bookmark_borderO que é etiqueta

etiqueta | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de etiquetar 2ª pess. sing. imp. de etiquetar
e·ti·que·ta |ê…ê| e·ti·que·ta |ê…ê|
(francês étiquette )
nome feminino

1. Cerimonial da corte.

2. Conjunto de formas, práticas ou praxes cerimoniosas em uso na sociedade. = PRAGMÁTICA

3. Cerimónia .

4. Regra, estilo, praxe.

5. Impresso que identifica o conteúdo, as características ou a composição (em frascos, garrafas, etc.). = RÓTULO

6. Pedaço de tecido ou de outro material, geralmente cosido no avesso de uma peça de roupa, com informações sobre marca, fabrico, composição, cuidados de manutenção, etc.

7. Designação ou característica definidora, geralmente de carácter redutor, atribuída a algo ou alguém. = RÓTULO
e·ti·que·tar e·ti·que·tar – Conjugar
(etiqueta + -ar )
verbo transitivo

1. Pôr etiqueta ou rótulo em.

2. Atribuir uma designação ou uma característica definidora a, geralmente de maneira redutora.

Sinónimo Sinônimo Geral: ROTULAR


substantivo feminino Pequeno rótulo que se aplica a um objeto para indicar seu preço, conteúdo.
Formas cerimoniosas usadas entre particulares: observar a etiqueta.
Normas de conduta, modos comportamentais, que devem ser usadas em situações muito formais.
Marca do fabricante da roupa ou do estilista que denota prestígio: vestido de etiqueta; o produto que é vendido nessa loja ou feito por um estilista famoso.
[Figurado] Cerimonial usado nas cortes, nas residências dos chefes de Estado.
Etimologia (origem da palavra etiqueta). Do francês étiquette.


Etiqueta (do francês, étiquette) é o conjunto de normas cerimoniais que indicam a ordem de precedência e de usos a serem observados pela corte em eventos, públicos ou não, onde estiverem presentes chefes de estado e/ou alta autoridades tais, como solenidades e datas oficiais; por extensão, são ainda as normas a serem observadas entre particulares, no trato entre si.Para o sociólogo alemão Norbert Elias, são normas de conduta que denotam boa educação, a partir da ideia de autocontrole como indicador de civilidade; estas mudanças de comportamento formam mesmo a base do estado nacional moderno, a partir da instalação das monarquias absolutas. Segundo ele “o controle mais complexo e estável da conduta passou a ser cada vez mais instilado no indivíduo desde seus primeiros anos, como uma espécie de automatismo, uma autocompulsão à qual ele não poderia resistir, mesmo que desejasse” (…) “Nessa sociedade aquele que melhor conseguir moderar suas paixões é aquele terá melhores vantagens, conseguirá e manterá favores”.


bookmark_borderO que é tradição

tradição | s. f.
tra·di·ção
substantivo feminino

1. Via pela qual os factos ou os dogmas são transmitidos de geração em geração sem mais prova autêntica da sua veracidade que essa transmissão.

2. O facto ou o dogma assim transmitido.

3. Transmissão de uma notícia, boato, rumor.

4. Símbolo, memória, recordação, uso, hábito.

5. Entrega, acto pelo qual se entrega alguma coisa a alguém.

6. Transmissão, transferência de bens ou de direitos.


substantivo feminino Costume transmitido de geração a geração ou aquilo que se faz por hábito; costume: as tradições de uma região.
Herança cultural, legado passado de uma geração para outra: não concordava com tradições que violavam os direitos dos animais.
Transmissão oral de doutrinas, de lendas, de costumes etc., durante longo espaço de tempo, de geração para geração.
Religião.Transmissão oral, às vezes registrada por escrito, dos fatos ou das doutrinas religiosas.
[Jurídico] Entrega material de um bem móvel, objeto de uma transferência de propriedade.
Ação ou efeito de transmitir, de fazer a transferência entre uma coisa e outra.
Etimologia (origem da palavra tradição). Do latim traditio.onis, “ato de entregar”.


Tradição (do latim traditio, tradere = “entregar”, “passar adiante”) é a continuidade ou permanência de uma doutrina, visão de mundo, costumes e valores de um grupo social ou escola de pensamento.Ao nível da etnografia, a tradição revela um conjunto de costumes, comportamentos, memórias, rumores, crenças, lendas, música, práticas, doutrinas e leis que são transmitidos para pessoas de uma comunidade, sendo que os elementos passam a fazer parte da cultura.O italiano Julius Evola, citando António Sardinha em nota que consta de sua obra “Os homens e as ruínas”, salienta que o pensador português acertou ao afirmar que a Tradição não é apenas o Passado, mas, antes, a “permanência no desenvolvimento”, a “permanência na continuidade'”.


bookmark_borderO que é mitologia

mitologia | s. f.
mi·to·lo·gi·a
substantivo feminino

1. História das divindades do paganismo.

2. Explicação dos mitos.

3. Conjunto de fábulas.


substantivo feminino Reunião que contém os mitos de um povo; conjunto das narrativas fantásticas e simbólicas que explicam os fenômenos a partir de entidades sobrenaturais; o estudo desses mitos e de sua evolução.
Conjunto dos mitos gregos e romanos: mitologia grega; mitologia romana.
História de teor fabuloso dos deuses, semideuses e heróis da Antiguidade.
Qualquer relato fabuloso que, mantido pela tradição oral, traz como protagonistas entidades com poderes mágicos relacionados às forças da natureza, na tentativa de elucidar os questionamentos humanos.
[Por Extensão] Afirmação mentirosa e sem fundamento que, geralmente, busca difamar algo: ainda existe muita mitologia sobre o conceito do aborto.
Etimologia (origem da palavra mitologia). Mito + logia.


O termo mitologia pode referir-se tanto ao estudo de mitos como a um conjunto de mitos. Por exemplo, mitologia comparada é o estudo das conexões entre os mitos de diferentes culturas, ao passo que mitologia grega é o conjunto de mitos originários da Grécia Antiga.
Em sentido coloquial, o termo “mito” é, frequentemente, utilizado para se referir a uma história falsa. Porém o uso acadêmico do termo não denota, geralmente, um julgamento quanto a sua verdade ou falsidade. No estudo de folclore, um mito é uma narrativa sagrada que explica como o mundo e a humanidade vieram a ser da forma que são atualmente. Muitos estudiosos em outros campos usam o termo “mito” de forma um pouco diferente. Em um sentido muito amplo, a palavra pode se referir a qualquer história tradicional.Os mitos são, geralmente, histórias baseadas em tradições e lendas feitas para explicar o universo, a criação do mundo, fenômenos naturais e qualquer outra coisa a que explicações simples não são atribuíveis. Mas nem todos os mitos têm esse propósito explicativo. Em comum, a maioria dos mitos envolvem uma força sobrenatural ou uma divindade, mas alguns são apenas lendas passadas oralmente de geração em geração. Figuras mitológicas são proeminentes na maioria das religiões e a maior parte das mitologias estão atadas a pelo menos uma religião. Alguns usam a palavra mito e mitologia para desacreditar as histórias de uma ou mais religiões.
O termo é, frequentemente, associado às descrições de religiões de sociedades antigas, como a mitologia romana, mitologia grega, mitologia egípcia e mitologia nórdica, que foram quase extintas. Destaca-se, ainda, a mitologia cristã, que ainda hoje tem muitos devotos pelo mundo. No entanto, é importante ter em mente que, enquanto alguns veem os panteões nórdico e céltico como meras fábulas, outros os têm como religião (ver Neopaganismo). Alguns religiosos tomam como ofensa a caracterização de sua fé como um conjunto de mitos, pois isso implicaria em afirmar tacitamente que sua religião não passa de folclore. De qualquer forma, parece haver um consenso de que cada religião possui um grupo de mitos que desenvolveram-se em conjunto com suas escrituras. Esse tipo de postura é particularmente recorrente em países cuja maior parte da população adere a uma religião específica, como é o caso do Brasil ou México.