bookmark_borderO que é geração

geração | s. f. derivação fem. sing. de gerar
ge·ra·ção
(latim generatio, -onis )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de gerar ou de se gerar.

2. Conjunto de funções pelas quais um ser organizado produz outro da sua espécie. = PROCRIAÇÃO

3. [Biologia]   [Biologia]   Conjunto dos seres vivos que têm os mesmos progenitores.

4. Grau de filiação ou de descendência em linha directa .

5. Conjunto de descendentes de um tronco familiar comum. = DESCENDÊNCIA, RAÇA

6. Descrição da origem e ramificações de uma família. = FAMÍLIA, GENEALOGIA, LINHAGEM, PARENTELA

7. Conjunto das pessoas da mesma época ou quem têm sensivelmente a mesma idade.

8. Tempo médio da duração da vida humana.

9. Gente; nação.

10. [Religião]   [Religião]   Filiação de conventos fundados por frades de outro convento da mesma ordem.

11. [Figurado]   [Figurado]   Produção.

12. Criação, concepção .

13. Derivação; desenvolvimento.

14. Formação.

de última geração • Que está na vanguarda ou que apresenta o nível mais avançado de desenvolvimento ou de conhecimento (ex.: tecnologia de última geração).

geração espontânea • [Biologia]   • [Biologia]   Hipótese que admitia a formação dos seres vivos a partir de matéria não viva. = ABIOGÉNESE , ABIOGENIA, HETEROGENESIA, HETEROGENIA

geração X • [Sociologia]   • [Sociologia]   Designação dada ao conjunto de pessoas que nasceram sensivelmente entre o final dos anos 1960 e o início dos anos 1980, a seguir à geração dos baby boomers.

geração Y • [Sociologia]   • [Sociologia]   Designação dada ao conjunto de pessoas que nasceram sensivelmente entre o início dos anos 1980 e o final dos anos 1990.

geração Z • [Sociologia]   • [Sociologia]   Designação dada ao conjunto de pessoas que nasceram sensivelmente entre o final dos anos 1990 e a década de 2010.
ge·rar ge·rar – Conjugar
(latim gero, -are )
verbo transitivo

1. Dar existência a; procriar; conceber.

2. Produzir, dar.

3. Ter.

4. Causar, originar.verbo intransitivo e pronominal

5. Formar-se, desenvolver-se.

6. Nascer.


substantivo feminino Ato de gerar ou de ser gerado: geração de energia.
Função pela qual os seres organizados se reproduzem; concepção.
Série de organismos semelhantes que se originam uns dos outros.
Parentesco direto; linhagem, ascendência, genealogia.
Espaço de tempo que separa cada grau de filiação: cada século compreende cerca de três gerações.
Etapa da descendência natural que deve ser seguida por outra; considera-se como período de tempo de cada geração humana cerca de 25 anos: os pais representam uma geração, os filhos representam a geração seguinte.
[Biologia] Qualquer fase necessária para manter a sobrevivência de uma espécie.
Etimologia (origem da palavra geração). Do latim generatio.onis.


Geração (do termo latino generatione), também conhecida como procriação em ciências biológicas, é o ato de se produzir descendentes.
Em um sentido mais geral, também pode se referir ao ato de se criar algo inanimado, como ideias, som, eletricidade ou um código criptográfico. Também pode se referir a conjuntos de descendentes, como a Geração X, ou aos estágios sucessivos de melhoria no desenvolvimento de uma tecnologia (como a do motor de combustão interna ou os sucessivos lançamentos de produtos com obsolescência planejada, como consoles de videogame e telefones celulares).


bookmark_borderO que é confiabilidade

confiabilidade | s. f.
con·fi·a·bi·li·da·de
(forma alatinada de confiável + -idade )
nome feminino

Qualidade do que é confiável. = FIABILIDADE


substantivo [Medicina] É a extensão em que medidas repetidas de um fenômeno relativamente estável situam-se próximas umas das outras; é o grau de confiança de uma proposta; capacidade de um instrumento não variar em seus resultados, sendo utilizado por diferentes operadores ou.


Na engenharia de sistemas, confiabilidade é uma medida da disponibilidade, confiabilidade e manutenção de um sistema, e desempenho do suporte de manutenção e, em alguns casos, outras características como durabilidade, proteção e proteção. Na engenharia de software, confiabilidade é a capacidade de fornecer serviços que podem ser defensivamente confiáveis dentro de um período de tempo.[carece de fontes?] Isso também pode abranger mecanismos projetados para aumentar e manter a confiabilidade de um sistema ou software.A Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC), por meio de seu Comitê Técnico TC 56, desenvolve e mantém padrões internacionais que fornecem métodos e ferramentas sistemáticas para avaliação da confiabilidade e gerenciamento de equipamentos, serviços e sistemas ao longo de seus ciclos de vida.
A confiabilidade pode ser dividida em três elementos:

Atributos – Uma maneira de avaliar a confiabilidade de um sistema
Ameaças – Uma compreensão das coisas que podem afetar a confiabilidade de um sistema
Meios – Formas de aumentar a confiabilidade de um sistema


bookmark_borderO que é baud

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. baús baú naus vaus Bacu base maus bate Bady (norma brasileira) baje (norma brasileira) baul (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo masculino Em telegrafia e teleinformática, unidade de velocidade de modulação igual a um impulso por segundo.


Baud deriva do sobrenome de Émile Baudot, francês inventor do código telegráfico Baudot. Um baud é uma medida de velocidade de sinalização e representa o número de mudanças na linha de transmissão (seja em frequência, amplitude, fase etc…) ou eventos por segundo.Para se determinar a taxa de transmissão de um canal em bits por segundo – bps, deve ser levado em consideração o tipo de codificação utilizada, além da velocidade de sinalização (medida em Bauds) do canal de comunicação.


bookmark_borderO que é latência

latência | s. f.
la·tên·ci·a
(lat[ente] + -ência )
substantivo feminino

1. Estado do que é latente.

2. [Medicina, Psicologia]   [Medicina, Psicologia]   Tempo decorrido entre o estímulo e a resposta correspondente.

3. [Tecnologia]   [Tecnologia]   Tempo decorrido entre o comando dado e a sua execução.


substantivo feminino Particularidade, estado ou condição de latente ou que se encontra desta forma; oculto: a latência de um sentimento.
[Por Extensão] Circunstância (temporal) em que alguma coisa se desenvolve, antes de possuir sua forma definitiva; incubação: caso em latência.
[Medicina] Período de tempo compreendido entre o início de um estímulo e o começo de uma resposta, relacionada ao mesmo estímulo.
[Psicanálise] Intervalo que, entre a infância e a adolescência, abarca o período de sublimação do interesse sexual; período de latência.
Etimologia (origem da palavra latência). De latente do latim + ência/ later + ência.


Período de Latência é a diferença de tempo entre o início de um evento e o momento em que os seus efeitos se tornam perceptíveis e sim conceito de engenharia, o débito. Embora de certa forma sejam ambos uma medida de velocidade, não são, de todo, a mesma coisa. Latência é a sua conclusão, enquanto que débito é o número total de tais atividades durante um determinado espaço de tempo.Tanto latência como débito têm efeitos dramáticos no desenho de sistemas de telecomunicações e de computação, já que geralmente melhorias num deles repercutem-se negativamente no outro. Para a maioria das operações, como transferência de ficheiros, o débito é a medida mais importante, pois este tipo de operação não será concluído enquanto todos os dados tiverem sido transferidos. Em contrapartida, o sistema de travagem de um automóvel necessita de muito pouca informação (ativo ou inativo), mas esta informação deve ser enviada com o menor atraso possível. É, em grosso modo, a medida que indica o tempo necessário para que a cabeça de leitura e gravação se posicione no setor do disco que deve ser lido ou mesmo gravado.
O termo latência pode também ser usado em Biologia para designar o estado de repouso de um organismo, no qual as manifestações vitais são pouco evidentes relativamente a estados de plena actividade.


bookmark_borderO que é interoperabilidade

interoperabilidade | s. f.
in·te·ro·pe·ra·bi·li·da·de
(inter- + operabilidade )
substantivo feminino

1. Qualidade do que é interoperável.

2. Capacidade de um sistema para interagir e comunicar com outro.


substantivo feminino Ação de interoperar, de trabalhar em conjunto.
Capacidade de trabalhar em conjunto que possibilita a interação entre pessoas, sistemas de operação ou organizações, buscando uma troca de informações mais eficiente e produtiva.
[Informática] Capacidade de um sistema informático de interagir ou de se comunicar com outro.
Etimologia (origem da palavra interoperabilidade). De inter + operabilidade.


Interoperabilidade é a capacidade de um sistema (informatizado ou não) de se comunicar de forma transparente (ou o mais próximo disso) com outro sistema (semelhante ou não). Para um sistema ser considerado interoperável, é muito importante que ele trabalhe com padrões abertos ou ontologias. Seja um sistema de portal, seja um sistema educacional ou ainda um sistema de comércio eletrônico, ou e-commerce, hoje em dia se caminha cada vez mais para a criação de padrões para sistemas.


bookmark_borderO que é spam

spam | s. m.
spam |spâme|
(palavra inglesa, redução de spiced ham, presunto condimentado )
nome masculino

[Informática]   [Informática]   Tipo de mensagem de correio electrónico , geralmente com intuito publicitário ou fraudulento, enviada para grande número de destinatários que não forneceram o seu endereço para esse fim.


substantivo masculino [Informática] Mensagem enviada ao correio eletrônico (email) de muitas pessoas sem que elas tenham fornecido seus respectivos endereços; o conteúdo dessas mensagens (geralmente) pode ser de teor publicitário e/ou fraudulento.
Etimologia (origem da palavra spam). Forma Red. do inglês spice ham.


O termo Spam pode ser um acrónimo derivado da expressão em inglês “Sending and Posting Advertisement in Mass”, traduzido em português “Enviar e Postar Publicidade em Massa”, ou também Stupid Pointless Annoying Messages que significa mensagem ridícula, sem propósito, e irritante. No entanto, existem diversas versões a respeito da origem da palavra spam. A versão mais aceita, e endossada pela RFC 2635, afirma que o termo originou-se da marca SPAM, um tipo de carne suína enlatada da Hormel Foods Corporation, e foi associado ao envio de mensagens não-solicitadas devido a um quadro do grupo de humoristas ingleses Monty Python.Na sua forma mais popular, spam é sinónimo de lixo de correio eletrónico e designa mensagens de correio eletrônico com fins publicitários. O termo, no entanto, pode ser aplicado a mensagens enviadas por outros meios e noutras situações até modestas. Geralmente os spams têm caráter apelativo e na maioria das vezes são incômodos e inconvenientes.
Simultaneamente ao desenvolvimento e popularização da Internet, ocorreu o crescimento de um fenômeno que, desde seu surgimento, se tornou um dos principais problemas da comunicação eletrônica em geral: o envio em massa de mensagens não-solicitadas. Esse fenômeno ficou conhecido como spamming, as mensagens em si, como spam, e os seus autores, como spammers.
Apesar da existência de mensagens não-eletrônicas que podem ser comparadas a spam, como por exemplo folhetos promocionais não-solicitados, o termo é reservado aos meios eletrônicos devido a motivações que os tornam muito mais propícios ao crescimento do fenômeno do que outros.
Alguns países aprovaram uma legislação para regular a prática de envio de mensagens publicitárias não solicitadas, mas a sua eficácia é discutível. Apesar disso, diversas entidades governamentais, comerciais e independentes declaram que o spam é um dos maiores problemas atuais da comunicação eletrônica.
No Brasil ainda não é crime enviar spam, mas esta prática está sendo atualmente discutida no Senado e pode virar lei de acordo com o projeto PLS 21/04. Mesmo sua proibição ainda não sendo oficial, sua prática acaba sendo autorregulamentada, pois o spammer é mal visto, seu produto ou empresa é desacreditado, seu provedor, domínio ou IP pode ser incluído nas listas de bloqueio dos administradores de rede. Por este motivo quase sempre o spam está ligado a práticas criminosas ou a ingenuidade do empreendedor.
Em Portugal a Diretiva n.º 2002/58/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, foi transposta para a lei nacional pelo Decreto-Lei n.º 7/2004 de 7 de Janeiro, através do seu Capítulo IV que regula as Comunicações publicitárias em rede e marketing directo. O artigo 22.º determina que “o envio de mensagens para fins de marketing directo”, nomeadamente por correio electrónico, “carece de consentimento prévio do destinatário”. O consentimento prévio só é exigido se o destinatário não for uma pessoa colectiva. A violação desta norma é considerada uma contra-ordenação sancionável com coima de €2.500 a €50.000, agravada em um terço se o acto for cometido por pessoa colectiva. Posteriormente, foi transposta a Diretiva n.º 2009/136/CE para a Lei 46/2012 – Dados pessoais e privacidade nas comunicações electrónicas, que regula presentemente o envio de comunicações não solicitadas.
Os raros casos de prisão ou citação de spammers são provenientes do crime cometido por eles e não do envio do spam em si. Exemplos: enviar spam se fazendo passar por outra pessoa ou empresa, enviar spam com programas maliciosos, destinados a invadir sistemas ou capturar senhas. Nestes casos a prisão se deu pelo crime cometido e não pelo spam (que ainda não é considerado crime).
Este artigo fornece uma visão geral do spam, abordando características que independem do tipo ou meio de envio, exceto quando especificado.


bookmark_borderO que é redundante

redundante | adj. 2 g.
re·dun·dan·te
(latim redundans, -antis )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. Em que há redundância.

2. Que tem palavras em excesso. = PALAVROSO

3. Que não é essencial. = SUPÉRFLUO


adjetivo Em que há excesso; com repetição ou excessivamente supérfluo: discurso redundante.
Cujas informações já foram mencionadas; repetitivo.
Etimologia (origem da palavra redundante). Do latim redundans.antis.


Redundante diz-se de uma informação em um sistema, quando as tabelas de seu banco de dados tem informação repetida desnecessariamente. Geralmente as tabelas do banco de dados não estão estruturadas de acordo com as regras de normalização de dados. Este erro é comum quando, por exemplo, as tabelas são montadas exatamente como foram encontradas em documentos e planilhas eletrônicas.
Diz-se também que um sistema planejado para operar em alta disponibilidade é um sistema redundante.


bookmark_borderO que é usuário

usuário | adj. | adj. s. m. | s. m.
u·su·á·ri·o
(latim usuarius, -a, -um, de que se tem o uso )
adjectivo adjetivo

1. Que serve para usar.adjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

2. Que ou quem possui ou frui alguma coisa por direito, que provém do uso.nome masculino

3. [Brasil]   [Brasil]   Pessoa que faz uso do computador, de programas, sistemas ou serviços informáticos. = UTILIZADOR


adjetivo, substantivo masculino Diz-se daquele, ou aquele que tem direito de uso ou usufruto.
substantivo masculino Indivíduo que faz uso de um serviço de utilidade pública: os usuários da companhia telefônica.


Os usuários (português brasileiro) ou utilizadores (português europeu) são pessoas ou organizações que utilizam um determinado tipo de serviço e podem ser classificados segundo a área de interesse.
Usuários em sistemas de informação são agentes externos ao sistema que usufruem da tecnologia para realizar determinado trabalho. Podem ser desde os usuários comuns do sistema até administradores, programadores ou analistas de sistemas.
Já para o código penal, é o indivíduo que ‘utiliza’ o produto contrabandeado, ou entorpecente (Usuário – no código penal brasileiro artigo 16, na A.E. da U.fscar. 1brto.).
Num sentido mais abrangente, o usuário é qualquer pessoa ou organização para quem o produto ou serviço é concebido e que explora, pelo menos, uma das suas funções, em qualquer momento do seu ciclo de vida.


bookmark_borderO que é login

login | s. m.
login |lòguíne|
(palavra inglesa )
nome masculino

1. [Informática]   [Informática]   Processo de ligação a uma rede protegida que permite ao utilizador aceder a um sistema informático mediante a introdução da sua identificação e senha.

2. [Informática]   [Informática]   Identificação do utilizador de um sistema informático dotado de restrições de segurança.Plural: logins. Plural: logins.


substantivo masculino Modo de ligação a uma rede protegida que dá acesso ao usuário a um sistema informático, por meio da introdução de uma identidade e senha.
[Informática] Identificação da pessoa que utiliza um sistema informático protegido por senha.
Pronuncia-se: /loguim/.
Etimologia (origem da palavra login). Do inglês login.


Em termos informáticos, login (derivado do inglês log in) ou logon ou signin, é o processo para acessar um sistema informático restrito feita através da autenticação ou identificação do utilizador, usando credenciais previamente cadastradas no sistema por esse utilizador. Essas credenciais são normalmente constituídas por um nome-de-usuário (do inglês username) ou identificador e uma palavra-passe (do inglês password) ou senha.Em sistemas de maior segurança ocorre o processo de registro de toda a navegação do usuário pelo sistema no log de dados; origem do termo técnico log + in, processo de entrar num sistema de log e ficar todo o histórico do usuário registrado.
Acender em um sistema informático restrito, cujo normalmente possui informações privilegiadas e/ou privadas e até permissões de administração da conta de usuário com que o login foi feito, ou até administração do próprio sistema.Um login por questões de segurança de dados deve ser único para cada utilizador. Uma vez logado (derivado do inglês logged) o utilizador poderá sair ou desligar-se do sistema efetuando o logout ou logoff (do inglês log out ou log off), o que terminará a sua sessão de acesso a esse sistema e o encerramento do registro no log de dados.


bookmark_borderO que é bit

bit | s. m.
bit |bíte|
(palavra inglesa )
nome masculino

Unidade elementar de medida de informação que apenas pode tomar dois valores distintos (geralmente notados 1 e 0).Plural: bits. Plural: bits.


substantivo masculino Unidade de informação em computador ou cibernética equivalente ao resultado de uma escolha entre duas alternativas (sim ou não, dentro ou fora etc.). O bit compõe informações dentro do sistema binário de numeração.
Etimologia (origem da palavra bit). Do inglês Binary digIT.


O bit (simplificação para dígito binário, em inglês binary digit) é a menor unidade de informação que pode ser armazenada ou transmitida, usada na Computação e na Teoria da Informação. Um bit pode assumir somente 2 valores: 0 ou 1, corte ou passagem de energia, respectivamente.
Embora os computadores tenham instruções (ou comandos) que possam testar e manipular bits, geralmente são idealizados para armazenar instruções em múltiplos de bits, chamados bytes. No princípio, byte tinha tamanho variável mas atualmente o padrão de facto é oito bits, como definido pela ISO/IEC 2382-1:1993. Bytes de oito bits também são chamados de octetos. Existem também termos para referir-se a múltiplos de bits usando padrões prefixados, como quilobit (kb), megabit (Mb), gigabit (Gb) e Terabit (Tb). Vale notar que a notação para bit utiliza um “b” minúsculo, em oposição à notação para byte que utiliza um “B” maiúsculo (kB, MB, GB, TB).
Fisicamente, o valor de um bit é, de uma maneira geral, armazenado como uma carga elétrica acima ou abaixo de um nível padrão em um único capacitor dentro de um dispositivo de memória. Mas, bits podem ser representados fisicamente por vários meios.