bookmark_borderO que é hachura

hachura | s. f.
ha·chu·ra
(francês hachure )
nome feminino

1. Conjunto de traços finos paralelos ou cruzados usado para produzir efeito de sombra ou meia-tinta ou para representar profundidade ou desnível.

2. [Artes gráficas]   [Artes gráficas]   Conjunto de traços que cobre o papel destinado a certos trabalhos de artes gráficas.


substantivo feminino Traços paralelos ou cruzados que se empregam nos desenhos, pinturas ou gravuras para marcar as sombras e meias-tintas.
Cada um dos traços convencionais empregados na cartografia para representar os acidentes e o declive dos terrenos. (As hachuras são tanto menores e mais unidas quanto maior é o declive do terreno.).
Traços que cobrem a superfície do papel para certos trabalhos gráficos.


A trama (pt) ou hachura (pt-BR) é uma técnica artística utilizada para criar efeitos de tons ou sombras a partir do desenho de linhas paralelas próximas. O conceito principal é o de que a quantidade, a espessura e o espaçamento entre as linhas irão afetar o sombreamento da imagem como um todo e enfatizar as formas, criando ilusão de volume, diferenças na textura e na cor. As linhas tracejadas devem sempre seguir o formato do objeto desenhado.
Quando utilizadas para representar cores, as linhas tipicamente seguem um mesmo padrão para representar tons particulares. Por exemplo, o vermelho pode ser feito com linhas leves e mais distantes, enquanto o verde poderia ser feito por duas camadas de linhas densas e perpendiculares, resultando numa imagem realista.
Além do desenho artístico, também o desenho técnico (arquitetônico, industrial, etc.) usa tracejados e hachuras para preencher as secções num desenho em corte.
Na arte ocidental, os tracejados surgiram na Idade Média. Pioneiros desta técnica foram, entre outros, Martin Schongauer, Erhard Reuwich e Michel Wolgemut. Artistas utilizam esta técnica variando o comprimento, os ângulos, a distância e outras qualidades das linhas.


bookmark_borderO que é escorço

escorço | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de escorçar
es·cor·ço |ô| es·cor·ço |ô|
(italiano scorcio )
substantivo masculino

1. Efeito de perspectiva que apresenta mais pequenos que o natural os objectos que se vêem de frente ou a distância.

2. Arte de representar os objectos em proporções mais pequenas que a realidade.

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Obra de pequenas dimensões.

4. Descrição resumida. = RESUMO, SÍNTESEPlural: escorços |ô|. Plural: escorços |ô|.
es·cor·çar es·cor·çar – Conjugar
verbo transitivo

Fazer o escorço de.


substantivo masculino Redução de uma figura segundo as regras de perspectiva.
Figura reduzida em relação ao tamanho natural.
Resumo, síntese.


Escorço é uma técnica de representação gráfica, na qual um objeto ou uma distância parecem mais curtos do que são na realidade. O termo deriva do verbo italiano scorciare que significa encurtar. Isso ocorre em função do ângulo adotado em relação ao espectador, sendo um exemplo extremo da perspectiva linear.O escorço da figura humana foi aperfeiçoado no Renascimento italiano. A pintura
Lamentação sobre o Cristo Morto, de Andrea Mantegna (1480), é um dos mais famosos exemplos de obras que mostram a nova técnica do período, a qual foi incorporada no currículo padrão para a formação dos artistas.


bookmark_borderO que é mosaico

mosaico | s. m. | adj. mosaico | adj.
mo·sai·co 1
(italiano mosaico )
substantivo masculino

1. Desenho ou decoração com peças planas de pedra, cerâmica, vidro, etc.

2. Pavimento de ladrilhos variegados.

3. Pedra chata ou placa de cerâmica para cobrir pavimento.

4. Mistura de coisas diferentes. = MISCELÂNEAadjectivo adjetivo

5. Feito de mosaico.
mo·sai·co mo·sai·co 2
(francês mosaïque )
adjectivo adjetivo

1. De Moisés ou a ele relativo.

2. Relativo ao mosaísmo. = HEBRAICO, JUDEU


substantivo masculino Desenho que se faz pela reunião de pequenas peças coloridas de vidro, de pedra ou de outro material, assentadas com cimento para formar um desenho sobre alguma superfície, geralmente um piso, parede ou teto.
[Artes] Processo de feitura e criação desse desenho, geralmente para ser usado como decoração.
[Construção] Piso comporto por peças de tamanhos e cores variados.
[Figurado] Todo formado por elementos diferentes que se juntam e se justapõem.
[Figurado] Coisa abstrata ou intelectual que deriva da junção de elementos distintos e preexistentes ao todo.
Trabalho de confecção da capa de um livro feito com recortes de couro fixados e justapostos.
Fot. Reunião fotográfica de uma área específica montada de modo a dar uma visão da região a ser fotografada.
[Biologia] Nome comum de uma infinidade de patologias que atacam plantas, deixando suas folhas com manchas que se assemelham a um mosaico.
[Biologia] Vegetal cujos tecidos provenientes de diferentes tipos genéticos tem sua origem numa mutação, enxerto ou separação incomum dos cromossomos; quimera.
Etimologia (origem da palavra mosaico). Do italiano mosaico; pelo latim musaicum.
adjetivo [Religião] Relacionado com Moisés, personagem Bíblico para os cristãos, e fundador do judaísmo a quem é atribuída a autoria da Torá, livro sagrado dos judeus.
Etimologia (origem da palavra mosaico). Do francês mosaique.


Mosaico é possivelmente uma palavra de origem grega (de µουσαικόν, transl. mousaikón, “obra das musas”), embora a técnica seja antiga. É um embutido de pequenas peças (tesselas) de pedra ou de outros materiais como plástico, areia, papel ou conchas, formando determinado desenho. O objetivo do desenho é preencher algum tipo de plano (geralmente, piso ou parede).
É uma modalidade de arte decorativa milenar, que nos remete à Antiguidade greco-romana, quando teve seu apogeu. Na sua elaboração eram utilizados diversos tipos de materiais.
A técnica da arte musiva consiste na colocação de tesselas, que são pequenos fragmentos de pedras, como mármore e granito moldados com tagliolo e martellina, pedras semipreciosas, pastilhas de vidro, seixos e outros materiais, sobre qualquer superfície.
Nos dias de hoje, o mosaico ressurgiu, despertando grande interesse, sendo cada vez mais utilizado, artisticamente, na decoração de ambientes interiores e exteriores.
Em Portugal, destacam-se os mosaicos das ruínas romanas de Conímbriga, datados do século II d.C., além do “mosaico das musas”, da villa romana de Torre de Palma (século II – IV d.C.), em Monforte, e os da villa romana de Milreu, no Distrito de Faro, no Algarve – belos exemplares decorativos da época romana.Também são exemplos de mosaico o calçadão de Copacabana, a disposição dos pisos e azulejos de uma casa, até mesmo algumas gravuras do artista holandês M. C. Escher que tratam do preenchimento do plano. Hoje, entre as principais figuras do mosaico contemporâneo, destacam-se Marcelo de Melo (Brasil), Sonia King (Estados Unidos) e Emma Biggs (Reino Unido).


bookmark_borderO que é vidrado

vidrado | adj. | s. m. masc. sing. part. pass. de vidrar
vi·dra·do
(particípio de vidrar )
adjectivo adjetivo

1. Que se vidrou.

2. Coberto de substância vitrificável (ex.: loiça vidrada).

3. Embaciado ou sem brilho (ex.: olhos vidrados).

4. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Que está muito entusiasmado por algo. = ARREBATADO, DOIDO, GAMADOnome masculino

5. Substância vitrificável aplicada na louça.
vi·drar vi·drar – Conjugar
(vidro + -ar )
verbo transitivo

1. Cobrir ou revestir de substância vitrificável. = VITRIFICAR

2. Cobrir ou revestir com vidro.verbo transitivo, intransitivo e pronominal

3. [Figurado]   [Figurado]   Tornar(-se) baço; fazer perder ou perder o brilho. = EMBACIARverbo transitivo e intransitivo

4. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Ficar encantado, apaixonado ou muito interessado. = FISSURAR, GAMAR


adjetivo Recoberto de camada vitrificada.
Diz-se da seda de brilho embaciado.
Diz-se da cerâmica, após o revestimento que lhe dá aspecto brilhante e impermeabilidade.
Embaciado, sem transparência: olhos vidrados.
Provido de vidros.
[Brasil] Gír. Encantado, apaixonado.
substantivo masculino A substância vitrificável que se aplica na louça: o vidrado da cerâmica.


Vidrado ou Vidrado cerâmico é uma camada ou revestimento numa substância vítrea, aquecida de modo a fundir-se com um objecto cerâmico com finalidade decorativa, de melhoria das propriedades mecânicas ou impermeabilização.


bookmark_borderO que é esboço

esboço | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de esboçar
es·bo·ço |ô| es·bo·ço |ô|
substantivo masculino

1. Delineamento inicial de uma obra de desenho ou de pintura.

2. Modelação inicial ou primeiros traços no toro de uma obra de escultura.

3. Obra literária resumida.

4. [Por extensão]   [Por extensão]   Conjunto das ideias principais. = DELINEAÇÃO, PLANO,PROJECTO

5. [Figurado]   [Figurado]   Ensaio; resumo.Plural: esboços |ô|. Plural: esboços |ô|.
es·bo·çar es·bo·çar – Conjugar
(italiano sbozzare )
verbo transitivo

1. Fazer o esboço ou os primeiros traços de. = BOSQUEJAR, DELINEAR, ESQUISSAR, RASCUNHAR, TRACEJAR

2. Começar a fazer um plano; começar a criar na mente ou na imaginação. = ALINHAVAR, IMAGINAR, PLANEAR, PLANEJAR

3. Mostrar de forma discreta; deixar ver um pouco (ex.: esboçou um sorriso). = ENTREMOSTRARverbo pronominal

4. Começar a tomar uma forma ou uma estrutura.Confrontar: esbouçar.


substantivo masculino Primeiros traços que dão origem a uma obra de arte, um desenho etc.
Representação sumária de; resumo; síntese: esboço das notícias.
Aquilo que se apresenta de maneira breve e provisória: esboço do trabalho.
[Figurado] As ideias iniciais acerca de alguma coisa; começo.
Ação que teve seu desenvolvimento interrompido por outra coisa.
Princípios iniciais que definem alguma coisa.
Aquilo que se apresenta com a configuração (contorno) de vultos; sombra.
Etimologia (origem da palavra esboço). Do italiano sbozzo/ forma regressiva de sbozzare.


Um esboço ou sketch (do inglês sketch, que por sua vez deriva primordialmente do grego σχέδιος – schedios, “temporário”) é qualquer obra em estado inicial, que se encontre inacabada porque ainda possui muito pouca informação. É o conjunto dos objetos iniciais, mais gerais e elementares da obra a ser composta.Também se denomina esboço qualquer rascunho ou delineamento inicial elaborado com o propósito de facilitar uma análise preliminar a respeito da realização de uma obra. Por exemplo: antes de fazer um desenho, uma pessoa pode querer elaborar um modelo simplificado dele. Tal modelo facilitará a consecução de projetos ou ideias, além de poder ser útil na hora de definir onde serão necessárias modificações ou adaptações.
Os sketchbooks de alguns artistas individuais tornaram-se muito conhecidos, incluindo os de Leonardo da Vinci e Edgar Degas que se tornaram objetos de arte por direito próprio, com muitas páginas que mostram estudos acabados, bem como esboços. O termo “sketchbook” refere-se a um livro de papel em branco em que um artista pode, (ou já tenha) desenhada esboços.O livro pode ser comprado encadernado ou podem compreender folhas soltas de esboços montados ou ligadas entre si.


bookmark_borderO que é retícula

retícula | s. f. Será que queria dizer reticula?
re·tí·cu·la
(latim reticulum, -i, rede pequena, saco de malha, alforge )
nome feminino

Retículo.


substantivo feminino O mesmo que retículo (e mais usado no Brasil).
[Física] Rede de difração formada por um grande número de retas finíssimas traçadas sobre vidro, com diversos empregos em óptica.
Fotografia. Aparelho semelhante usado em fotogravura, interposto entre a objetiva e a chapa, que torna possível a reprodução dos meios-tons pela decomposição da imagem em inúmeros e pequeníssimos pontos.


Retícula (Screentone em inglês) é um nome genérico da técnica de finalização artística muito usada em histórias em quadrinhos e na pop art e que consiste em imprimir, por decalque, texturas sobre o papel. Também é conhecido pelas marcas Zip-A-Tone (1937, agora extinta), Chart-Pak (1949) e Letratone (1966, da Letraset).Uma folha de retícula é composta por uma camada flexível e transparente que contém a textura impressa. A folha de retícula é colocada sobre o papel, com a textura para baixo e ao ser esfregada com o lado cego de uma lâmina transfere a textura para o papel.
As retículas são usadas por ilustradores e artistas, especialmente para sugerirem cores. A aplicação tem sido simplificada através da computação gráfica e o surgimento de retículas digitais, embora softwares de computação gráfica forneça uma variedade de alternativas ao retículas, sua aparência ainda é frequentemente simulada, para obter consistência com trabalhos anteriores ou evitar o aparecimento de imagens geradas por computador. Às vezes, é feito por meio da digitalização de folhas de retículas reais, mas também são usados padrões originais de vetor ou de bitmap. No Japão, as retículas tradicionais ainda são usadas por alguns autores de mangá.No Brasil, os chamado “pontos Ben-Day” (Ben-Day Dots em inglês), processo criado por Benjamin Day, é conhecidos como retícula de ponto duro. Uma das diferenças dos pontos de Ben-Day para as retículas propriamente ditas é que esses são coloridos e aquelas, em preto e branco.