bookmark_borderO que é harmônica

harmónica harmônica | s. f. Será que queria dizer harmónica?
har·mó·ni·ca har·mô·ni·ca
nome feminino

1. Pequeno instrumento de música em que o som é produzido por lâminas de metal que se põem em vibração ao soprar e ao aspirar; gaita-de-beiços .

2. Órgão portátil.

3. Marimba.

4. Acordeão.

5. O mesmo que harmónio.

6. O mesmo que filarmónica.

harmónica química • Aparelho de vibração tubular.• Grafia no Brasil: harmônica. • Grafia no Brasil: harmônica. • Grafia em Portugal:harmónica. • Grafia em Portugal:harmónica.


Forma mais usada: harmônica.


Em acústica e telecomunicações, uma harmônica (português brasileiro) ou harmónica (português europeu) de uma onda é uma frequência específica de vibração que tem a propriedade de causar o fenômeno de ressonância. A tais frequências é dada a denominação frequências de ressonância. Por definição, a frequência que causa a primeira ressonância de uma onda é chamada de frequência fundamental, e dela provêm os demais harmônicos.Os harmônicos têm uma forte aplicação na música, pois eles definem as frequências do som (uma onda mecânica longitudinal) audível que correspondem às notas da escala musical (mais precisamente, às notas do que chamamos série harmônica). Partindo-se da frequência fundamental, é possível obter

n

{\textstyle n}
frequências, cada uma delas correspondente à frequência de determinada nota musical da série. Por esse motivo, o conjunto de todos os modos de oscilação possíveis é chamado de série harmônica.


bookmark_borderO que é irradiação

irradiação | s. f. derivação fem. sing. de irradiar
ir·ra·di·a·ção
substantivo feminino

1. Acto de irradiar.

2. Espargimento dos raios de luz.

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Difusão do que sai de um centro para a periferia.

4. [Figurado]   [Figurado]   Propagação; contágio.
ir·ra·di·ar ir·ra·di·ar – Conjugar
verbo transitivo, intransitivo e pronominal

1. Arrojar, lançar de si (raios de luz).

2. Difundir (do centro para a periferia).

3. Espalhar.


substantivo feminino Ação de irradiar, de ser irradiado.
Emissão de raios luminosos ou caloríficos.
Expansão de luz que cerca os astros e os faz parecer maiores do que na realidade são.
Exposição à luz ou a outras formas de radiações.
[Figurado] Propagação, difusão: irradiação de um programa radiofônico.
Irradiação dolorosa, propagação de uma dor, partindo do seu ponto de origem.


Irradiação é o conjunto de radiações emitidas por um corpo.
Energia radiante é modalidade de energia que se propaga pelo espaço, mesmo vazio, por meio de ondas eletromagnéticas.
Radiação é o nome dado à energia radiante quando emitida com uma mesma frequência. A frequência de uma radiação não se modifica quando ela passa de um meio para outro, já a sua velocidade de propagação se modifica, e consequentemente, o seu comprimento de onda.
No vácuo, todas as radiações se propagam com a mesma velocidade. Em um meio material cada radiação tem uma velocidade de propagação diferente da de qualquer outra.
Então concluímos:
a) uma radiação pode ser perfeitamente caracterizada pela sua frequência;
b) só podemos caracterizar, perfeitamente, uma radiação pelo seu comprimento de onda, se especificarmos o meio. Se isto não é feito, fica implícito que o meio considerado é o vácuo ou em primeira aproximação, o ar.


bookmark_borderO que é radiotelegrafista

radiotelegrafista | s. 2 g.
ra·di·o·te·le·gra·fis·ta
(radiotelegrafia + -ista )
nome de dois géneros

1. Aquele que se ocupa em radiotelegrafia.

2. O que transmite mensagens radiotelegráficas.


substantivo masculino e feminino Operador(a) de radiotelegrafia.


Um radiotelegrafista é um profissional que opera uma estação de radiocomunicações e trafega informações pela mesma, na forma de dados, de radiotelefonia, de telemática e de radiotelegrafia (Código Morse) por meio de ondas rádio-elétricas (RF). Ocasionalmente, também pode transmitir e receber informações por meio físico (cobre ou fibra ótica) e por luzes (farol ou farolete).
Profissional responsável por toda a comunicação de entrada e saída em uma estação de radiocomunicações seja ela no mar, aérea ou costeira. Profissão de grande importância à navegação e a salvaguarda da vida humana no mar e ar durante emergências.
Pertencente ao Serviço Móvel Marítimo e Móvel Aeronáutico e sua legislação é de âmbito nacional (cada país) e internacional regida pela UIT (União Internacional das Telecomunicações), órgão das Nações Unidas responsável pelas diretrizes e legislação de telecomunicações de todo o mundo.


bookmark_borderO que é envelope

envelope | s. m. 1ª pess. sing. pres. conj. de envelopar 3ª pess. sing. imp. de envelopar 3ª pess. sing. pres. conj. de envelopar
en·ve·lo·pe
(francês enveloppe )
nome masculino

Envoltório para cartas ou outros documentos ou papéis. = SOBRECARTA, SOBRESCRITO
en·ve·lo·par en·ve·lo·par – Conjugar
(envelope + -ar )
verbo transitivo

Colocar em envelope.


substantivo masculino Pedaço de papel dobrado em forma de bolsinha, destinado a conter carta, cartão etc.; sobrecarta.


Um envelope ou sobrescrito é uma coberta de papel ou outro material para guardar cartas, documentos ou impressos de qualquer outra natureza para enviar pelos correios. O envelope é feito de forma para que possa se colocar as informações referentes ao destinatário (na frente do envelope, lado sem aba) e ao remetente (atrás do envelope, lado com aba). Por isso a parte frontal é lisa, com as dobras do papel sempre para trás.
Comumente a cultura de cada país adota envelopes com bordas nas principais cores nacionais. No Brasil, por exemplo, o padrão principal é o modelo de envelope com bordas nas cores amarelo e verde alternadas sobre o branco de uso precípuo para correspondências internacionais. Outras observações também caracterizam o modelo brasileiro como envelope cartão-postal, devido a ornamentação conferida pelas cores da borda.


bookmark_borderO que é telegrafia

telegrafia | s. f.
te·le·gra·fi·a
nome feminino

1. Arte de construir e de servir-se dos telégrafos.

telegrafia sem fios • Aplicação das ondas hertzianas à transmissão de sinais telegráficos.


substantivo feminino Sistema de telecomunicação que, por um código de sinais ou por outros meios apropriados, permite a transmissão de mensagens escritas.
Telegrafia sem fio (T.S.T.), transmissão de mensagens na qual se utilizam propriedades das ondas eletromagnéticas.


A telegrafia foi inventada por Samuel Finley Breese Morse, nascido em 27 de abril de 1791, em Charlestown, Massachusetts, nos Estados Unidos.


bookmark_borderO que é codificação

codificação | s. f. derivação fem. sing. de codificar
co·di·fi·ca·ção
(codificar + -ção )
nome feminino

1. Acto ou efeito de codificar.

2. Reunião, em código, de leis ou fórmulas dispersas.
co·di·fi·car co·di·fi·car – Conjugar
(francês codifier )
verbo transitivo

1. Reduzir ou reunir em código.

2. [Informática]   [Informática]   Converter ou transmitir dados em código. = CIFRAR, CRIPTAR, ENCRIPTAR ≠ DECIFRAR,DESCODIFICAR


substantivo feminino Ação ou efeito de codificar, de reduzir a código, colocando num modo de representação através de símbolos.
[Informática] Transmissão ou conversão de dados por meio de um código.
[Telecomunicação] Conversão de uma mensagem para ser transmitida por um canal.
[Linguística] Formulação de um enunciado seguindo as regras de uma língua-código.
Etimologia (origem da palavra codificação). Codificar + ção.


Em processamento digital de sinais, Codificação é a modificação de chave de um sinal para torná-lo mais apropriado para uma aplicação específica, como por exemplo transmissão ou armazenamento de dados.Neste contexto, existem três tipos de codificação:
Codificação de canal: Códigos detectores ou corretores de erros.
Codificação de fonte: Criptografia e compressão de dados.
Códigos de linha: Especificam a forma do sinal elétrico que será usado para representar os símbolos de informação. No caso binário, especifica o sinal elétrico dos bits

0

{\displaystyle 0}
e

1

{\displaystyle 1}
.


bookmark_borderO que é decodificação

decodificação | s. f.
de·co·di·fi·ca·ção
(decodificar + -ção )
nome feminino

Acto ou efeito de decodificar. = DESCODIFICAÇÃO


substantivo masculino Ação de decodificar, de passar algo para um código compreensível.
Interpretação de uma mensagem descrita numa linguagem incompreensível.
Interpretação do sentido de uma palavra ou frase que está descrita em códigos.
[Informática] Ato de converter os dados para o formato original; descodificação.
Etimologia (origem da palavra decodificação). Decodificar + ção.


Decodificação é a ação de transcrição, interpretação ou tradução de um código, também conhecida como criptografia, (dado ou conjunto de dados em um formato desconhecido) de modo que possa ser entendido pelo decodificador ou seu utilizador (para um formato conhecido, ou legível).
A decodificação pode ser utilizada em espionagem, para decifrar informações sigilosas, ou para lidar mais facilmente com determinados meios de comunicação, como o telégrafo e o código Morse


bookmark_borderO que é telemarketing

telemarketing | s. m.
telemarketing |tèlèmárquetingue|
(palavra inglesa )
nome masculino

Conjunto de actividades de marketing feitas por telefone ou por outros meios de comunicação à distância.Plural: telemarketings. Plural: telemarketings.


substantivo masculino Utilização do telefone ou de outros meios de comunicação para serviços de atendimento ao cliente, para promoções, vendas etc.
Telemarketing Receptivo. Aquele em que o cliente (ou possível cliente) entra em contato com o atendimento telefônico para fazer uma compra ou para pedir informações.
Telemarketing Ativo. Aquele em que os operadores de telemarketing entram em contato com o cliente, geralmente para vender produtos.
Pronuncia-se: /télemarctin/.
Etimologia (origem da palavra telemarketing). Do inglês telemarketing.


O telemarketing ou telemercadologia é o termo que designa a promoção de vendas e serviços por telefone. Com o tempo, passou a designar também serviços de cobrança e outros, como atendimento ao consumidor e suporte técnico por telefone. Estes serviços são feitos por empresas especializadas em trabalhos de divulgação e de orientação aos clientes em vários segmentos do mercado e utilizam em suas operações, grandes ambientes denominados call centers ou centrais de atendimento, chamadas de SAC (serviço de atendimento ao cliente), permitindo variantes como por exemplo, SAT (serviço de atendimento ao telespectador).
Na década de 80, o serviço se expandiu para outras áreas, inclusive a política, quando o consultor em marketing Mauro Ferreira introduziu-o pela primeira vez, isto aconteceu mais precisamente na campanha para vereador e prefeito do Rio de Janeiro em 1988.[carece de fontes?] A partir daí foi-se desenvolvendo e hoje se tornou em uma das mais poderosas estratégias políticas e de venda.