bookmark_borderO que é excelência

excelência | s. f.
ex·ce·lên·ci·a |eis| ou |es| ex·ce·lên·ci·a |eis| ou |es|
(latim excellentia, -ae )
substantivo feminino

1. Qualidade do que é excelente.

2. Grau elevado de perfeição, de bondade. = SUPERIORIDADE

3. Forma de tratamento destinada a pessoas nobres ou ilustres, e em geral dada às pessoas consideradas de alta categoria social (ex.: Sua Excelência mandou avisar que chegará com algum atraso) [Abreviatura: Ex.ª].

por excelência • No mais alto grau, com primazia sobre todos.

Vossa Excelência • Forma de tratamento directo formal, nomeadamente em correspondência (ex.: vimos por este meio comunicar a Vossa Excelência o nosso profundo pesar) [Abreviatura: V.ª Ex.ª].


substantivo feminino Característica do que é excelente; em que há excelência; de teor elevado.
Grau máximo de bondade, qualidade ou perfeição: a excelência de um remédio.
[Gramática] Forma de tratamento conferida a quem pertence ao mais alto nível de uma hierarquia social, que ocupa posições ou funções de nível nobre, político, diplomático, eclesiástico ou profissional relevantes; abreviada por Ex.ª.
[Música] Tipo de cântico entoado em velórios.
expressão Por excelência. No mais alto grau.
Etimologia (origem da palavra excelência). Do latim excellentia.ae.


Excelência (do latim excellentia) é o estado ou qualidade de excelente, muito bom e de grandeza.
Como título honorífico foi originário da corte de Bizâncio.Primitivamente era atribuído apenas aos imperadores e aos príncipes de sangue. Quando estes substituíram este título pelo de alteza, o de excelência foi dado a todos aqueles que, sem serem príncipes, estavam revestidos de altas dignidades.Depois de 1834, em Portugal, com o liberalismo, ainda o uso o restringiu bastante nos homens, generalizando-o às senhoras. Depois generalizou-se a todas as pessoas da alta-sociedade. Por fim, com a implantação da República caiu socialmente no desuso e hoje voltou ao ínicial de ser uma actribuição quase apenas das altas dignidades eclesiásticas.


bookmark_borderO que é juiz

juiz | s. m.
ju·iz
(latim judex, -icis )
nome masculino

1. Magistrado que administra justiça.

2. Pessoa que julga. = JULGADOR

3. Árbitro.

4. Presidente (de irmandade, confraria, festa, torneio, etc.).

5. Nome dos magistrados que governaram os judeus antes da monarquia.

juiz da inconfidência • [Antigo]   • [Antigo]   O que julgava os crimes de alta traição.

juiz de Direito • Magistrado que julga em cada comarca, segundo a prova dos autos.

juiz de facto • [Direito]   • [Direito]   Cada um dos cidadãos escolhidos para constituir um tribunal de júri. = JURADO

juiz de fora • [Antigo]   • [Antigo]   Juiz de Direito.

juiz de instrução criminal • O que prepara os processos-crime para entregar os réus ao poder judicial .

juiz de linha • [Desporto]   • [Esporte]   Indivíduo que, nos jogos de futebol, deve acenar com uma bandeira pequena ao árbitro principal em caso de saída de campo da bola, fora-de-jogo , falta, etc. = ÁRBITRO ASSISTENTE, ÁRBITRO AUXILIAR, BANDEIRINHA, FISCAL DE LINHA

juiz de paz • Cidadão que preside a juízos conciliadores, a arrolamentos, etc.

juiz presidente • Magistrado que preside um colectivo de juízes.

juiz relator • O que tem de fazer o relatório do processo que lhe é distribuído, fundamentando o seu voto.Feminino: juíza. Plural: juízes. Feminino: juíza. Plural: juízes.
Ver também dúvida linguística: juiz / juíza.


substantivo masculino Funcionário público que tem por função ministrar a Justiça.
Pessoa que serve de árbitro em alguma pendência ou competição.
Aquele que pode ou sabe julgar e avaliar.
[Esporte] Indivíduo que, numa competição ou jogo, é responsável por garantir que as regras sejam cumpridas; árbitro.
Membro de um juri (comissão que analisa e julga questões judiciais).
[História] Chefe supremo dos hebreus até a instituição da realeza.
expressão Juiz de direito ou juiz togado. Magistrado que julga, em uma comarca, segundo as provas nos autos.
Juiz de paz. Antigo magistrado eletivo a quem competia o julgamento das causas de pequena relevância, desavenças, cobranças de pequeno valor, realização de casamento, da alçada de um juízo de paz ou juízo conciliatório.
Juiz de fora. Antigo magistrado no período colonial, atualmente o juiz de direito.
Etimologia (origem da palavra juiz). Do latim judex.icis.


O juiz (do latim iudex, “juiz”, “aquele que julga”, de ius, “direito” / “lei”, e dicere, “dizer”) é um cidadão investido de autoridade pública com o poder-dever para exercer a atividade jurisdicional, julgando, em regra, os conflitos de interesse que são submetidas à sua apreciação. Vale ressaltar que nem sempre há conflito de interesses (pretensão resistida) a ser apreciada, como é o caso de homologação de acordo, ação de oferecimento de alimentos, ação de divórcio consensual , sendo a autoridade máxima dentro do tribunal.
O juiz é, em diversos países, membro do Poder Judiciário, de um modo geral, e, na qualidade de administrador da justiça do Estado, é responsável por declarar e ordenar o que for necessário para julgar procedente ou não a pretensão da parte, a quem entende fazer jus ao direito pleiteado.No Brasil, o dia do juiz é comemorado em 11 de agosto, mesmo dia em que se comemora o dia do advogado. Existem datas específicas para juiz de menores (3 de janeiro) e para juiz do trabalho (26 de abril).


bookmark_borderO que é camerlengo

camerlengo | s. m.
ca·mer·len·go
(espanhol camarlengo )
nome masculino

[Religião católica]   [Religião católica]   Cardeal que preside à câmara apostólica e que desempenha as funções de papa enquanto o lugar está vazio até à eleição de outro papa. = CAMARLENGO


substantivo masculino Título de dois cardeais da corte pontifical: o camerlengo da Santa Igreja Romana, que preside à câmara apostólica e exerce a autoridade papal, por morte do titular, e o camerlengo do Sacro Colégio, que administra os bens desta instituição.


Camerlengo é um título de origem medieval ainda em uso em alguns ordenamentos políticos modernos. Deriva do latim medieval camarlingus, que, por sua vez, vem do frâncico kamerling, que veio do latim camerarius, que significa “adido à câmara” (ficando geralmente subentendido “do tesouro” e “do soberano”). O significado do título e a função são em parte comparáveis aos do cubiculário, no Baixo Império Romano, no Império Bizantino e no Papado. Na língua inglesa antiga, o título tomou a forma de chamberlain.
Em geral, o título designa aquele que administra o tesouro e os bens do Estado, e o órgão por ele administrado normalmente tem o nome de “câmara”. Outra função fundamental do cargo é assumir, interinamente, a direção de toda a Igreja Católica no momento de falecimento ou abdicação do Papa vigente, ganhando todos os seus atributos administrativos: devendo administrar o encerramento do papado, organizar um novo conclave e realizar a transição para um novo Sumo Pontífice – processo que pode levar meses.


bookmark_borderO que é arquiduque

arquiduque | s. m.
ar·qui·du·que
(arqui- + duque )
nome masculino

1. Título dos príncipes da Casa de Áustria.

2. O primeiro de entre os duques.


substantivo masculino Título dos príncipes da casa de Áustria.
Titular superior ao duque.


Arquiduque (em alemão Erzherzog, polonês Arcyksiążę; e no feminino: arquiduquesa) era mais precisamente o título nobiliárquico dos membros da família imperial austríaca e da família imperial do Sacro Império Romano-Germânico (962-1806), os Habsburgo. Nunca existiu um trono arquiducal: um arquiduque seria para sempre o imperador soberano. É título imediatamente superior ao de grão-duque e inferior ao de infante.


bookmark_borderO que é doutor

doutor | s. m.
dou·tor |ô| dou·tor |ô|
(latim doctor, -oris, mestre, aquele que ensina )
nome masculino

1. Indivíduo que recebeu o maior grau universitário, com direito a usar as insígnias de borla e capelo (ex.: doutor em Filosofia).

2. Homem douto em ciências ou letras.

3. Pessoa que exerce medicina. = MÉDICO

4. Pessoa que se formou numa universidade (abreviatura: Dr.).

5. Pessoa que ensina matérias de doutrina ou a quem é reconhecida autoridade (ex.: doutor da Igreja; doutores da Lei).

6. [Informal]   [Informal]   Pessoa que se acha muito sábia ou sabedora; pessoa pretensiosa em relação ao que sabe. = SABICHÃO, SABIDÃO

7. [Informal]   [Informal]   Bacio.

doutor da mula ruça • [Informal]   • [Informal]   Profissional diplomado mas inábil ou sem conhecimentos na área. = CHARLATÃO, SAPATEIRO

doutor das dúzias • [Popular, Depreciativo]   • [Popular, Depreciativo]   Doutor medíocre.

doutor de ladeira • [Informal]   • [Informal]   Indivíduo que se tem em grande conta para aconselhar os outros.Feminino: doutora. Feminino: doutora.


substantivo masculino Indivíduo que completou o doutorado; quem possui o mais elevado grau acadêmico.
Aquele que tem o mais elevado grau de instrução; quem é douto.
Uso Irônico. Aquele que faz alarde de seus conhecimentos ou institui regras a respeito de tudo.
Aquele que possui o grau de médico; designação de médico: o doutor vai passar a medicação.
Forma de tratamento que expressa respeito em relação a uma pessoa hierarquicamente superior.
Etimologia (origem da palavra doutor). Do latim doctor.oris.


Doutor é o título ou grau acadêmico mais elevado na maioria dos sistemas de ensino, é adquirido através do doutorado, e comprova a capacidade de desenvolver investigação ou docência num determinado campo da ciência.
É importante ressaltar que doutor não configura forma de tratamento oficial, pois inicialmente é título acadêmico. Seu uso deve ser mais dirigido a comunicações profissionias para pessoas que alcançaram o grau acadêmico de doutoramento(português europeu) ou doutorado(português brasileiro); e, segundo o manual da presidência da República do Brasil, apesar de ser “costume designar por doutor a quem possui somente a graduação, especialmente os graduados em direito e em medicina, o tratamento “Senhor” confere a desejada formalidade às comunicações”. E, como no visto no manual acima, o consagrado vocativo é costume e foi a ser parte integrante do Direito Consuetudinário (como consta nas normas, pelo Direito brasileiro, visto a seguir).
No Brasil, esse termo foi empregado como axiônimo e como forma de reverência a alguma pessoa presente no discurso, como por exemplo, quando nos referimos a algum indivíduo, que ao invés de utilizar o pronome você ou tu como empregado em algumas regiões do Brasil, empregamos informalmente o tratamento “doutor” como por exemplo: “O doutor deseja alguma coisa?”. Tanto no Brasil quanto em Portugal a palavra é usada também como forma de tratamento informal para vários profissionais.
E, apesar de ser tida como palavra informal, para se referir mais a profissionais da área da saúde e advogados têm resoluções dos conselhos de classes sobre isso. Porém, conselhos de classes não têm poder para legislar, não criam e nem editam leis, então tais resoluções não são leis e não devem ser interpretadas como uma, além de não serem seguidas pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa e pelo Manual de Redação da Presidência da República..
Isso seria proveniente de uma má interpretação da Lei 11 de Agosto de 1827, na quais há um artigo e um capítulo específico sobre o tratamento de “doutor” para os graduados em direito, o artigo 9 e capítulo 13. Tal lei pode ser acompanhada na íntegra no site do Congresso Federal.
“Art. 9.º – Os que freqüentarem os cinco anos de qualquer dos Cursos, com aprovação, conseguirão o grão de Bachareis formados. Haverá também o grão de Doutor, que será conferido aqueles que se habilitarem som os requisitos que se especificarem nos Estatutos, que devem formar-se, e só os que o obtiverem, poderão ser escolhidos para Lentes.”
“Capto. XIII – Se algum estudantes jurista quizer tomar o gráo de Doutor, depois de feita a competente formatura, e tendo merecido a approvação nemide discrepante, circumstancia esta essencial, defenderá publicamente varias theses escolhidas entre as materias, que aprendeu no Curso Juridico, as quaes serão primeiro apresentadas em Congregação; e deverão ser approvadas por todos os Professores. O Director e os Lentes em geral assistirão a este acto, e argumentarão em qualquer das theses que escolherem. Depois disto assentando a Faculdade, pelo juizo que fizer do acto, que o estudante merece a graduação de Doutor, lhe será conferida sem mais outro exame, pelo Lente que se reputar o primeiro, lavrando-se disto o competente termo em livro separado, e se passará a respectiva carta.”Também dá uma lei parecida para graduados em medicina, a Lei 3 de outubro de 1832, e tem é distorcida. O seu artigo 26 deixa isso evidente. Pode ser lida no site da Câmara dos Deputados

“Art. 26. Passados todos os exames, o candidato não obterá o titulo de Doutor, sem sustentar em publico uma tese, o que fará quando quiser. As Faculdades determinarão por um regulamento a forma destas tese, que serão escritas no idioma nacional, ou em latim, impressas á custa dos candidatos; os que assim como os Pharmaceuticals, e Parteiras, pagarão também as despesas feitas com os respectivos diplomas.” (editado por Julia Castro)Vale ressaltar, também, que embora tais leis sejam distorcidas na finalidade de dar status social a advogados e médicos, pois no decorrer dos seus textos não há qualquer indicativo de tratamento de “doutor” a tais graduados sem antes o desenvolvimento de uma tese acadêmica, profissionais do direito e da medicina rejeitam o tratamento e criticam quem o usa para engrandecimento pessoal, como os ministros do Supremo Tribunal Federal e o próprio Conselho da OAB.E em Portugal qualquer um com curso superior tem tratamento como doutor.


bookmark_borderO que é emérito

emérito | adj.
e·mé·ri·to
(latim emeritus, -a, -um )
adjectivo adjetivo

1. Que se reformou ou aposentou, mantendo ainda algumas funções e regalias inerentes ao cargo (ex.: bispo emérito). = HONORÁRIO, JUBILADO

2. Que é muito versado em determinada ciência, arte ou profissão (ex.: emérito violinista). = DISTINTO, EMINENTE, ILUSTRE, INSIGNE

3. Diz-se do detentor de título universitário que se distinguiu pelos serviços prestados em determinada área do conhecimento (ex.: professora emérita da Universidade de Princeton).Confrontar: imérito.


adjetivo Característica de quem deixou de trabalhar; aposentado.
Qualidade de quem se aposentou, mas ainda recebe os salários ou benfeitorias do antigo emprego.
Que possui excesso de experiência ou prestígio; veterano.
expressão Professor emérito. Título honorífico conferido aos professores ilustres que, depois de se aposentarem, faz com os mesmos possam continuar exercendo o magistério e/ou pesquisa.
Etimologia (origem da palavra emérito). Do latim emeritus.a.um, “veterano, aposentado, vitorioso”.


Emérito é um título honorífico concedido a pessoas que se destacaram em atividades acadêmicas ou religiosas, após deixarem de exercer essas atividades.


bookmark_borderO que é mordomo

mordomo | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de mordomar
mor·do·mo |ô| mor·do·mo |ô|
(latim major domus, administrador da casa )
nome masculino

1. Administrador de uma casa ou estabelecimento (por conta do próprio dono).

2. O que prepara e dirige uma festa de igreja.

3. Administrador de bens de confrarias ou irmandades.Plural: mordomos |ô|. Plural: mordomos |ô|.
mor·do·mar mor·do·mar – Conjugar
(mordomo + -ar )
verbo transitivo

1. Administrar como mordomo.verbo intransitivo

2. Exercer funções de mordomo.

Sinónimo Sinônimo Geral: MORDOMEAR


substantivo masculino Chefe dos criados de uma grande casa.
Administrador dos bens de um estabelecimento.
Aquele que trata dos negócios de uma irmandade ou confraria e administra seus bens.
Administrador dos interesses internos de um palácio.


O mordomo (do latim major domus, “administrador ou governante da casa”) é um empregado doméstico, o chefe dos serviçais de uma casa-grande.
Mordomo é também o administrador dos bens de uma irmandade ou confraria ou o organizador (e contribuinte) de uma festa popular, normalmente de cariz religioso.
Mordomo foi também um magistrado encarregado de cobrar impostos e de fazer citações e execuções judiciais.


bookmark_borderO que é prefeito

prefeito | s. m.
pre·fei·to
(latim praefectus, -i, administrador, governador, chefe )
nome masculino

1. [História]   [História]   Chefe de uma prefeitura, na antiga Roma.

2. [Religião]   [Religião]   O superior de uma comunidade eclesiástica.

3. [Antigo]   [Antigo]   O que preside ao estudo e vigia os estudantes nos colégios.

4. Chefe de um departamento em França.

5. Pessoa que chefia o poder executivo nos municípios brasileiros.Confrontar: perfeito.


substantivo masculino Administrador de um município, responsável pela gestão do Poder Executivo nas prefeituras.
[Religião] Superior de uma comunidade eclesiástica.
[História] Chefe de uma prefeitura, na antiga Roma.
[Antigo] Pessoa que orienta os estudos e supervisiona os estudantes em um colégio.
Etimologia (origem da palavra prefeito). A palavra prefeito deriva do latim “praefectus,i”, com o sentido de chefe.


Prefeito é uma designação comum dada a várias funções desenvolvidas por um administrador. Para facilidade acadêmica, visualiza-se melhor, aplicando-se definições distintas a cada caso.


bookmark_borderO que é prelado

prelado | s. m.
pre·la·do
nome masculino

1. Título dos altos dignitários da Igreja.

2. Título do reitor da Universidade de Coimbra.


substantivo masculino Título de honra atribuído a certos eclesiásticos que ocupam cargos altos e muito importantes dentro da Igreja Católica (bispos, arcebispos, chefes de ordens religiosas); ordinário.
[Religião] Eclesiástico oficial responsável pela residência do papa.
[Religião] Autoridade eclesiástica que, na Igreja Católica, é responsável por administrar um órgão ou instituição religiosa católica, uma primazia ou prelatura.
[Portugal] Atribuição honorífica do reitor da Universidade de Coimbra.
Etimologia (origem da palavra prelado). Do latim praelatus.a.um “determinado”.


Prelado é a autoridade eclesiástica que, na Igreja Católica, tem o encargo de governar ou dirigir uma Prelatura ou Prelazia. O Prelado é também o “Ordinário” próprio da Prelatura.
No Código de Direito Canônico por “Ordinário” designam-se, além do Romano Pontífice, os Bispos diocesanos e os outros que, mesmo só interinamente, são colocados à frente de uma Diocese ou de uma comunidade equiparada ou superior; e ainda os Vigários gerais e episcopais; do mesmo modo, para com os seus súditos ou subordinados, os Superiores maiores dos institutos clericais de direito pontifício e das sociedades clericais de vida apostólica de direito pontifício que tenham pelo menos poder executivo ordinário, como os superiores de ordens religiosas(Cân. 134).O exemplo paradigmático do prelado é o Bispo diocesano, cuja prelatura é a sua própria diocese. As prelazias territoriais ou pessoais, bem como os institutos de vida religiosa, são diferentes à diocese.


bookmark_borderO que é diácono

diácono | s. m.
di·á·co·no
nome masculino

1. [Religião]   [Religião]   Primitivamente, indivíduo encarregado da distribuição dos fundos comuns aos fiéis cristãos.

2. [Religião]   [Religião]   Hoje, clérigo que tem a segunda das ordens sacras.


substantivo masculino Clérigo que não tem mais que a segunda das ordens sacras e cujo ofício é ajudar no altar o celebrante.


O termo diácono (do grego antigo διάκονος, “ministro”, “servo”, “ajudante”) é aplicado aos clérigos de igrejas de origem cristãs, nas suas várias denominações. A forma feminina chama-se diaconisa.
Dependendo da tradição denominacional, o diácono pode ser permanente ou um estágio para a ordenação presbiterial.