zen

zen | s. m. | adj. 2 g. 2 núm.
zen
(japonês zen )
substantivo masculino

1. [Filosofia, Religião]   [Filosofia, Religião]   Escola budista, desenvolvinda na China, que se espalhou pelo Japão desde os fins do século XII. = ZEN-BUDISMOadjectivo de dois géneros e de dois números adjetivo de dois géneros e de dois números

2. Relativo a ou próprio dessa seita.

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Que está ou aparenta estar num estado de calma; que não apresenta reacção . = CALMO, RELAXADO, SERENO ≠ AGITADO, EXALTADO


adjetivo Excessivamente tranquilo, calmo; que busca levar a vida com serenidade e simplicidade: comportamento zen.
substantivo masculino Ramificação do budismo de origem chinesa, introduzida no Japão a partir do século XII, define-se por buscar o êxtase através da iluminação pessoal, ruptura com o pensamento lógico, através da meditação.
adjetivo Próprio ou característico de zen, dessa variante do budismo: templo zen.
Etimologia (origem da palavra zen). Do japonês zen; pelo chinês ch’an; de origem sanscrítica.


Zen é o nome japonês da tradição Ch’an, que surgiu na China por volta do século VII. O Zen costuma ser associado ao Budismo do ramo mahayana. Foi cultivado, inicialmente, na China, Japão, Vietnã e Coreia. A prática básica do zen japonês é o zazen (literalmente, “meditar sentado”), tipo de meditação contemplativa que visa a levar o praticante à “experiência direta da realidade” através da observação da própria mente.Tal como o conhecemos hoje, ele só foi possível devido à forte influência que o Budismo na China sofreu do taoismo. Para alguns estudiosos, o zen é uma síntese dessas duas correntes de pensamento (Budismo e Taoísmo).O Zen enfatiza autocontrole rigorosa, a prática da meditação, a percepção da natureza da mente (見性, Ch. jiànxìng, Jp. kensho, “perceber a verdadeira natureza”) e a natureza das coisas, e a expressão pessoal dessa intuição na vida cotidiana, especialmente para o benefício de outros. Como tal, não enfatiza o mero conhecimento de sutras[9] e doutrina e favorece a compreensão direta através da prática espiritual e da interação com um professor ou mestre realizado.
Os ensinamentos do Zen incluem várias fontes do pensamento Maaiana, sobretudo Iogachara, os sūtras Tathāgatagarbha, o Laṅkāvatāra Sūtra e a escola Huayan, com ênfase na natureza de Buda, na totalidade e no ideal Bodisatva. A literatura prajñāpāramitā, bem como o pensamento madhyamaka, também foram influentes na formação da natureza apofática e às vezes iconoclasta da retórica zen.No Zen japonês, há duas vertentes principais: soto e rinzai. Enquanto a escola soto dá maior ênfase à meditação silenciosa, a escola rinzai faz amplo uso dos koans, ou “enigmas”. Atualmente, o Zen é uma das escolas budistas mais conhecidas e de maior expansão no Ocidente. Popularizadores do Zen incluem Reginald Horace Blyth, D. T. Suzuki, Alan Watts e Philip Kapleau, que publicaram vários livros entre 1950 e 1975, contribuindo ao interesse crescente no Ocidente, bem como a publicidade por parte dos poetas beats.