologia (origem da palavra tabu). Do tonga tapu, “proibido”.
substantivo masculino [Botânica] Aspecto comum das ervas do gênero Typha, de habitat semi-aquático, se instalam em brejos e margens de rios.
Etimologia (origem da palavra tabu). Talvez de tabua, de origem questionável.
substantivo masculino Açúcar mascavo.
Etimologia (origem da palavra tabu). De origem questionável.


O tabu era, originalmente, uma instituição de fundamento religioso que atribuía caráter sagrado a determinados seres, objetos ou lugares, interditando qualquer contato com eles. Posteriormente, o termo passou a designar qualquer tipo de proibição.


bookmark_borderO que é apotegma

apotegma | s. m.
a·po·teg·ma
(grego apófthegma, -atos )
nome masculino

Dito breve e memorável de pessoa ilustre. = MÁXIMA


substantivo masculino Dito ou palavra memorável; pensamento conciso, sentença breve; aforismo; provérbio.


Apotegma (do grego αποφθεγμα, translit. apóphthegma: ‘preceito’; derivado do verbo apophthéggomai: ‘declarar alto, enunciar uma sentença, enunciar uma resposta em forma definitiva, proferir um oráculo’) é uma sentença breve, de caráter aforístico. Tem como objetivo enunciar um conteúdo de natureza moral de maneira extremamente sintética e eficaz. O apotegma tem traços comuns com a anedota e com o provérbio, embora não sendo completamente redutível a essas formas. Assim como o aforismo (do grego ἀφορισμός, translit. aphorismós,oû: ‘delimitação, distinção, definição’, der. de apphorízó: ‘separar, definir’), o apotegma é, geralmente, de autoria conhecida, atribuída a um personagem célebre, distinguindo-se do provérbio, que é de origem desconhecida e faz parte da cultura popular .


bookmark_borderO que é establishment

establishment | s. m.
establishment |estâblichemãte|
(palavra inglesa )
nome masculino

1. Ordem social estabelecida.

2. Grupo de pessoas com grande influência ou poder.


substantivo masculino Grupo sociopolítico que exerce sua autoridade, controle ou influência, defendendo seus privilégios; ordem estabelecida, sistema.
Etimologia (origem da palavra establishment). Palavra inglesa.


O termo inglês establishment refere-se à ordem ideológica, econômica e política que constitui uma sociedade ou um Estado.Em sentido depreciativo, designa uma elite social, econômica e política que exerce forte controle sobre o conjunto da sociedade, funcionando como base dos poderes estabelecidos. O termo se estende às instituições controladas pelas classes dominantes, que decidem ou cujos interesses influem fortemente sobre decisões políticas, econômicas, culturais, etc., e que portanto controlam, no seu próprio interesse e segundo suas próprias concepções, as principais organizações públicas e privadas de um país, em detrimento da maioria dos eleitores, consumidores, pequenos acionistas, etc.Em sentido mais restrito, pode referir-se a um grupo de indivíduos com poder e influência sobre determinada organização ou campo de atividade.Na origem, o termo dizia respeito a uma aliança entre a burguesia urbana e grupos da aristocracia rural britânica, que tradicionalmente concentrava os meios de ação no país, sendo pouco aberta a inovações em todos os campos e hostil ao compartilhamento do poder com outros grupos.


bookmark_borderO que é patoá

patoá | s. m.
pa·to·á
(francês patois, falar local, dialecto )
nome masculino

1. Dialecto rural francês, geralmente utilizado por um grupo restrito (ex.: patoá loreno, patoá picardo).

2. Dialecto de uma língua, maioritariamente oral, falado numa região restrita.

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Linguagem usada por determinado grupo, geralmente incompreensível para quem não pertence ao grupo. = GÍRIA

4. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]   Crioulo macaense de base lexical portuguesa.Confrontar: patuá.


substantivo masculino Cada um dos dialetos franceses (picardo, normando etc.).
[Por Extensão] Dialeto de qualquer idioma. (Aport. do fr. patois.).


Patoá (do francês patois) é uma palavra de origem francesa que designa o falar essencialmente oral, praticado em uma localidade ou grupo de localidades, principalmente rurais. Segundo o TLFi, designa um sistema linguístico restrito, funcionando em um ponto determinado ou num espaço geográfico reduzido, sem estatuto cultural ou social estável, distinguindo-se do dialeto, do qual se destaca por numerosos traços fonológicos, morfossintáticos e lexicais. Historicamente, a palavra foi usada em sentido pejorativo – para desqualificar uma língua sem literatura e rebaixá-la à categoria de dialeto ou algo similar. O termo não está muito bem estabelecido em linguística, podendo referir-se a pidgins, crioulos, dialetos e outras formas de linguagens nativas ou locais. Normalmente, sua definição não abrange os jargões e a gíria. Patoás podem ser considerados como falares em estado de desagregação, sob o impacto de uma língua padrão, como o falar de uma região ou de um grupo no interior de um domínio linguístico. Portanto, estão ligados a um componente geográfico mas também sócio-cultural. Se entendido como desvio de estrutura morfossintática da língua padrão, ‘patoá’ corresponde a dialeto.


bookmark_borderO que é etnolinguística

etnolinguística etnolingüística etnolinguística | s. f. fem. sing. de etnolinguístico etnolingüístico etnolinguístico
et·no·lin·guís·ti·ca |güís| et·no·lin·güís·ti·ca |güís| et·no·lin·guís·ti·ca |güís|
(etno- + linguística )
nome feminino

[Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]   Área da linguística que estuda as relações entre língua e cultura de um ou mais grupos étnicos.• Grafia no Brasil: etnolingüística. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:etnolinguística. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:etnolingüística
• Grafia em Portugal:etnolinguística.
et·no·lin·guís·ti·co |güís| et·no·lin·güís·ti·co |güís| et·no·lin·guís·ti·co |güís|
(etno- + linguístico )
adjectivo adjetivo

Relativo a etnolinguística .• Grafia no Brasil: etnolingüístico. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:etnolinguístico. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:etnolingüístico
• Grafia em Portugal:etnolinguístico.


substantivo feminino Estudo das línguas do ponto de vista etnográfico.


Ethnolinguítica (ou linguística cultural) é um campo da linguística que estuda a relação entre língua e cultura das pessoas e como os diferentes grupos étnicos percebem o mundo. É a combinação entre etnologia e linguística. O primeiro refere-se ao modo de vida de uma comunidade inteira: todas as características que distinguem uma comunidade da outra. Tais características compõem os aspectos culturais de uma comunidade ou sociedade.
Os etnolinguistas estudam a maneira como a percepção e a conceituação influenciam a linguagem e mostram como isso está ligado a diferentes culturas e sociedades. Um exemplo é como a orientação espacial é expressa em várias culturas. Por exemplo, em muitas sociedades, as palavras para pontos cardiais leste e oeste são derivadas de termos para nascer / pôr do sol. Mas a nomenclatura para isso dos falantes da língua inuíte da Gronelândia, no entanto, é baseada em marcos geográficos como o sistema fluvial ou a posição de alguém na costa. Da mesma forma, na língua dos Yuroques (indígenasda Califórnia não tem a ieéia de direções cardeais; se orientam em relação à sua principal característica geográfica, o rio Klamath.
Linguística Cultural é um ramo relacionado da linguística que explora a relação entre linguagem e conceituações culturais. Linguística Cultural baseia-se e expande os avanços teóricos e analíticos na ciência cognitiva (incluindo ciência da complexidade e cognição distribuída) e antropologia. A linguística cultural examina como várias características das línguas humanas codificam conceituações culturais, incluindo esquemas culturais, categorias culturais e metáforas culturais. Nessa visão, a linguagem é vista como algo profundamente arraigado na cognição cultural em nível de grupo das comunidades de falantes. Até o momento, a abordagem da Linguística Cultural foi adotada em várias áreas da pesquisa de linguística aplicada, incluindo comunicação intercultural, aprendizado de segunda língua, ensino de Inglês como Língua Internacional e [Mundo Englishes]].